A importação de produtos da China por microimportadores do Brasil

A China pode ser considerada um dos países que mais produz e exporta réplicas para diversos outros países, sendo um destes o Brasil. A revenda de produtos da China no Brasil está se tornando mais fácil e comum devido a viabilidade de vendas com grande margem de lucro para os micro importadores. Não é segredo para ninguém que a China é popularmente conhecida como uma grande fábrica de vários produtos e máquinas de alto custo. O Brasil apresenta um grande número de microimportadores que importam produtos fabricados na China, especialmente devido ao recorde de originalidade observado em cada design desenvolvido em diversas categorias, como observado em sites populares, tais como “Wish” ou “AliExpress”.

Ao contrário das empresas de grande porte, que importam produtos em transações milionárias da China, devido a uma consultoria de excelência realizada por equipes responsáveis pelo comércio exterior, a maioria dos micro importadores que vivem no Brasil ainda apresentam alguma dúvida a respeito do processo de importação da China.

 

A micro importação da China no Brasil – Fonte: Linkmex

Você, microimportador, ficou interessado neste assunto artigo? Nós da China Link Trading preparamos alguns tópicos que serão esclarecedores para o processo de importação de produtos em pequenas quantidades. Então leia este artigo e esclareça suas dúvidas!

 

A escolha de bons fornecedores e a revenda com CNPJ

A escolha de bons fornecedores é um aspecto crucial para os micro importadores a fim de evitar possíveis “calotes” e este processo pode ser realizado com o apoio de plataformas de e-commerce. Estas plataformas geralmente apresentam fabricantes chineses verificados pelo próprio site.

Após a escolha de bons fornecedores, atente-se ao fato de que para você revender produtos da China no Brasil, a compra destes precisa ser efetuada por uma empresa, ou seja, todos os micro importadores precisarão de um CNPJ ou um MEI. Isso evita prováveis riscos das encomendas serem apreendidas pela Receita Federal ao entrar no Brasil. Além da apreensão, você também estará sujeito ao pagamento de possíveis multas devido à ausência do CNPJ ou MEI.

 

Fique atento no valor da importação e preste atenção na conversão das moedas

Os micro importadores deverão se atentar ao valor da encomenda importada da China, pois ele interferirá no processo de importação. Em alguns casos, os micro importadores necessitarão contratar um despachante aduaneiro, que será o responsável por realizar o desembaraço de cada encomenda. Em casos cujas compras sejam de até 500 dólares, estas podem ser enviadas sem a necessidade da referida contratação.

 

microimportadores
A popularidade do processo de micro importação: Fonte – Vignatax

Uma excelente opção para micro importadores que revendem no Brasil é optar por serviços como o Importa Fácil dos Correios, nas quais as encomendas podem atingir o valor de até 3.000 dólares, incluindo os valores referentes aos produtos, frete e seguro. Com o uso deste serviço, os impostos não sofrem alteração, assim como não há necessidade de registros no Sistema do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Siscomex), responsável por regulamentar as transações.

Outro aspecto importante é que a compra de produtos fabricados em outro país exige que o microimportador se atente as variações cambiais.

 

O risco de apreensão ou perda de mercadorias da China

O maior risco de apreensão ou perda de mercadorias está na compra de produtos falsificados, ou seja, na importação de réplicas. No caso de importação de réplicas, a encomenda ficará presa na alfândega e, provavelmente, não será mais devolvida ao microimportador.

 

microimportadores
O controle da micro importação de réplicas produzidas pela China: Fonte – Laconceria

 

Na China, o governo chinês tenta administrar o controle da venda desses produtos, porém este controle é difícil devido à grande demanda das réplicas comercializadas fora do país asiático. Desta forma, infelizmente, a importação de réplicas é impulsionada pelo grande número de compradores.

Com relação a emissão da nota fiscal, este documento não será emitido pelos fabricantes do país asiático. Desta forma, o micro importador que realizará a revenda no Brasil será o responsável por emitir a nota fiscal pela própria empresa localizada no Brasil.

A emissão de todas as notas é feita de acordo com um documento denominado declaração simplificada de importação (especialmente para aquelas importações abaixo de 3 mil dólares) que é gerada com as informações da Commercial Invoice. A Commercial Invoice é um documento alfandegário, tal como a declaração aduaneira e é fornecida pela pessoa ou corporação que esteja exportando produtos através das fronteiras internacionais, ou seja, pelo fornecedor da China.

 Tenha em mente que para qualquer tipo de importação com a China, aspectos como planejamento e atenção são fundamentais. Além disso, fique atento pois todo micro importador que deseja revender produtos chineses no Brasil deverá pagar algum tipo de imposto a fim de permitir a entrada legal (sem problemas com a receita federal ou a alfandega) do produto no Brasil e autorizar a revenda.

 

Por Laura Mochiatti Guijo, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: Compra no exterior, Destino China, Labs.ebanx, Wikipedia, Vignatax, Laconceria

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário