Redes sociais bloqueadas na China, e agora?

Você já pensou em viajar para a China? Viajando a negócios, estudos ou simplesmente lazer, a China é um dos destinos mais impressionantes do mundo. Tudo na cultura chinesa é impressionante: a harmonia, a sincronia, o respeito, etc. Se você já pensou em viajar até o outro lado do mundo, provavelmente já ouviu falar que o Governo Chinês proíbe o uso de diversas plataformas digitais dentro do país por questões políticas e culturais.

Esse bloqueio na internet distancia (e muito!) os chineses do resto do mundo. Plataformas essenciais para os americanos, como Netflix e Youtube, são proibidas na China. Muitos estrangeiros quando estão na China não conseguem se adaptar aos aplicativos chineses (por não entender o idioma ou outro motivo) e acabam recorrendo à maneiras de burlar a proibição da internet chinesa. Essa escapada é compreensível: imagine não poder utilizar o Google Mapas, Google Tradutor ou o Trip Advisor durante uma viagem a um país tão distante?

Quer saber mais sobre o que você precisa fazer no seu celular para acessar as redes sociais como, Instagram, Facebook e Google, enquanto estiver viajando para a China? Continue lendo nosso artigo!

 

Teclado com a tecla D substituida pela bandeira da China
Teclado com tecla chinesa em destaque, demonstrando a internet chinesa. Fonte: Veja – Abril

 

No nosso canal você encontra vídeos que abordam assuntos relacionados a viagens para a China, empreendedorismo, curiosidades da cultura chinesa, importação da China e exportação para a China e muitos outros assuntos. Tudo isso com a finalidade de propagar informação e fomentar o comércio internacional entre Brasil e China, alavancando os lucros de empresas brasileiras.

Um destes vídeos é da série “Antes de Viajar para a China”, com o tema “redes sociais”. Este vídeo é muito útil para os viajantes que queiram liberar o Instagram, Google e Facebook e outros domínios para uso pessoal durante sua estadia na China.

 


O que é bloqueado na China?

Bom, para começarmos, o principal site que é 100% bloqueado dentro do território Chinês é o Google. Parece algo simples, “apenas não utilizar o Google por alguns dias”, contudo, o Google é a grande central de informações digitais do mundo. Você pode não perceber, mas uma grande parte do dia, envolve o Google como provedor de informações.

Basta pensar em verificar endereços, previsão do tempo, GPS, tickets e ingressos para lugares, informações de horários de locais, horários de vôos, pesquisar restaurantes, entretenimento, cinema, tradutor, dentre diversas outras situações. Nós somos acostumados a utilizar a plataforma Google para diversas funções do dia a dia e ficar sem ele durante uma viagem pode ser bem problemático.

 

Imagem de um predio espelhado com o letreiro do google em cima
Prédio do Google no Vale do Silício.

 

Já que o Google é bloqueado, os aplicativos “irmãos” também são. Não é possível verificar GMail, Google Maps, Google Play, Google Drive, Google Fotos, Google Agenda, entre outros. Além disso, os aplicativos que são conectados com o Google também estarão indisponíveis, como Facebook, Instagram, Youtube e o mais preocupante, o WhatsApp (por algumas vezes, é possível utilizar mensagem de texto por WhatsApp, mas nada de áudio, foto ou documentos). Os arquivos ficam carregando, mas nunca são enviados, como se a internet estivesse ruim ou fora de alcance. Não ter WhatsApp significa, praticamente, não ter contato com quem está no Brasil (sua família, amigos, sócios, empregados).

Outras plataformas importantíssimas, que também são vinculadas ao grupo do Google, são aplicativos celulares de bancos, blogs, notícias, Wikipédia. Sendo assim, o que fazer? Ficar desconectado do mundo? Talvez!

Se o motivo de sua viagem envolve um “detox de tecnologia”, essa será a oportunidade perfeita. Contudo, planeje-se bem, para não depender dessas plataformas durante o período em que estiver por lá. Se a sua viagem, como a maioria provavelmente é, depende fortemente da tecnologia (visitar pontos turísticos, chamar táxis, comprar ingressos, etc), é bom você ler este artigo para saber como se preparar.

Hora de assistir ao vídeo da China Link sobre sites bloqueados na China, essencial para planejar sua viagem:

 


O que fazer para acessar a internet?

A solução que trazemos aos viajantes que querem e precisam ter acesso ao mundo digital, é a seguinte: adquira um VPN (Rede Virtual Privada). É uma máscara virtual que engana as centrais que buscam a localização do aparelho que está acessando a internet.

Então, se você estiver acessando o Instagram do seu notebook, que está fisicamente na China, o VPN faz o trabalho de mudar o endereço de IP de onde a internet está sendo acessada. Além disso, ele pode deixar o acesso anônimo, criptografa a comunicação, evita a censura e vigilância de sites e desbloqueia aplicativos, evitando o rastreio deles por parte de terceiros. Tudo isso pode estar soando como teoria da conspiração ou mania de perseguição, mas é exatamente disso que você precisa para acessar as redes sociais estando dentro da China.

 

Mapa ilustrativo de como um VPN funciona
Ilustração sobre VPN. Fonte: Show Me Tech

 


Qual VPN devo acessar?

É super importante que uma pesquisa seja feita antes de sair acessando VPNs por aí. Lembre-se de que o VPN funciona como um receptor e conducente de informação. Ou seja, todas as suas informações pessoais estarão passando por VPN, incluindo, senhas, fotos, conversas, etc. Esse servidor deve ser de confiança. Sendo assim, a China Link Trading recomenda que você pesquise e compre um VPN confiável. Converse com pessoas que já utilizaram ou utilizam atualmente.

Não utilize VPNs gratuitos, pois a chance das suas informações serem duplicadas é alta. Sendo assim, compre um VPN, pague o período mínimo (que normalmente é de um mês), para garantir a sua segurança. E lembre-se, o VPN é instável e tem a velocidade reduzida comparada com o 4G que você está acostumado, portanto, paciência!

Confira aqui um provedor VPN que a China Link confia e recomenda.

 


Quando comprar o VPN?

Tenha certeza de que você tem um bom VPN antes de viajar para a China! Se você deixar para comprar estando na China, você será bloqueado antes de entrar no site, e então, não conseguirá acesso a nada. É impossível adquirir o VPN uma vez estando na China, a não ser que ele seja transferido para você através de um outro celular. Em caso de emergência, vale a pena perguntar aos estrangeiros com você se algum deles possui um VPN para te transferir.

Sendo assim, programe-se! Converse com alguém que já foi para a China, acesse o site que a China Link recomenda e leia sobre o aplicativo em sites da internet.

Você provavelmente terá que fazer um login, senha, e aprender a utilizar para deixar tudo certinho antes de sua viagem. E lembre-se, para acessar, você precisará de internet 4G, 5G ou Wi-fi. O VPN não é provedor de internet, ele é apenas uma ferramenta.

 

Mulher sentada utilizando seu celular com VPN
Mulher utilizando VPN no celular.

 


Porque existe censura e bloqueio de internet na China?

O controle da internet na China é um dos maiores do mundo, senão o mais rígido de todos. A velocidade da internet na China é incrivelmente alta, é a 15ª mais rápida do mundo, contudo, tem o Governo Chinês monitorando, espiando e controlando tudo o que é acessado. Existe até uma brincadeira dizendo que o sistema de monitoramento é a Grande Firewall, fazendo menção a Grande Muralha. Leia mais em nosso artigo sobre a censura e o acesso à internet na China.

A explicação legal para isso, está nos artigos 4 a 6 do documento que rege a internet, que corresponderia ao Marco Civil da Internet no Brasil.

 

Imagem ilustrativa da muralha da China em guerra com os aplicativos ocidentais, twitter, facebook, instagram, google, etc.
Aplicativos online vs. muralha da China, demonstrando a tentativa de entrada e a muralha barrando os aplicativos.

 

Os indivíduos estão proibidos de usar a Internet para: prejudicar a segurança nacional; Divulgar segredos de estado; Ou ferir os interesses do Estado ou da sociedade. É proibido aos usuários usarem a Internet para criar, replicar, recuperar ou transmitir informações que incitam a resistência à Constituição da República Popular da China, leis ou regulamentos administrativos; Promove a derrubada do governo ou do sistema socialista; Mina a unificação nacional; Distorce a verdade, espalha rumores ou destrói a ordem social; Ou fornece material sexualmente sugestivo ou incentiva jogos de azar, violência ou assassinato. Os usuários estão proibidos de se envolver em atividades que prejudiquem a segurança das redes de informação do computador e da utilização de redes ou da mudança de recursos da rede sem aprovação prévia” .


Como funciona o bloqueio de sites específicos?

De maneira geral, o sistema utilizado pelo governo chinês é capaz de bloquear os endereços online que não fazem parte da “lista” do que eles consideram apropriado e liberado para o uso da população, conforme descrito no parágrafo acima.

Sendo assim, esses sistemas de “segurança pública” trabalham bloqueando os endereços de IP, filtrando e redirecionando os domínios não autorizados, filtram URL com palavras chaves proibidas e interceptam dados através de certificados dos navegadores.

 

Topologia da conexão chinesa. Fonte: Oficina da Net

 


Então os chineses não usam internet?

Sim, eles utilizam sim! O país é forrado por tecnologia, tem engenharias arrebatadoras, máquinas de primeira qualidade, robótica e games avançados, imagina a falta da internet para utilizar todos esses equipamentos? Leia também nosso artigo do bloqueio chinês e críticas ao governo.

A China monitora a utilização dos sites mas os sites bloqueados são os que pertencem ao ocidente. Para solucionar essa questão e providenciar para a população uma vida virtual, a China tem seus próprios sites, com a mesma funcionalidade dos que nós, brasileiros, estamos acostumados, A questão é que está tudo escrito em caracteres chineses, sendo assim, é muito difícil para uma pessoa que não fala chinês conseguir acessar todos esses aplicativos, sites e entender o que está acontecendo. Veja na imagem abaixo alguns dos sites que se equiparam com os que conhecemos!

 

Comparação de aplicativos internacionais e sua versão chinesa. Fonte: Oficina da Net 

 

Quer saber mais curiosidades da China antes de ir viajar? Confira nosso artigo com 25 coisas para saber antes de viajar para a China!

E então leitor, o que achou do nosso texto? Você já viajou para a China e teve que lidar com o bloqueio de sites? Conte para nós a sua experiência e ajude os próximos leitores que irão enfrentar essa situação.

 

Por Carolina Ranzoni, diretamente de São Paulo, SP – Brasil

Fontes: Oficina da Net, ExpressVPN

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário