Guerras e oportunidades: exportação da carne brasileira para a China

Com o acirramento da guerra comercial entre os Estados Unidos e China, a qual estamos acompanhando há meses, a previsão é de que a tendência será do estreitamento das relações comerciais entre o Brasil e a China. Segundo o levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), com a elevação de tarifas de importação entre a potência norte americana e chinesa foi benéfica para o Brasil, elevando as exportações brasileiras em 8,1 bilhões em 2018, o que representou aproximadamente 35,8% de aumento. Dentre as principais previsões deste estreitamento das relações comerciais, destaca-se o aumento de exportação da carne brasileira para a China, representando uma enorme chance de alavancar os ganhos brasileiros no setor. Quer entender mais sobre isso? Vem comigo que eu te explico!

 

A aproximação do Brasil e da China

Embora a muitos tenham imaginado que as relações entre o Brasil e a China seriam abaladas em decorrência dos pronunciamentos feitos pelo novo presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, os quais levavam em conta o viés ideológico acima dos interesses econômicos, a prática demonstrou o contrário. A própria ministra da agricultura, Tereza Cristina, se pronunciou na segunda feira (6) sobre o assunto: caso os Estados Unidos e a China não alcancem um acordo, o Brasil poderá ser ainda mais beneficiado. Além disso, segundo o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, as críticas feitas pelo presidente Jair Bolsonaro ao país asiático foram superadas, e espera o avanço das relações comerciais entre os países.

O principal impacto da disputa entre as duas maiores economias do mundo no Brasil foi o aumento das exportações para a China. Nota-se grande crescimento nas vendas de produtos como tabaco, algodão, suco de laranja, milho e lagostas congeladas, uma vez que a China substituiu grande parte das suas importações destes produtos pelas brasileiras, no lugar das norte americanas.

Além dos produtos listados acima, outro produto brasileiro que ganhou mercado na China foi a carne bovina e derivados, o que representa uma das grandes apostas dos especialistas.

 

carne brasileira
O principal impacto da disputa entre as duas maiores economias do mundo no Brasil foi o aumento das exportações para a China.

 

Aumentando as exportações da carne brasileira para a China

Tendo em vista a grande oportunidade para a economia brasileira acima descrita, o Brasil não perdeu tempo: na terça feita (7), a ministra Tereza Cristina embarcou para a Ásia, onde buscou meios para abrir mercados para o Brasil, principalmente no setor de proteína animal, com o objetivo de promover o setor agropecuário brasileiro.

A expectativa inicial do aumento de exportações brasileiras no setor em questão, divulgada no final do ano passado, era de até 3%. Porém, o contexto chinês, embora trágico, é propício para que o sucesso de nossas exportações no setor aumente muito mais: com a produção de carne e derivados chinesa abalada por uma peste de origem africana, rebanhos inteiros de suínos estão sendo abatidos em diversas regiões da China, prejudicando a oferta de tais produtos no país cuja demanda dos mesmos é a maior do mundo.

Em vista disto, o presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Francisco Turra, avaliou que o Brasil deverá aumentar as exportações de carne (principalmente suína) em ainda mais 20% durante o ano de 2019. Em suas palavras: “O fato novo foi que a China vinha em ritmo crescente, mas nunca explosivo como este ano, ela passou a ter um risco de desabastecimento”, disse Turra ao comentar os danos causados aos estoques de carne causados pela peste na China.

 

carnes brasileiras
Brasil deverá aumentar as exportações de carne (principalmente suína) em ainda mais 20% durante o ano de 2019.

 

Impactos imediatos na exportação de carnes e outras previsões

Levando em conta que são necessários no mínimo oito meses para que o suíno seja esteja pronto para o abate, as necessidades da demanda chinesa por carne precisam ser supridas imediatamente através de importações do produto. Uma vez que essa demanda por suínos representa números impossíveis de serem atendidos por qualquer país, a China passou a buscar também por outras carnes, representando perspectiva para o aumento de exportação de frango do Brasil para a China. Neste sentido, também é esperado que os embarques de frango do Brasil atinjam novos recordes no ano de 2019, assim como acontecerá com os suínos, podendo crescer até mais do que 10%.

Os impactos foram imediatos: no mês passado (abril) já observamos aumento das exportações brasileiras no setor de carne em 44,3% em relação à abril do ano anterior. No total, as exportações brasileiras para a China no presente ano representaram, do início do ano até então, 26% de toda a carne vendida no Brasil, totalizando cerca de 2 milhões de toneladas da proteína animal.

Concluindo, segundo a ABPA, estima-se exportações de carne suína superiores a 800 mil toneladas em 2019, e de frango em torno de 4,5 milhões de toneladas, representando novos recordes para o setor de exportação brasileiro em questão, se bem explorada as oportunidades que surgiram para tal.

 

carnes brasileiras
Os impactos foram imediatos: no mês passado (abril) já observamos aumento das exportações brasileiras no setor de carne em 44,3% em relação à abril do ano anterior.

 

E aí, o que achou?

 

Por Caroline Malheiros Costa, diretamente de Marília, SP – Brasil.

Fontes: G1, El País Brasil, Veja, Portos e Navios, Agência Brasil. 

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário