Macau: onde as culturas chinesa e portuguesa convivem há séculos!

A China é um país repleto de destinos fascinantes, seja por sua história milenar ou pelos progressos dos últimos anos, criando cenários que misturam o antigo e o moderno. Em um país onde construções milenares dividem espaço com arranha-céus de aço e vidro, um turista com certeza tem muito para ver e aproveitar. Visitando a China, é possível perceber também as influências europeias que marcaram seus lugares séculos atrás e ainda hoje estão muito presentes. Uma das maiores expressões da influência europeia na China é com certeza a cidade de Macau, no sul da China. Quer saber mais? Continue conosco!

 

Um pouco da história de Macau

Há muitos anos, mais especificamente em 1513, navegadores portugueses liderados por Jorge Álvares colocaram pela primeira vez seus pés em solo chinês, em um local chamado por eles de Tamão, localizado a aproximadamente 80 quilômetros da foz do Rio das Pérolas. Os navegadores tinham interesse em estabelecer um assentamento no local, para assegurar seu comércio no extremo oriente. Mas como a região tinha águas rasas, os exploradores resolveram procurar um local mais além para seu entreposto. E é aí que entra Macau. A região, que era povoada apenas por pescadores à época e seria a nova base de operações portuguesas no extremo oriente. Conforme um acordo feito com oficiais chineses em troca de expulsar os piratas locais, que haviam se tornado uma dor de cabeça para o governo da região. Esse acordo levaria a 400 anos de grande influência portuguesa em Macau, conhecida pelos chineses como “Ou Mun”.

 

macau
Vista de Macau durante a noite. Image by: China Link

 

A região cresceu rapidamente como centro comercial português. Representando os comerciantes chineses, os navegadores portugueses transportavam as mercadorias chinesas para Goa, na Índia, onde trocavam por algodão e tecidos. Então, os produtos indianos eram levados para Malaca, na atual Malásia, onde eram trocados por especiarias e sândalo. Por fim, os produtos de Malaca eram levados ao Japão e trocados por prata, espadas, artigos de laca e leques e então levados de volta à China para serem trocados por novos produtos chineses. Era realmente uma enorme viagem, mas garantiu muitos lucros aos portugueses na região.

O crescimento de Macau levou muitos portugueses e chineses a se mudarem para a região. Ao final do século XVII, a região já contava com mais de 40 mil habitantes! Além de se tornar um centro do cristianismo na Ásia, os portugueses e seus descendentes transformaram Macau em uma “casa fora de casa”, com luxuosas mansões e casarões ao longo das praias pagas com seu controle do comércio entre a China e o Japão. Entretanto, com o passar das décadas a importância de Macau começou a decair, e quando os britânicos tomaram o controle de Hong Kong no século XIX, Macau deixou de ser o grande centro comercial europeu no extremo oriente.

 

Algumas das muitas atrações de Macau

Mesmo com perda de influência dos portugueses em Macau e o retorno do controle da região para a China em 1999, a cidade continua sendo uma região administrativa autônoma da China, e os séculos de presença estrangeira criaram uma cidade cheia de atrações turísticas prontas para ser exploradas por visitantes chineses e de todo o mundo. Apesar de muitas das vistas de Macau serem de influência portuguesa, como veremos abaixo, os aspectos da cultura tradicional chinesa não foram excluídos.

O Templo A-Má

Um destino famoso em Macau é o “Templo A-Má”. Esse templo já existia antes mesmo da própria cidade de Macau, e estima-se que tenha sido construído no ano de 1488, na Dinastia Ming. Situado na parte oeste da Colina da Barra, possui várias divisões, sendo elas: o Pavilhão do Portão, o Arco Memorial, o Salão das Orações, o Salão da Benevolência, o Salão de Guanyin, e o pavilhão budista Zhengjiao Chanlin. Cada uma das partes foi construída em harmonia com as belezas naturais que as cercam, e a diversidade de divisões dedicadas a diferentes deidades torna o templo A-Má um bom exemplo da cultura chinesa e suas crenças populares, como o Confucionismo, o Taoísmo, o Budismo, além de muitas outras.

 

Macau
O templo de A-Má. Image by: Wikimedia Commons

O Quartel dos Mouros

Outro local a ser explorado é o “Quartel dos Mouros”. Construído em 1874 originalmente como o quartel dos soldados indianos enviados de Goa para Macau, a construção é de grande beleza arquitetônica. O estilo usado para o quartel é muito parecido com o que é visto no mundo árabe, e conta com uma longa varanda sustentada por pilares de marfim amarelos. Em 1905, o local foi designado como escritório da autoridade dos portos de Macau, e por estar próximo ao Porto da Barra, costuma emitir sinais de tufões para marinheiros e pescadores da região. O Quartel dos Mouros entrou para a lista de Patrimônios Culturais da UNESCO em 2005 e recebe visitantes de todos os lugares.

 

O “Quartel dos Mouros”. Image by: Wikimedia Commons

O Leal Senado

O Edifício do Leal Senado é mais uma atração histórica de Macau, sendo esta, diferentemente das que vimos acima, de maior presença arquitetônica portuguesa. Construído em 1784, esta era e continua sendo parte da Câmara Municipal de Macau. O nome “Leal Senado”, tem origem do título “Cidade do (Santo) Nome de Deus de Macau, Não há outra mais leal”, concedido pelo rei João IV de Portugal em 1654, após Portugal ter sua independência da união com os espanhóis, já que durante o período o povo de Macau se manteve leal ao rei português. O edifício foi construído em estilo neoclássico, e o manteve até os dias atuais. No térreo existe uma câmara cerimonial que leva a uma biblioteca que foi construída com inspiração na biblioteca do Convento de Mafra, em Portugal, além de contar também com uma pequena capela.

 

O “Leal Senado”. Image by: Wikimedia Commons

 

Macau, assim como muitos outros destinos turísticos da China, é uma cidade de grande riqueza cultural, histórica e arquitetônica. As influências portuguesas se misturam aos aspectos mais tradicionais das origens chinesas, criando belos cenários e diversas curiosidades a serem descobertas.

Se você planeja visitar a China, tente conhecer Macau, com certeza será uma viagem enriquecedora e repleta de lembranças para compartilhar com seus amigos e familiares!

 

Por Arthur Bonsaglia, diretamente de Marília, SP – Brasil.

Fontes: Macau World Heritage, Lonely Planet, Visit Our China, Macao Tourism, Secret Macau.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário