Qual o valor mínimo para importar da China?

Em mais um vídeo da nossa série “Importação em 5 Minutos”, disponível no nosso canal do Youtube e a seguir, vamos descobrir se existe um valor mínimo para importar da China e se vale a pena para você importar qualquer valor.

 

 

Qual o valor mínimo para importar da China?

Essa é uma das dúvidas mais frequentes entre os empresários mais novos no ramo, os que planejam começar a importar da China ou os compradores de sites chineses como o Aliexpress e revendedores de e-commerce. Para respondê-la, vamos dividi-la em dois pontos: existe um limite mínimo para a importação? E vale a pena importar qualquer valor? 

 

Existe um limite mínimo para a importação?

A legislação brasileira não estabelece nenhum valor mínimo para importar. A única quantidade mínima que irá influenciar nas suas compras é a quantidade mínima do fornecedor com o qual você está negociando na China. A maioria das fábricas chinesas não possuem estoque de produtos, por isso seu fornecedor estabelecerá uma quantidade mínima de compra do produto, e esse será o único limite para o qual você deverá se atentar.

Além disso, a maioria das fábricas chinesas trabalha com capital de terceiros para iniciar a produção. Por esse motivo, também, todos os pedidos deverão ser pagos na frente.

 

MOQ: Quantidade mínima de compra

Quando estiver lidando com empresas chinesas, um termo importante a ser lembrado é o MOQ: Minimum Order Quantity (Quantidade mínima de compra). Ele representa a quantidade mínima de produtos que seu fornecedor chinês estabelecerá para sua encomenda, o que tratamos no tópico acima.

 

Vale a pena importar qualquer valor?

Mercadorias diferentes demandam despesas diferentes. Assim, para responder de maneira exata a essa pergunta seria necessário estudar as necessidades e impostos sobre o determinado produto. Para isso, é necessário consultar o NCM (Nomenclatura Comum Mercosul) do produto, onde você encontrará todos os impostos aplicados sobre ele.

Entretanto, não são os impostos que viabilizam ou inviabilizam a operação, já que a sua empresa e os seus concorrentes pagarão os mesmos impostos pelo produto. A grande diferença reside nos custos fixos da importação.

 

Investimento e custos fixos da importação

Todas as importações, independentemente de tamanho, demandam alguns custos fixos, como por exemplo despesas portuárias (funcionários, aluguel do local, equipamentos do porto etc.). Esses custos costumam variar, em média, entre R$3 mil e R$7 mil por processo. Considerando uma média de R$5 mil de custos fixos e uma compra de R$10 mil, somente os custos fixos, além dos impostos, equivalerão a 50% do seu investimento. Desse modo, você precisará repassar esses custos para a venda, deixando o produto mais caro, ou diminuir a sua margem de lucro.

O mesmo problema não ocorrerá com o importador de grande porte que, ao realizar uma compra de R$100 mil, por exemplo, gastará apenas 5% do valor com as mesmas taxas, e oferecerá o produto a um preço mais baixo ou aumentará sua margem de lucro.

Importadores que compram quantidades maiores de produto adquirem, também, um maior poder de barganha na China. Além disso, ao comprar grandes quantidades, você poderá ganhar em escala, como no custo do frete. Por exemplo, se você conseguir transportar uma quantidade maior de produto em um mesmo container, você poupará espaço e ganhará em custo de frete.

Existem, é claro, algumas exceções para essa regra, como os produtos de alto valor agregado, ou produtos de uma marca com valor agregado. Nos dois casos você poderá revendê -los a um ótimo preço no Brasil mesmo que tenha investido um valor mais baixo na sua importação.

 

Quer saber mais sobre os fatores mais importantes para se iniciar uma importação segura e bem-sucedida? Continue acompanhando nossa série de vídeos no Youtube e alavanque seus negócios!

Por Laís Barbosa, diretamente de Marília, SP, Brasil

 

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | TwitterGoogle +


Veja Também


Deixe seu comentário