Importar Xiaomi: vale a pena?

A praticidade de se ter um smartphone faz dele um dos objetos mais procurados pelos consumidores. No varejo, existem inúmeras opções de marcas e modelos para atender às demandas e necessidades de todo tipo de público. Dentre essas marcas, uma que está conquistando cada vez mais o gosto dos brasileiros é a Xiaomi, considerada a “Apple da China. Muitas pessoas querem importar celulares da Xiaomi para o Brasil, mas será que é permitido? Vale a pena? Confira a resposta dessas perguntas e muito mais neste artigo!

 

Xiaomi
O Xiaomi Mi A1

 

O que é a Xiaomi?

Em 2019, poucas pessoas vivem sem utilizar um smartphone. Quem é mais antigo acompanhou a evolução do celular, que passou de um aparelho pesado e gigante, o qual apenas fazia e recebia ligações, para praticamente um computador que cabe dentro do seu bolso. Os smartphones são indispensáveis no nosso dia-a-dia, pois o usamos não apenas para nos comunicarmos, mas para quase tudo atualmente, desde para pedir um Uber ou uma carona, fazer serviços financeiros e até cuidar da própria saúde, com aplicativos que ajudam a monitorar a dieta e os exercícios físicos.

A Xiaomi (小米), uma das marcas cada vez mais queridinhas pelos brasileiros, é relativamente jovem, pois foi fundada em 2010. Muitas pessoas que querem importar celulares e computadores da China buscam essa marca, que está crescendo e ganhando cada vez mais mercado. A empresa começou produzindo celulares, mas atualmente tem também uma linha de notebooks.

As suas principais linhas de smartphones são a Mi e a Redmi, esta última mais conhecida no Brasil. Além disso, a Xiaomi também produz uma variada linha de gadgets, como smartwatches, acessórios para celular, televisões e caixinhas de som e até mesmo produtos inovadores como uma scooter elétrica, câmeras de segurança e lâmpadas LEDs inteligentes. A empresa tem investido também em eletrodomésticos, como geladeiras e chaleiras inteligentes.

Hoje em dia, cabe lembrar que os smartwatches, gadgets que possuem inúmeras funções além de mostrar as horas são considerados produtos tranding, isto é, uma grande tendência no mercado mundial, cuja procura vem aumentando, inclusive no Brasil e há a vantagem de não precisar da anuência de alguns órgãos de fiscalização como a ANATEL. Fora isso, acessórios para celulares, caixinhas de som, dentre outros são produtos cada vez mais visados pelo mercado consumidor brasileiro e a Xiaomi, que tem um portfolio de produtos cada vez mais diversificado e sofisticado, também está entrando com tudo nesses segmentos.

Confira nosso vídeo sobre se vale a pena importar smartwatches da China aqui!

 

Vale a pena importar a Xiaomi?

Quando as pessoas pensam em produtos “made in China”, logo vem à mente aquelas mercadorias baratas, de baixa qualidade, os famosos produtos “xing-ling”. Embora haja produtos assim, a China tem investido cada vez mais em produtos com maior valor agregado, os quais competem de igual para igual com marcas mais conhecidas ocidentais e japonesas.

 

Xiaomi

 

Em relação aos smartphones, a questão é a mesma, pois há marcas de diferentes qualidades. Todavia, generalizar todos os smartphones chineses como ruins ou inferiores é um erro enorme!

A Xiaomi tem desenvolvido smartphones com tecnologias cada vez mais avançadas, o que tem tornado os seus produtos mais valorizados e aumentando a sua vantagem competitiva dentro do mercado global. E isso tem suas vantagens e desvantagens para quem deseja importar smartphones da Xiaomi para o Brasil.

 

Quais as vantagens e desvantagens de se importar um smartphone Xiaomi?

A vantagem é que, por ser um produto considerado de marca, os celulares fabricados pela Xiaomi já possuem todo um marketing por trás delas, isto é, elas se vendem sozinhas. Apesar da marca ainda estar ganhando espaço no mercado brasileiro, a Xiaomi vem se popularizando e tendo cada vez mais usuários. Isso significa que, muito provavelmente, o importador conseguirá zerar o seu estoque, sem deixar mercadoria parada.

A principal desvantagem está relacionada com o que foi dito acima. Por ser um produto de marca, eles precisam de uma autorização para ser importado. Para importar, precisa-se da anuência da ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações) e do INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Além disso, a Xiaomi já conta, na maioria dos estados brasileiros, com um distribuidor oficial, que é a Ricardo Eletro, e recentemente também inaugurou uma loja física em São Paulo, ou seja, caso o importador contacte a fábrica da Xiaomi, provavelmente será redirecionado para um desses canais oficiais de venda e distribuição.

Quer saber mais? Confira o nosso vídeo sobre isso aqui!

Isso pode levar a um outro questionamento: posso importar produtos de marca para o Brasil? Confira abaixo a resposta!

 

A importação de produtos de marca no Brasil para consumo próprio

Muitas pessoas querem começar empreendendo através da importação e enxergam na importação de produtos de marca uma grande oportunidade para ter sucesso e um bom retorno rápido. Mas será que é tão fácil e até mesmo legal fazer a importação desses tipos de produtos?

 

registro-de-marcas-na-china

 

Primeiramente, é bom diferenciar para qual finalidade você deseja importar: se é para consumo próprio ou para revenda. Trataremos agora da importação para o consumo pessoal. Segundo a legislação brasileira, é legal você comprar produtos de marcas de outros países e trazê-los para o Brasil para uso individual. Em relação aos impostos pagos, caso uma pessoa física no exterior envie algum produto para uma outra pessoa física no Brasil com o valor de no máximo U$ 50, então a pessoa está isenta de pagar impostos. Cabe lembrar que uma pessoa física não pode importar mais do que U$ 500, valor esse que inclui o valor da mercadoria somado ao frete e está sujeita à cobrança de impostos pela Receita Federal, com uma taxa que representa 60% do valor da mercadoria mais o frete, sem contar com taxas alfandegárias, dentre outras taxas. Uma observação muito importante a ser feita: a importação não é uma ciência exata, isto é, não é porque você é uma pessoa física e comprou de uma pessoa física com o valor de até U$ 50 que estará tudo bem! É muito difícil prever qual será a avaliação do auditor ou técnico da Receita Federal num determinado dia, pois se ele pensar que você não comprou de uma pessoa física e sim de um site, então provavelmente será taxado. Então, na hora de fazer o cálculo, sempre considere a possibilidade de ter que pagar impostos!

 

Posso importar produtos de marca para revender?

Àqueles que desejam importar produtos de marca para revender no Brasil também têm suas dificuldades. Infelizmente, você apenas pode importar produtos desse tipo caso consiga a autorização da marca ou obtenha dela os direitos para revendê-los. Para tanto, é necessário pagar para ter o direito de importar e comercializar esse tipo de produto.

 

Tenha a sua própria marca na China!

Por outro lado, há a possibilidade de você produzir a sua própria marca na China. Caso já tenha uma boa distribuição, isto é, pessoas interessadas naquilo que você comercializa e que gera um volume de vendas significante, você pode produzir a sua marca na China, com a vantagem de poder colocar o seu logotipo e a sua embalagem por lá.

Saiba mais sobre importação de produtos de marca aqui!

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco!

 

Por Victor Fumoto, diretamente de Indaiatuba, SP – Brasil

Fontes: Canal do Youtube da China Link, Blog da China Link.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário