Importar da China ou dos Estados Unidos?

Importar da China ou dos Estados Unidos? Você já deve ter se perguntado de qual lugar é melhor importar. Os dois países têm vantagens incríveis e podem deixar em dúvida o importador que está trazendo produtos pela primeira vez e não sabe qual país escolher. Neste artigo vamos tirar esta dúvida: é melhor importar da China ou dos Estados Unidos?

Primeiramente, vamos apresentar as vantagens de importação de cada país e um explicação de seus respectivos processos de importação. Além disso, um resumo sobre a guerra comercial, que tem atingido a economia mundial por conta da disputa entre estes países.

 

Importar da China: vantagens

Escolher importar da China ou dos Estados Unidos é um desafio e tanto. Mas, os chineses podem apresentar o maior baixo custo de aquisição dos produtos. Isso se deve à moeda do país vendedor, o yuan. Esta representa um valor menor do que a moeda do país comprador. Além disso, o custo de produção também é baixo porque existe uma competitividade muito grande entre as empresas. A maioria vêm se reinventando sem pesar nos bolsos dos compradores internacionais.

 

Importar da China ou Estados dos Unidos?
A China é conhecida também como o gigante asiático, mesmo sendo menor que a Rússia, o maior país da Ásia.

 

Neste sentido, uma outra vantagem é o tempo de importação, que muitas vezes se torna menor do que o tempo de fabricação nacional. Além disso, existem muitos incentivos governamentais para importar da China, principalmente por meio de acordos.

Assim sendo, outras vantagens estão relacionadas à baixa agregação de mão de obra e variação cambial favorável a importação, por ser sempre estável. Por fim, outra grande vantagem de importar da China é a capacidade que os fabricantes chineses têm de fazer uma reinvenção do produto. Ou seja, uma personalização do produto com sua marca.

Isso porque eles possuem a experiência, tecnologia e infraestrutura necessárias para pensar em soluções capazes de reduzir o preço aplicado das mercadorias, sem que haja perda de qualidade na fabricação ou no produto final.

 

Importar da China: desvantagens

Mesmo com tantas vantagens, as desvantagens existem. Não é sempre que a importação da China é vantajosa. No caso da China, existem alguns empecilhos para alguns tipos de importadores. Estes podem ajudá-lo a decidir por importar da China ou Estados Unidos.

A primeira delas é que a maioria dos fabricantes apresentam ou trabalham com apenas uma linha de produtos específicos. Isso limita a escolha dos importadores que desejam variedade de produtos.

Outro ponto é que alguns fabricantes são falhos quanto ao conhecimento da licença. Falta também experiência para lidar com o trâmite do aeroporto e/ou porto, podendo propiciar alguns problemas com a carga. Em decorrência disso, a intermediação da negociação através de uma trading pode evitar prejuízos. Principalmente quando você precisa de auxílio e quer realizar o processo de acordo com todos trâmites legais brasileiros.

Diante disso, a negociação diretamente com o fabricante pode acarretar prejuízos para micro e pequenas empresas. Especialmente porque este tipo de negociação muitas vezes busca uma quantidade menor de produtos do que aquela exigida pelo fornecedor ou fabricante.

Para saber mais sobre a quantidade mínima de importação (o MOQ), assista ao vídeo abaixo:

 

Importar dos Estados Unidos: vantagens

Assim como na China, os EUA possuem muitas vantagens na importação de produtos quando pensamos em importar da China ou Estados Unidos. Primeiramente, é que ao importar produtos do país você tem certeza da originalidade dos produtos adquiridos. Este é um dos fatos mais relevantes na hora de optar por importar dos Estados Unidos. É importante pontuar aqui que a importação de réplicas da China é ilegal.

 

Importar da China ou Estados dos Unidos?
Diversos produtos de marcas consagradas são importados dos Estados Unidos para revenda no Brasil.

 

Além disso, a maior parte das marcas procuradas possuem sede nos EUA e eles tem regras rígidas sobre as políticas de controle de qualidade dos produtos que circulam por lá e também para o que se traz pra o Brasil. Esta fiscalização meticulosa garante a qualidade do produto. Em uma compra com a China diretamente do fornecedor, a qualidade não é tão garantida assim.

 

Importar dos Estados Unidos: desvantagens

Além das desvantagens apresentadas no caso da China, estas também se aplicam aos Estados Unidos. Muitos produtores podem só trabalhar com algum tipo específico de produto. Ainda é necessário arrumar fornecedores que se preocupem com os trâmites brasileiros na hora de importar.

A alfandega norte-americana também é bem restritiva em relação à importação de produtos, o que faz com que seja necessário procurar produtos e lojas extremamente confiáveis, e, mais uma vez, dispostas a se preocupar com a chega da mercadoria e não somente com a venda.

Tendo em vista isso, uma vantagem que aparece na China mas aqui a vemos como desvantagem é o preço muito alto dos produtos norte-americanos. Eventualmente, a alta do dólar torna qualquer produto dos Estados Unidos muito mais custoso ao importar dos EUA. Neste caso, dependendo do produto, muitas vezes seria de vantagem maior buscar o produto na indústria nacional ou importar de outros países como a China.

 

Importar da China: passo a passo

Primeiramente, em qualquer importação é importante definir o produto que você está interessado. Depois, o segundo passo é escolher se quer comprar diretamente do fabricante ou através de uma trading. Esta escolha é importante. Certamente, se você quer comprar diretamente do fornecedor, precisa entrar em contato com ele. Negociar diretamente com o fornecedor chinês só é indicado para empresários experientes na importação com a China.

 

Importar da China ou Estados dos Unidos?
Segundo o presidente chinês, Xi Jinping, 2020 será um ano histórico para o desenvolvimento do país.

 

A partir disso, adquirir confiança através do negócio e por fim ver os termos das importações. Se prefere comprar através de um intermediário, não é preciso ter qualquer preocupação. Apenas pagar pelo produto e pelo serviço que a empresa prestou. Se você quer saber mais a respeito desse assunto, fale conosco e conheça nossos serviços disponíveis.

 

Importar dos Estados Unidos: passo a passo

O passo a passo de importação dos EUA segue os mesmos requisitos do chinês. Entretanto, o único ponto que vale a pena levantar é que muitas das lojas mais importantes dos EUA não realizam o envio de seus produtos diretamente para o Brasil. E mesmo as que fazem, costumam cobrar um valor surpreendentemente exorbitante por isso.

 

Importar da China ou Estados dos Unidos?

 

Uma forma de resolver esse problema e importar dos EUA tranquilamente é contratar o serviço de uma empresa que fará o redirecionamento da encomenda.

 

Guerra comercial

Em meio aos últimos acontecimentos, não podemos falar de importar da China ou Estados Unidos sem falar da guerra comercial que ambos estão envolvidos desde 2018.

 

Importar da China ou Estados dos Unidos?

 

Com o argumento de que busca proteger os produtores norte-americanos e reverter o déficit comercial que os Estados Unidos tem com a China, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump vem anunciando tarifas sobre produtos importados do país asiático.

O objetivo é dificultar a chegada de produtos chineses aos Estados Unidos, fazendo com que se estimulasse a produção interna. O governo da China, por sua vez, tem reagido a esses anúncios com retaliações, chegando a impor também tarifas sobre produtos norte-americanos. Diante disso, as represálias atingiram centenas de bilhões de dólares em mercadorias, prejudicando mercados financeiros, afetando cadeias de fornecimento e desacelerando o crescimento global.

Por serem a primeira e a segunda maior economia do mundo, não existe um maior ganhador nessa situação. Por isso, se os dois países sofrerem consequências negativas dessa disputa como vem acontecendo, o temor é de que outros países e a economia global possa ser impactada, em uma reação em cadeia, prejudicando o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) global.

Em seu relatório de julho, o Fundo Monetário Internacional (FMI) apontou que o crescimento mundial segue em ritmo moderado diante da piora das relações entre China e Estados Unidos. A preocupação é com o comércio global, liderado pelas duas potências.

 

O acordo

Atualmente, essa guerra comercial está se desdobrando em novos acontecimentos. Uma série de fases está para se realizar e algumas delas já estão em andamento. A promessa chinesa de comprar mais US$ 200 bilhões em produtos dos EUA ao longo de dois anos para reduzir o déficit comercial bilateral com os norte-americanos que chegou a US$ 420 bilhões em 2018.

Um acordo, que colocará fim ao conflito, é previso ainda para o começo deste ano.

 

Por Barbara Pompei Corcioli, diretamente de Marília, SP – Brasil

Fonte: G1, Faz Comex, Estadão, Grupo Serpa e Academia do Importador

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário