Falando um pouco de Shanghai…que cidade é esta?

Já faz algum tempo que venho pensando em fazer alguns posts especificamente sobre Shanghai: a cidade, clima, o que fazer, onde ir, mercados populares etc. A ideia é responder de uma vez só as perguntas que recebo quase que diariamente aqui no blog ou por e-mail. Onde comprar, o que vale a pena visitar, como é o tempo, qual a moeda, tamanhos…

shanghai

Afinal, essa é a cidade que mais tenho intimidade na China. E uma relação de amor e ódio, como é normal para qualquer um. De fato essa também era a relação que tinha com minha cidade natal, Santos, quando vivia lá. Hoje só saudades e lembranças boas… a distância opera milagres, não é?

shanghai

Esse mês publicarei vários artigos com dicas sobre a cidade que nos escolheu para viver e usufruir dos seus segredos. Algumas delas podem ser usados para qualquer lugar na China, afinal não dá para separar tudo, acabamos por esbarrar em diversos ‘tips’ comuns.

Espero que possa facilitar a vida de quem quer conhecer a Pérola do Oriente!

Com vocês, Shanghai!

Shanghai (Xangai, como é conhecida no Brasil) é a maior cidade chinesa com uma população beirando os 24 milhões de pessoas, e também a maior cidade ‘apropriada’ pela população do mundo! Costumo dizer que aqui é a Torre de Babel do século 21.  Como centro financeiro da China e super globalizada, Shanghai está localizada no delta do rio Yangtze, na China Oriental.

shanghai

Cresceu em importância no século 19 devido ao reconhecimento europeu da sua localização portuária favorável e potencial econômico. A cidade foi uma das cinco cidades chinesas abertas ao comércio exterior após a vitória britânica sobre a China na Primeira Guerra do Ópio. A cidade floresceu como um centro de comércio e tornou-se o centro financeiro da Ásia-Pacífico em 1930. No entanto, na época em que o Partido Comunista Chinês (1949) tomou o poder, o comércio foi reorientado e a influência global da cidade diminuiu. Na década de 1990, as reformas econômicas resultaram em um intenso re-desenvolvimento da cidade, auxiliando o retorno das finanças e do investimento estrangeiro. Na realidade, desde 1986, quando Deng Xiaoping decidiu fazer de Shanghai a cidade que seria a ‘cabeça do dragão’, o coração econômico da China, e investiu pesadamente no desenvolvimento de Pudong, que antes era uma zona rural do outro lado do rio que passa em frente ao Bund, essa cidade não para de surpreender a cada dia. Em 30 anos as mudanças foram radicalmente grandes, enormes, estonteantes e outros tantos superlativos que também já fazem parte dessa nova China.

shanghai

É um popular destino turístico famoso por seus marcos históricos como The Bund, Jin’an Temple e Yu Garden, Qibao Old City, bem como o amplo horizonte de Lujiazui (Pudong) e os principais museus, incluindo o Museu de Shanghai e Museu de Arte da China.

A cidade é quase que uma bolha dentro da China, uma cidade cosmopolita que pode, facilmente, ser comparada com Nova Iorque, Tóquio, Singapura (inclusive no custo de vida!). E tudo isso se explica pela própria história dessa cidade, que desde sempre esteve um passo à frente do resto da China, seja por conceito, por abertura ao mundo, por querer ser uma China diferente do resto. Sabe aquela coisa de ser chinesa, mas com alguns pontos a mais que fazem toda a diferença?

Isso sem falar na inevitável comparação entre Puxi e Pudong, os dois lados da cidade, divididos pelo rio, que representa o antigo e o novo, a tradição e a modernidade, o burburinho e a calmaria, a parte da cidade que cresceu desenfreadamente, cortada por viadutos e ruas estreitas e a parte da cidade que foi planejada, com ruas largas e arborizadas.

shanghai

Assim é Shanghai. A pérola do Oriente.

Tudo isso tem um preço: destruição em massa de construções antigas, que contavam a história da cidade, das famílias e do desenvolvimento do país. Poluição em níveis alarmantes (mas ainda menores que de Beijing, a capital da China), tráfego caótico (se bem que quem vive em São Paulo, até ia achar razoável), custo de vida altíssimo (mas ainda assim mais barato que o do Brasil). Tudo em nome do progresso e de colocar a China no local em que seu nome em mandarim nos aponta: País do Centro, ou o que eles realmente acreditam: Centro do Mundo – Zhōngguó 中国.

Mas tenho certeza que entre prós e contras, quem visitar a cidade, a  deixará com um conceito completamente diferente sobre o que é a China.

E vou mais longe: vão querer voltar! =]

No próximo post, vamos falar sobre clima, moeda, idioma.

Continuem nos acompanhando aqui, no Facebook e no IG @chinanaminhavida

Zái Jiàn!

Fonte: China Na Minha Vida

Por Romero Castro – Direto de Pelotas – RS, Brasil.

 Acompanhe novidades no: www.facebook.com/ChinaLinkTrading

Se você precisar de qualquer apoio para começar a importar da China ou melhorar a sua operação aqui na Ásia, podemos apoiá-lo na busca de fábricas chinesas capazes. Nós fazemos a  procura de fornecedores chinesescontrole de qualidade e carregamento da carga para você em qualquer lugar na Ásia. Consulte nosso site para mais informações.


Veja Também


Deixe seu comentário