Importações chinesas no Brasil e a nova lei do E-commerce

A China é um país muito atrativo por sua capacidade de exportação de produtos manufaturados. A compra de produtos chineses, principalmente pela internet, tem se tornado dia após dia mais popular no território brasileiro. Quem nunca comprou algum produto chinês disponibilizados por sites famosos como AliExpress?

Atualmente, muitos empresários têm buscado novos negócios, especialmente devido ao desejo de levar seu negócio a um novo patamar e buscar novas oportunidades em negociações internacionais. Uma boa alternativa para esta busca tem sido a importação de produtos da China para venda dos mesmos no Brasil por meio do E-commerce. As vendas de produtos chineses por meio do e-commerce têm se multiplicado, especialmente por se tratarem de vendas que podem ser realizadas no próprio ambiente domiciliar, facilitando a adesão de novos adeptos (vendedores ou compradores).  O país asiático tem sido reconhecido como o maior mercado de e-commerce a nível mundial, com um índice anual de crescimento das vendas no varejo online de mais de 30%.

No Brasil essa área também faz sucesso, como podemos ver nesse vídeo de exemplo que pode servir de inspiração a muitos! Conheça Gilmar Theobald, o empresário brasileiro que vende mais de R$ 1 milhão ao mês com e-commerce.

 

Importação e-commerce
A tendência do E-commerce de produtos da China no Brasil

 

O que é um E-commerce?

Os e-commerce, que em português significa comércio eletrônico, têm sido reconhecidos como uma das principais tendências de migração das relações de compra e venda realizada no meio digital, ou seja, em lojas virtuais. Desta forma, trata-se de uma categoria de comércio na qual as transações financeiras ocorrem por meio de dispositivos e plataformas eletrônicas, tais como computadores, notebooks, tabletes e celulares.

As vendas por meio de uma plataforma e-commerce só podem ocorrer se elas forem oriundas de uma única empresa, ou seja, de um único fabricante e/ou revendedor em uma plataforma online própria.

 

importação e-commerce
E-commerce torna-se popular devido à facilidade em vendas e à variedade infinita.

 

O interesse em importar produtos da China por meio do e-commerce tem aumentado devido às várias vantagens, tais como os preços altamente convidativos, tanto para a revenda lucrativa quanto para o comprador final adquirir um produto desejado com economia. e, também os produtos de qualidade fabricados pelos chineses.

Para saber mais sobre a importação de produtos chineses para lojas online brasileiras, assista ao vídeo:

 

O processo de importação de produtos para quem tem um E-commerce

Para quem tem um e-commerce saiba que ao importar qualquer produto da China os custo de impostos podem ser cobrados, assim como certas especificidades para a importação de cada produto. Afim de facilitar este processo de importação, tenha em mente que os produtos pequenos e leves, por sem mais fáceis de transportar, também apresentarão taxas mais baixas. No blog da China Link Trading, você encontra diversas dicas a respeito da importação de produtos da China e E-commerce.

 

E-commerce
Importação de produtos da China para quem tem um e-commerce

 

O e-commerce é um processo de comercialização legal, no qual as leis, tanto do Brasil quanto de âmbito internacional, vêm se adequando, especialmente por causa do aumento de consumidores e da regularização e popularização do processo de importação dos produtos chineses para os negociadores brasileiros.

Uma dica importante para quem trabalha com e-commerce e realiza importações da China é: verifique se o(s) produto(s) que você deseja comercializar apresenta bons índices de atratividade e venda dentre os consumidores brasileiros. Esta verificação é relevante a fim de evitar possíveis prejuízos, pois grande parte dos fornecedores da China solicitam uma quantidade mínima de volume de produtos para a importação.

 

Formas de importar legalmente para o seu E-commerce 

Existem duas formas mais comuns para importar produtos internacionais para o seu E-commerce.

A primeira forma é através de Dropshipping, na qual não existe a necessidade da manutenção de um estoque físico, pois o envio da mercadoria é feito do fornecedor para o cliente, com a presença de um intermediador (o responsável pela loja online).

A segunda é a importação direta, na qual você compra o produto do fornecedor, armazena em um local próprio (em território nacional). Assim, para a importação direta, você precisará ter uma licença Radar de Importação e passar pelo processo de desembaraço aduaneiro.

A China Link Trading oferece serviço de ativação de RADAR Siscomex para sua empresa poder começar a importar. Para mais informações, fale conosco!

Se seu objetivo é importar roupas da China para vender no seu e-commerce no Brasil, esse vídeo pode te ajudar muito! Se inscreva no nosso canal.

 

A aprovação da lei do e-commerce pela China e o combate à pirataria

A aprovação pelo governo chinês da primeira lei a favor das vendas por meio do comércio eletrônico ocorreu no mês de novembro de 2017. No entanto, este ano (2019) a China aprovou uma nova lei que provavelmente mudará as negociações do país. Esta nova lei entrou em vigor em 1º de janeiro de 2019 e inclui  cláusulas voltadas a remediação da venda de falsificações online em plataformas online.

O intuito desta lei é combater a venda de “pirataria” e fazer valer os direitos de propriedade intelectual de várias marcas nacionais e internacionais.

 

E-commerce
O fim da pirataria no comércio eletrônico.

 

Esta lei se aplica a sites individuais das empresas, da mesma maneira que vendedores e aos operadores/proprietários do comércio eletrônico (E-commerce). As exigências desta legislação são:

  • O registro como entidade(s) de mercado;
  • Seguir leis e regulamentações da China quanto à proteção dos dados pessoais dos diversos clientes;
  • Evitar o envolvimento em qualquer tipo de publicidade enganosa, como por exemplo, a não divulgação de mensagens pagas, a produção de informações não verdadeiras a respeito das negociações e a publicação de “fake” reviews ou a exclusão de reviews de usuários verdadeiros que escrevam características negativas sobre um determinado produto.

Apesar desta lei não ser muito bem recebida por todos, não é novidade que as marcas de luxo,replicadas em diversos produtos pelas falsificações chinesas, são as mais felizes com esta notícia.

 

Por Laura Mochiatti Guijo, diretamente de Ottawa, ON – Canadá

Fontes: Empreenda ecommerce, Pixabay, Exame Abril, E-commerce News, Rock Content, Daily Times

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário