É possível importar sem ter CNPJ?

Neste artigo vamos ver se é possível importar sem ter CNPJ. É permitido importar como pessoa física?

Quais são os riscos de trazer produtos como pessoa física e render? Abrir CNPJ é caro? Por que abrir CNPJ?

As respostas para esse questionamento você encontra agora no artigo a seguir.

É permitido importar sem CNPJ?

Muitas pessoas nos procuram, seja nas redes sociais ou no nosso atendimento, com a mesma pergunta. E hoje iremos respondê-la.

Alguém que não tem um CNPJ pode importar? Sim, mas existem algumas ponderações a serem feitas.

Primeiramente, quem importar qualquer produto como pessoa física não pode revender. 

Muitas pessoas, ao começar a importação, adotam esse caminho para testar suas vendas e seus produtos a fim de abrir o CNPJ e lançar sua empresa.

Contudo, quando compra-se de pouco em pouco, é uma estratégia boa se tiver o objetivo de se profissionalizar. 

Quando a prática se torna o modus operandi daquele indivíduo, ele terá problemas.

A primeira razão é que não existe uma regra clara da Receita que define uma quantidade mínima de um determinado produto para consumo próprio e quantos são para venda.

Isso significa que você cairá na interpretação dos fiscais quando a mercadoria atraca e vai para a Alfândega.

Quando vários produtos comprados pela mesma pessoa física chegam ao Brasil, a chance é grande de ser barrado na alfândega.

Mesmo que pessoas comprem vários itens, como celulares, e afirmam que a aquisição foi para dar a amigos e familiares, dificilmente isso será aceito pela alfândega sem o CNPJ.

Além disso, caso suas vendas de produtos enquanto pessoa física derem certo, como o indivíduo explicará para a Receita a origem do dinheiro? 

Se a pessoa justificar que vende produtos sem emissão de nota fiscal e sem CNPJ, ela sofrerá sérias consequências.

Por isso, a não ser que você importe como pessoa física apenas para testar seu produto, fazer uma demonstração para um nicho e, então, abrir uma empresa, não vale a pena importar como pessoa física.

Por que abrir um CNPJ?

Se esse início desanimou os planos de alguém, fica a pergunta: Qual o seu medo de abrir um CNPJ e ter uma empresa?

A justificativa de algumas pessoas para não terem uma empresa era que CNPJ se dava pelo fato de ser muito caro.

De fato, é compreensível esse argumento se analisássemos a situação existente há alguns anos.

Antigamente, para abrir o CNPJ era preciso pagar um valor alto para emitir o documento, contratar um contador porque somente com o profissional era possível realizar o procedimento, além de ter que alugar um escritório mesmo sem ter vendas, apenas para validar a burocracia.

Abrir um MEI permite você se profissionalizar e trata seu negócio a sério, como um novo trabalho e não como renda extra.

Contudo, caso você ainda acredite que as coisas estão desta forma, as coisas evoluíram muito.

Atualmente, o procedimento é muito mais rápido e fácil. Com um clique, a pessoa entra no site, se cadastra e emite o MEI (Micro Empreendedor Individual).

Em 15 dias, você tem seu CNPJ por uma taxa simbólica de, no máximo R$62, lhe permite contratar 2 pessoas, e autoriza você faturar até R$80 mil no ano.

Contudo, já existe um projeto aprovado no Senado e encaminhado à Câmara que permite aumentar o teto do faturamento do MEI para até R$130 mil/ano.

Isso permite com que você como MEI possa ter mais liberdade par ampliar o seu negócio e, caso seja o seu objetivo, começar a importar mesmo sendo MEI.

Mas a grande questão é: por que abrir um CNPJ ou um MEI? O motivo é que isso te fará dar um passo a mais e vai te dar um compromisso maior com seu negócio.

Se você se utiliza da importação como pessoa física apenas como um meio para complementar a renda, o CNPJ fará com que você foque mais naquele empreendimento.

Da mesma forma, quando você faz uma assinatura na Netflix ou na Disney, em que assistir justifica o pagamento daquela mensalidade, o seu empenho com a empresa justifica a mensalidade do CNPJ.

A grande questão não é o pagamento da mensalidade, mas o passo importante que você dá em se profissionalizar e levar a sério seu novo trabalho.

Lembre-se que, com seu CNPJ, você passa a ser chefe de si mesmo e tem maior liberdade para investir em um produto que você acredita.

Busque sempre se profissionalizar e construir sua trajetória de forma séria. Esse é o primeiro passo no caminho para o sucesso na importação.

Gostou das dicas? Então acompanhe nosso blog, siga nossas redes sociais e inscreva-se no nosso canal no Youtube para mais conteúdos.

Até a próxima!

Texto de Paulo Santos, diretamente de São Vicente/SP.


Veja Também


Deixe seu comentário