Nem sempre vale a pena importar da China

Países como a China apresentam grande popularidade devido à fabricação dos mais diversos produtos negociados nas importações diárias e também atraentes para os importadores de países como o Brasil devido ao baixo preço de produção e boa qualidade dos produtos. Atualmente, os questionamentos a respeito das vantagens de se importar um produto de um fabricante chinês são claros.  É comum sentir insegurança frente à um passo novo para o seu negócio, então é importante se certificar de que você sabe como determinar o produto que vai importar, com o menor risco possível.

No entanto, embora a maioria dos produtos fabricados pela China e importados pelo Brasil sejam vantajosos para os negociantes, existem alguns que podem ser considerados um verdadeiro bom negócio da China. Se o questionamento “vale a pena importar todos os produtos da China?” fosse realizado, a maioria das pessoas responderia que SIM, pois é essa visão que os leigos possuem sobre o assunto.

Contudo, vale a pena ressaltar que em alguns casos, a escolha mais vantajosa é a compra de produtos fabricados no Brasil ou de uma importadora que tenha estoque no território brasileiro, especialmente devido a algumas “barreiras” impostas aos importadores.

 

Importar da China
Nem sempre vale a pena importar da China. Fonte: Adzimports

 

Considerando então as desvantagens ao importar da China, vale a pena para você, importador ou negociante, ler este artigo e compreender em quais casos a importação de produtos da China não vale a pena! Ficou interessado? Leia este artigo e saiba qual é o melhor caminho a seguir.

 

Quais são as possíveis barreiras aos importadores da China?

As duas principais barreiras ao importar da China são os custos fixos de importação e a quantidade mínima de importação. Saiba um pouco mais sobre lendo os tópicos a seguir.

 

– Custos fixos de importação

Apesar de não ser um processo difícil, os negociantes que desejam importar da China precisam ter em mente que algumas barreiras aparecerão durante esse trâmite. A primeira barreira se refere aos custos fixos de importação, pois toda importação terá um custo a ser pago, independente se a quantidade de produtos for pequena ou grande.

 

Importar da China
A barreira dos custos fixos de importação. Fonte: Blog.Conexos

 

No entanto, cabe ressaltar que a quantidade do produto interferirá no valor a ser pago pelo importador. Por exemplo, quanto maior for a quantidade de produto a ser importado por um designado país, mais baixos serão os custos fixos de importação de cada produto.

Para mais informações sobre os custos fixos da importação da China, assista ao vídeo abaixo e fique mais informado sobre como calcular o valor a ser pago na sua importação.

 

– Quantidade mínima de importação de produtos da China           

As fábricas chinesas estabelecem uma quantidade mínima para a exportação de seus produtos, independente se estas fábricas são de grande ou pequeno porte. Desta forma, muitas vezes alguns negociantes ou importadores possuem interesse em importar um determinado produto da China, porém não possuem demanda suficiente para a compra, ou seja, não atingem a quantidade mínima de importação exigida.

 

Importar da China
A quantidade mínima para importar da China. Fonte: Br.Sputniknews

 

Para saber mais sobre a quantidade mínima de importação de produtos da China e sobre o valor mínimo destas importações, assista aos vídeos abaixo e tire todas as suas dúvidas sobre.

 

Quando não vale a pena importar da China?

Não vale a pena importar da China em alguns casos mais específicos como, por exemplo, para aqueles que estão abrindo um novo varejo ou um novo e-commerce.

 

Importar da China
A abertura de um novo varejo e as importações chinesas. Fonte: Exame.Abril

 

Esta afirmação é feita com base nas despesas que novos negociantes terão ao abrir o seu negócio, considerando que no início de qualquer negócio o capital de investimento encontra-se um pouco limitado, reduzindo assim a possibilidade de grandes gastos com a importação. Desta forma, estes negociantes não teriam vantagem ao importar produtos da China devido aos gastos com as duas barreiras citadas anteriormente, os custos fixos de importação e a quantidade mínima de importação de produtos.

Portanto, fica a dica para os novos negociantes que seria melhor poupar o dinheiro e investir com inteligência na compra de produtos de importadores que já possuem produtos em estoque. Com este tipo de negociação, alguns ajustes quanto à forma de pagamento também são possíveis.  

Nos casos do e-commerce, sugere-se a compra de produtos de importadores que já possuem mercadorias em estoque devido à necessidade de variedade. Produtos com designs e preços distintos tornam o e-commerce atrativo. No entanto, a compra de produtos variados impossibilita a importação da quantidade mínima de produtos solicitada pelas fábricas da China.

 

Importar da China
A ascensão do e-commerce e as barreiras para importar da China / Fonte: Sdcexec

 

Quando começar a importar os produtos da China?

Recomenda-se o início da importação de produtos da China após o estudo a respeito dos produtos comercializados e, também, daqueles produtos que são mais adquiridos pelos clientes. Desta forma, o dinheiro que você investirá com os custos fixos de importação e com a compra da quantidade mínima de produtos solicitada pelas fábricas da China não será “perdido”.

 

Não importe da China produtos proibidos

Além das barreiras relacionadas aos custos impostas para os importadores, também existem alguns produtos que são proibidos importar da China conforme descrito pelo Regulamento Aduaneiro. Neste regulamento, Lei deixa claro entre os artigos 597 a 637 os casos de restrição ou de proibição dos produtos a serem importados.

 

Importar da China
A importação de produtos proibidos da China. Fonte: Claudia Matarazzo

 

Considerando os produtos proibidos, destaca-se: os produtos químicos, utilizados para a elaboração de substâncias entorpecentes; os cigarros, para a maioria dos casos; as réplicas ou produtos de marcas falsificadas; fonogramas, livros, obras audiovisuais, onde haja indício de violação ao direito autoral, popularmente conhecidos como produtos “piratas”; brinquedos, réplicas e simulacros de armas de fogo, se estes forem muito parecidos com armas reais.

Alguns produtos considerados proibidos poderão ser importados com a concessão de ministérios e comissões, tais como: medicamentos, drogas, insumos farmacêuticos, saneantes domissanitários, produtos de correção estética, exceto sob autorização pelo Ministério da Saúde; organismos geneticamente modificados e seus derivados destinados a pesquisa ou a uso comercial, exceto sob autorização da Comissão Nacional de Biossegurança; resíduos sólidos perigosos e rejeitos, se possível de causar dano ao meio ambiente, saúde pública, ainda que forem ser tratados; agrotóxicos e seus componentes, exceto se estes forem previamente registrados em órgão federal dos setores da saúde, do meio ambiente e da agricultura; nenhuma espécie animal da fauna silvestre, exceto com uma licença expedida pelo Ministério do Meio Ambiente.

 

Considerações finais sobre o que não importar da China

 Assim como é de extrema importância saber as vantagens ao importar qualquer produto da China, esse artigo deixa claro que nem sempre vale a pena importar diretamente da China e o reconhecimento das situações não vantajosas é necessário.

 Ficar atento aos aspectos como custos fixos de importação, quantidade mínima de importação de produtos e os produtos proibidos é algo relevante, principalmente para os novos negociantes. Nem sempre a compra de produtos das importadoras brasileiras será algo ruim, principalmente para aqueles em início de carreira no varejo ou no e-commerce.

Por fim, a China Link Trading espera que esse artigo tenha ajudado e sanado as possíveis dúvidas ao considerar a importação de produtos diretamente da China sem receio!

 

Por Laura Mochiatti Guijo, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: Importar Tudo, Adzimports,
Blog.Conexos, Br.Sputniknews, Exame.Abril, Sdcexec, Claudia Matarazzo

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário