As Influências Climáticas na Economia Chinesa

1370980352_0-528x360

Entre as oito maiores economias do mundo, e sob o princípio de “um país, dois sistemas”, Hong Kong desfruta de grande independência da China.

Hoje, a Região Administrativa Especial da República Popular da China, se preocupa com os impactos climáticos em sua economia.  De acordo com o Carbon Disclosure Project (CDP), uma entidade de pesquisas climáticas sem fins lucrativos que tem por objetivo o incentivo às empresas e governos a divulgarem os seus índices de impacto no meio ambiente, as cidades que mais investem em programas e iniciativas para o meio ambiente também são aquelas que mais afetam negativamente.

Hong Kong, conforme os dados do CDP, está investindo cerca de US$ 2,7 bilhões em proteção contra inundações, como por exemplo, tanques subterrâneos de armazenamento e construção de túneis de drenagem. Um exemplo de dano ocorrido na cidade foi com a fornecedora de energia, que gastou cerca de US$ 193 mil para aumentar o nível dos pisos, pois não tinha uma estrutura que pudesse conter o aumento do nível do mar.

Em uma situação parecida, encontra-se a China que com mais de vinte rios, sendo o maior deles o Rio Yangtsé, sofre com inundações quando há chuvas muito fortes.

Segundo o Atlas de Risco de Mudanças Climáticas e Ambientais, os países que representam 31% do PIB mundial sofrerão com o aumento das mudanças climáticas. O relatório faz um levantamento que considera os riscos que cada país correrá nas categorias: exposição aos eventos climáticos extremos, infraestrutura, capacidade adaptativa das populações, segurança dos recursos e eficiência do governo.

Ainda segundo esse relatório “Na China, a Maplecroft afirma que o centro de produção manufatureira do país, que engloba as cidades de Guangzhou, Dongguan e Foshan, está entre os mais expostos aos riscos físicos de eventos climáticos extremos.”

Incluída na categoria de “risco extremo”, a economia chinesa fica exposta não só a enchentes, mas também a qualquer tipo de catástrofe climática e ascende um alerta: Considerando que a maior parte da produção econômica chinesa se concentra na zona costeira do leste do país, dependendo da dimensão de algum efeito climático, afetará não só a economia da China, mas todos aqueles dependentes de alguma forma de seu mercado.

10410340_800721353317818_7151259013914711787_n

Este artigo foi escrito pela graduanda de Relações Internacionais, Wlly Rebeca Suzart Camara, Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo – SP. 


Veja Também


Deixe seu comentário