O supercomputador mais rápido do mundo é chinês!

Um grupo de pesquisadores chineses ganhou o 2017 ACM Gordon Bell Prize, considerado o Nobel da utilização de supercomputadores, por ter usado o supercomputador mais rápido do mundo para processar dados de um terremoto ocorrido na China em 1976.  O prêmio foi concedido na cidade americana de Denver, no último dia 16, durante a 2017 Supercomputing Conference, um evento organizado para discutir e apresentar os avanços tecnológicos nessa área da ciência.

 

O supercomputador mais rápido do mundo

A equipe de 12 integrantes chineses utilizou o Sunway TaihuLight, o mais rápido supercomputador do mundo, para desenvolver um software capaz de processar dados e fazer cerca de 18,9 quadrilhões de cálculos por segundo e criar visualizações em 3D relacionadas a um terremoto de magnitude 7,6 na escala Richter, que ocorreu na cidade de Tangshan (唐山), localizada no nordeste da China, o qual matou cerca de 250 mil pessoas em 1976.

 

Supercomputador
Sunway TaihuLight, o supercomputador chinês é o mais rápido do mundo

 

O objetivo dessa pesquisa, segundo He Conghui, um dos integrantes do time de pesquisadores, foi demonstrar o potencial que os supercomputadores têm de auxiliar na previsão de terramotos, algo que até os dias atuais a ciência ainda tem dificuldades de fazer.

O Sunway Taihu Light está localizado no Centro Nacional de Supercomputadores, na cidade de Wuxi. Esse supercomputador é 3 vezes mais rápido que o Tianhe-2, um outro supercomputador chinês que até então era considerado o mais rápido do mundo e que também ganhou o mesmo prêmio no ano anterior ao conseguir desenvolver um método de cálculo da dinâmica atmosférica que poderia ser utilizado para estudar mais eficientemente o clima.

O Gordon Bell Prize foi estabelecido em 1987 por Gordon Bell, um estadunidense que é considerado o pioneiro em computação de alta performance. Os ganhadores recebem 10 mil dólares e o objetivo dessa premiação é divulgar os avanços na área de computação de alta performance nos campos da ciência, engenharia e análise de dados em larga escala.

Segundo as informações levantadas pela China Daily, 1 em cada 3 supercomputadores vem da China. Motoaki Saito, fundador de uma empresa de semicondutores japonesa, afirmou que a China está na vanguarda mundial no campo da computação, superando inclusive países tradicionais nessa área, como o Japão e os Estados Unidos.

E, ao que parece, a China pretende continuar na frente nesse quesito. A próxima geração de supercomputadores, chamada de Sunway E-class, promete ser 8 vezes mais rápida que o TaihuLight.

 

O desenvolvimento tecnológico chinês

A China não está na vanguarda apenas no ramo dos supercomputadores. Ela tem apresentado ao mundo variados gadgets com tecnologia de ponta. No ano passado, os chineses produziram o maior telescópio do mundo, com um diâmetro de 500 metros, e que consegue captar o som emitido por estrelas muito distantes da Terra.

Segundo os astrônomos, o telescópio, chamado de FAST, já captou ondas eletromagnéticas de mais de 1000 anos-luz do planeta, porém a sua capacidade é muito maior, pois pode receber sinais vindos de pontos do universo a bilhões de anos-luz daqui. Seu objetivo é estudar o que os astrônomos chamam de matéria escura e as estrelas mais antigas do universo.

Todo o desenvolvimento tecnológico chinês evidencia uma mudança estrutural na economia do país, visto que Xi Jinping deseja transformar o entendimento daquela conhecida expressão “made in China”, sinônimo de produto barato, mas de baixa qualidade, para algo cada vez mais inovador e de alta qualidade.

 

Por Victor Fumoto, diretamente de Indaiatuba, SP, Brasil

Fontes: China Daily

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário