Programa espacial chinês: China e Rússia assinarão acordo para lançar missão tripulada à lua

China e Rússia vão assinar um acordo para aprofundar a cooperação na área espacial, que incluirá a possibilidade de missões tripuladas conjuntas à Lua, informou o jornal oficial do Partido Comunista Chinês. Enviar o homem à lua é o principal objetivo a longo prazo do programa espacial chinês.

 

Programa Espacial Chinês
Missão tripulada à lua é o ambicioso objetivo do Programa Espacial Chinês

 

Programa Espacial Chinês e seus objetivos ambiciosos

O acordo será firmado possivelmente em outubro próximo e vai estabelecer a cooperação entre 2018 e 2022. Serão incluídas cinco áreas, entre elas o possível retorno do homem à lua e novas missões não tripuladas ao espaço.

Além disso, será incluído o desenvolvimento de materiais especiais, a cooperação em satélites, a gestão da sucata espacial e a tele observação da Terra, acrescentou o jornal, o porta-voz oficial do Partido Comunista da China.

O Diário do Povo recorda que este não é o primeiro acordo entre Pequim e Moscou nesta área, mas sim o primeiro que cobre um período de cinco anos, permitindo estabelecer objetivos mais ambiciosos.

 

Programa Espacial Chinês
Yutu, o rover lunar chinês projetado para explorar a superfície da Lua como parte da missão Chang’e 3

 

Devido às questões orçamentárias, a Rússia não conseguiu manter o nível de ambição da antiga União Soviética no setor da exploração espacial, enquanto a China tem um orçamento mais amplo, ainda que secreto, mas menor experiência.

Os passos mais recentes do Programa Espacial Chinês, que Pequim vê como um símbolo do progresso do país, focaram-se na exploração da Lua.

O Programa Espacial Chinês é ambicioso: nos próximos meses está previsto o lançamento de uma missão que trará à Terra amostras da Lua. Em 2018, o país vai iniciar a construção de uma estação espacial com presença permanente de tripulantes, que deve estar concluída em 2022.

 

Programa Espacial Chinês
Imagem capturada pelo rover lunar chinês, Yutu, em 2013

 

A China prevê ainda enviar, em 2020, uma missão à Marte com um veículo robô para pesquisas científicas. No ano passado, o país asiático inaugurou o maior radiotelescópico do mundo, com meio quilômetro de diâmetro.

E você, tem alguma consideração sobre o Programa Espacial Chinês e o possível retorno do homem à lua? Compartilhe conosco nos comentários!

 

Por Ariel Oliveira, diretamente de Garça, SP, Brasil

Fontes: Diário do Povo

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário