Importar vinhos da China: Um negócio em ascensão

A China está ficando cada vez mais presente em todo o mundo e se espalha pelo globo das mais diversas formas, não somente através dos itens eletrônicos ou bijuterias e outros “Made in China” que estamos mais acostumados a pensar. O gigante asiático vem investindo nas mais diversas áreas de produtos e serviços, entre as quais se destaca a área de produção de vinhos, que atrai cada vez mais negócios para o país.

 

importar
Imagem de Chinagate.com.br

 

Assim, temos que esquecer a ideia muitas vezes difundida de que os produtos chineses são de qualidade ruim e duvidosa. A China está cada vez mais investindo em qualidade nos seus setores de produção, inclusive na produção de vinhos. Importar vinhos da China é um bom negócio e é um diferencial no mercado, agradando o gosto dos clientes.

 

Importar vinhos da China: existe mercado?

Muitas vezes podemos estranhar quando falam em importar vinhos da China, pois não é muito comum ouvir falar de produtos chineses nesse ramo. Porém, quem pensa que não há mercado para importar vinhos da China está muito enganado. O gigante asiático é hoje o quarto maior país consumidor de vinhos do mundo, atrás da França, Estados Unidos e Itália. E o sétimo produtor mundial. Faz nada mais nada menos que 1,4 bilhões de garrafas por ano.

Logo, a grande potência vitícola mundial atualmente é a China, seja na produção de vinhos ou no consumo de vinhos e espumantes. De acordo com o relatório da OIV (Organização Internacional da Uva e do Vinho), a China passou a França em área de vinhedos e agora está atrás apenas da Espanha.

Em termos de qualidade dos vinhos, segundo especialistas, os chineses estão aprendendo a fazer vinho, e a qualidade vem melhorando a cada ano. Avanços quanto ao local de plantio e aos métodos de vinificação vêm melhorando a qualidade dos vinhos chineses.

O vinho tinto lidera as vendas na China. Em 2013, a China ultrapassou a França nas vendas de vinho tinto. A crescente classe média chinesa vem mostrando interesse no consumo de vinho. Atualmente a China é o quinto país no ranking de consumo de vinhos.

 


Aumenta a popularidade dos vinhos chineses. Imagem de Gq.globo.com.

Histórico da produção de vinhos na China

Importar vinhos da China pode ser um bom diferencial e a produção chinesa está crescendo continuamente. Contudo, na realidade, a China produz vinhos há séculos. Os primeiros registros têm mais de 2 mil anos. Mas o vinho era um bem tão precioso que era consumido somente em rituais sagrados e no palácio do Imperador.

A indústria do vinho só foi estabelecida, de verdade, no final do século 19. Os métodos atualizados de vinificação, bem como cultivo de maior variedade de uvas, só foram introduzidos na década de 80.

Com o desenvolvimento econômico do país que assistimos nas últimas décadas, a demanda por vinhos de qualidade superior cresceu e os produtores estão acompanhando esse movimento.

Alguns produtores chineses vêm se beneficiando por meio de joint ventures com parceiros estrangeiros. Com essa transferência de conhecimento, os vinhos chineses, que eram produzidos de maneira pouco ortodoxa até pouco tempo atrás, têm se aproximado de padrões internacionais.

 

Previsões do mercado chinês de vinho

Ao analisar o mercado chinês para considerar importar vinhos da China, podemos constatar tendência é que a China possa liderar o ranking de consumo de vinho, pois o consumo per capita chinês ainda é baixíssimo, em torno de 1 litro por ano, sendo assim, dado o tamanho da população, mesmo uma pequena mudança ascendente poderia impulsionar o consumo de vinho na China. Por outro lado, se o consumo interno se mantiver estável e a produção continuar aumentando, poderá haver um excesso de oferta de vinho.

As principais regiões produtoras são o Vale do Hualai, a noroeste de Pequim e Ningxia, na China Central, conhecida por tintos premium. A província de Shandong, no nordeste da China tem a maior produção e a cidade de Yantai é o local do festival anual de vinhos.

 

importar

Os vinhedos crescem muito na China. Imagem de Exame.abril.com.br.

O número de garrafas de vinho tinto consumidas em 2013 na China é de 1,86 bilhões; o número aproximado de acres de vinícolas da China, ficando atrás apenas da Espanha, é de 2 milhões; e o número aproximado de vinícolas nacionais é de 500. De modo que a China se destaca no mercado como uma possível e boa exportadora de vinhos.

 

Regras para importar vinhos no Brasil

Contudo, na hora de importar qualquer produto de outro país, não podemos esquecer das regras específicas, que também existem no caso de importar vinhos da China. A legislação brasileira tem normas específicas para a importação de vinhos. Além da necessidade de obtenção da licença de importação, também há a obrigatoriedade de exame laboratorial. Dentre as complexidades para a importação da bebida, podemos destacar a rotulagem e o certificado de origem e análise do vinho e da uva como as principais.

 

Importação de vinhos

Para agilizar os trâmites e reduzir os prazos e custos, vale observar que conforme a legislação vigente, “o vinho e derivados da uva e do vinho alcoólicos importados, de mesma denominação, mesma marca comercial e mesmo produtor ou engarrafador, que apresentar comercialização autorizada pelo MAPA, no período de até doze meses anteriores à importação e que não apresentarem quaisquer desconformidades nesse período, poderão ser dispensados da colheita de amostra”. (Instrução Normativa nº 54, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, de 18 de novembro de 2009).

Até 2015 havia a necessidade de selo específico de IPI. Atualmente, não há mais essa exigência para os produtos classificados na posição da NCM 2204, diferentemente da importação de destilados, que de forma geral segue com a obrigatoriedade deste selo.

Podemos concluir que entre as diversas áreas em que a China se destaca está a produção e comercialização de vinhos, que vêm melhorando cada vez mais no quesito qualidade. Assim, importar vinhos da China pode ser realmente um bom negócio, com o oferecimento de um produto de qualidade, diferenciado e muitas vezes mais barato.

Agora que você já sabe os prós e contras da importação de vinho, que tal assistir esse vídeo onde falamos sobre o capital ideal para importação? Qual valor preciso para começar a importar um produto?

 

Por Pedro Mochiatti Guijo, diretamente de Marília, SP – Brasil

Fontes: Falandoemvinhos.wordpress, Interseas.com, Gq.globo.com, Tintosetantos.com.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário