Qingming: o festival do brilho puro

No dia 05 de abril aconteceu, na China, o Festival Qingming ou Qīngmíng jié (清明节), em mandarim, que, traduzido ao português, significa “Festival do Brilho Puro”. Esse é uma das festividades chinesas, juntamente com a celebração do Ano Novo Chinês, mais importantes e antigas, sendo comemorada por mais de 2 mil anos. É um feriado na China e equivale, aqui no Brasil, ao feriado de Finados, visto que ambos visam à rememoração dos seus antepassados mortos.

 

qingming
(Imagem retirada do The Telegraph/Getty Images).

 

A origem do Qingming

O Festival Qingming originou-se na dinastia Zhou (周朝) e surgiu há aproximadamente 2500 anos. Teve início com as pomposas cerimônias oferecidas pelos imperadores e grandes oficiais da corte aos seus ancestrais falecidos. Eram oferecidos sacrifícios aos mortos, ao mesmo tempo que pediam suas bênçãos para o país em relação à prosperidade, paz e boas colheitas. No ano de 732, o imperador Xuonzong, da dinastia Tang, decretou que o respeito em relação aos antepassados nos túmulos apenas poderia ser feito no primeiro dia do período solar do Qingming. Assim, a partir daquele momento, as limpezas de túmulos ocorriam sempre nesse dia, tanto para a família imperial, quanto para os demais habitantes do país.

 

qingming
(Imagem retirada do Wuhan Social. Original AP Photo/Andy Wong).

 

Há, porém, uma versão lendária da origem desse festival. Segundo a lenda, Jie Zhitui salvou um príncipe de morrer de fome ao fazer uma sopa com um pedaço de carne retirado de sua própria coxa. O príncipe, ao saber do ocorrido, ficou tocado pela ação e prometeu que iria recompensá-lo pela ação. Dezenove anos depois, o príncipe foi nomeado duque do Estado de Jin e resolveu homenagear todos os seus seguidores, esquecendo-se, todavia, de Jie Zhitui. Quando percebeu o erro, envergonhou-se e mandou seus servos convidarem Jie Zhitui para ser homenageado com um título. Jie Zhitui, por sua vez, humildemente declinou a oferta. O duque então resolveu visitá-lo, porém, ao ouvir a notícia de que o duque estava chegando, Jie Zhitui escondeu-se numa montanha próxima, juntamente com sua mãe, e recusou-se a receber o príncipe.

Como ninguém conseguia encontrá-lo, o duque ordenou que incendiassem a montanha para forçá-lo a sair. Três dias depois, encontraram os dois corpos numa caverna sob um salgueiro. Em respeito a Jie Zhitui, o duque os enterrou e realizou um memorial em homenagem aos dois e ordenou que seus servos não usassem fogo e que comessem apenas comidas frias. No ano seguinte, o duque visitou o túmulo e descobriu que o salgueiro, antes queimado pelo incêndio, reviveu e estava frondoso. Comovido pela imagem, o duque limpou o túmulo e decretaria, naquele dia, o Festival Qingming.

 

As tradições do Qingming

A data conta com inúmeras tradições. Uma delas – a mais importante- é a visita aos túmulos dos antepassados, onde oferecem comida, chá, incenso, dentre outras coisas. Além disso, as pessoas ainda costumam limpar o túmulo, colocar galhos de salgueiros e queimar incenso, pedindo a bênção a suas famílias.

 

Qingming
(Imagem retirada de Lucy Chang).

 

Durante o Festival, as pessoas têm o costume de trazer galhos de salgueiros para serem colocados nos portões das casas, com o intuito de afastar os maus espíritos. Outro costume são os passeios de primavera, visto que o festival coincide com o início da estação. Os chineses costumam sair para contemplar o florescimento das flores.

Por ser um feriado e um festival religioso, muitos chineses visitam suas cidades natais, onde seus antepassados estão sepultados, ou visitam lugares sagrados e históricos do país, como, por exemplo, os Budas de Luoyang, localizada na província de Henan (河南), ou ver a chegada da primavera nas históricas cidades de Suzhou (苏州), Nanjing (南京) e Zhenjiang (镇江). Os mais aventureiros podem escalar o Monte Sigunian (四姑娘山), que, traduzido ao português, tem o curioso nome de “monte das quatro irmãs”. Fora estes destinos, há muitos outros espalhados pela imensidão do território chinês.

Outra tradição do Festival Qingming é empinar pipas coloridas, tanto de dia quanto à noite. No período noturno, é costume pendurar pequenas lanternas nas pipas, assim, no céu, pareceriam com estrelas brilhantes.

Como em qualquer bom festival, comida é importante. No Festival Qingming não é diferente. Existe o costume de apenas consumir-se comidas frias e não utilizar o fogo, uma tradição inspirada na lenda contada acima. Dentre os pratos típicos está o qingtuan (青团), traduzido como bolinhos verdes, os quais são feitos a partir da mistura de pó de arroz glutinoso e um suco vegetal verde, e recheados de pasta de feijão doce. Outro prato típico é o sazi (撒子), também conhecido como hanju (寒具), os quais são feitos de farinha de trigo ou de arroz glutinoso, ovos, gergelim, dentre outros. Também é muito consumido um mingau feito com arroz e flores frescas de pessegueiros.

E aí, o que achou do Festival Qingming? Quer saber mais sobre a China e importações? Continue ligado no blog!

 

Por Victor Fumoto, diretamente de Indaiatuba, SP, Brasil

Fontes: CCTV

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário