BLOG

Plano chinês: realocar cidadãos no Iraque para áreas seguras

invasao-do-iraque

Durante um pronunciamento diário feito pela Porta – Voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, a decisão de realocar cidadãos que estão no Iraque foi concluída. Embora a maioria já esteja em áreas seguras, o realocamento poderá ser feito até para países vizinhos, caso haja necessidade.

Não foram definidos quantos chineses serão remanejados, porém, estima-se cerca de 10 mil presentes. Toda essa população chinesa, deve-se, principalmente, ao aumento nas importações de petróleo entre os dois países, gerando a necessidade de novas Instituições e Funcionários. Em 2013, houve um aumento de 50%, segundo Estadão Internacional.

Essa medida foi tomada pela China após o acontecimento dos 40 Indianos sequestrados em território Iraquiano, onde, agora estão sendo mantidos como reféns, próximo a região de Mosul. O pedido indiano de retirada de seus cidadãos está sendo atendido lentamente.

Na mesma declaração, Chunying manifesta a esperança que tem no governo iraquiano “Nós também esperamos que o lado iraquiano possa tomar medidas concretas para garantir a segurança das instituições e funcionários da China”.

Fonte: Estadão Internacional, Associated Press e Dow Jones Newswires.

Acompanhe nosso Blog de Importação e tire dúvidas conosco através do e-mail de contato: contato@chinalinktrading.com.

Nota do autor: Caso a leitura do artigo traga-lhe alguma dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário abaixo. Estamos sempre disponíveis para atendê-los!

carol

Este artigo foi escrito pela graduanda de Relações Internacionais, Carolina Ranzoni, Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo – SP. 

Compartilhe:
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on twitter

#MAIS ARTIGOS

Elon Musk chines tiktok

Conheça Yilong Ma, o “Elon Musk” chinês que cresce nas redes sociais

Produtos de informática tem imposto zerado

Produtos de informática tem imposto de importação zerado

Produtos Importados da China seguem forte no Brasil

Produtos Importados da China: Ranking 2021