Vale a pena ir à China para estudar?

Afinal, vale a pena viajar à China para estudar? É possível conseguir se dar bem no país asiático só falando inglês?

Neste artigo vamos dar as melhores dicas para quem deseja ir à China a fim de estudar. 

É melhor aprender mandarim no Brasil ou lá fora?

Vem com a gente e descubra!

Precisa ser fluente em mandarim para estudar na China?

Se você entrou neste artigo é porque você tem uma dúvida muito válida na sua mente: quero estudar na China, mas vale a pena?

Entretanto, a primeira coisa a se pensar é como você irá se comunicar quando chegar naquele país.

Existem quatro tipos de pessoas: as que não falam nem inglês nem mandarim.

Há, também, as que são fluentes apenas em mandarim; outras, são fluentes só no inglês, e, finalmente, as que dominam ambos idiomas.

Ir à China sem saber nada de inglês ou chinês: bom negócio?

Se você já pensa em ir à China para estudar, tem se organizado financeiramente, mas ainda não domina nem o inglês, é melhor esperar um pouco.

Use seu poder de investimento para, ao menos, estudar o inglês, porque é uma língua cada vez mais universal atualmente.

Na China, é muito difícil encontrar pessoas que dominem outros idiomas que não sejam o inglês e o mandarim.

É possível, mas muito difícil. Ao levar em conta a grande quantidade de pessoas e ambientes que você terá de lidar, saber pelo menos o inglês será útil.

A opção para este público pode ser, entretanto, fazer um intercâmbio na China, para estudar mandarim em tempo integral. 

Falaremos mais sobre isso ao longo do artigo.

Já domino o inglês, mas não sei nada de mandarim. Vale a pena? 

Neste caso em que a pessoa é fluente em inglês, mas não em mandarim, a experiência será boa, mas pode ser incompleta.

Como disse acima, estudar inglês facilita bastante a vida do intercambista que se aventura na China.

Fluente em inglês, será possível estudar academicamente em universidades chinesas que lecionam em inglês.

Isto significa que se você almeja estudar alguma profissão por lá, há essa possibilidade em razão de cursos ministrados em inglês.

Por outro lado, existem algumas limitações que, dependendo da pessoa, podem ser importantes.

Se o seu objetivo é apenas estudar sua profissão e depois retornar ao Brasil, sem interesse pela cultura e pelas relações com os chineses, não será um problema.

Agora, se, incluído com o pacote dos estudos, está o interesse em ampliar a mente e conhecer a China mais a fundo, é melhor aprender o mandarim primeiro.

Ir à China fluente em mandarim. Quais as vantagens?

É muito melhor ir à China já fluente no mandarim. O motivo é, ao saber falar chinês, fica bem mais fácil de fazer uma imersão na cultura do país.

Ou seja, entender porque as coisas na China são como são, isto é, conhecer o chinês mais profundamente e desenvolver relações mais firmes.

O chinês valoriza a língua dele e vê mais facilidade em lidar com quem já fala o mandarim.

Além disso, com a fluência em chinês, você não ficará alienado aos problemas do país e conseguirá compreender um pouco melhor como é a vida do chinês.

Sem falar das oportunidades que podem ser criadas a você naquele país depois dos estudos, por já conseguir se comunicar com os nativos chinês.

Então, sim. É melhor ir à China dominando o mandarim e o inglês, do que só o inglês.

 Entretanto, estudar no país sem nenhum dos idiomas é pior ainda, a não ser que você vá justamente para aprender mandarim.


Por que estudar na China?

Agora que entendemos que ser fluente em mandarim é uma grande vantagem para quem vai ao país, é preciso saber os motivos de se estudar na China.

Listamos algumas possibilidades de estudo na China. Veja com a que você mais se identifica. 

Aprender Mandarim

Como falamos acima, saber o mandarim é fundamental para quem deseja estudar na China.

Em razão disso, aprender a língua é fundamental. Aqui no Brasil temos cursos muito bons que podem capacitar bem os estudantes da língua.

Estas capacitações costumam levar cerca de três a quatro anos para preparar bem o estudante a falar com qualquer nativo.

Além disso, é teoricamente mais barato estudar chinês aqui no Brasil porque você não precisaria gastar tanto para ir a outro país.

Entretanto, ao colocarmos no papel e calcularmos o custo-benefício, chegaremos à conclusão de que vale a pena estudar chinês lá na China.

A razão principal é que aprender chinês com nativos e na China acelera o tempo de aprendizagem, haja vista que você teria mais tempo de estudo diário da língua.

Além disso, você aplicaria seu aprendizado obrigatoriamente no país por se comunicar com falantes nativos.

Se aprender chinês no Brasil leva de três a quatro anos, na China o tempo de aprendizagem leva até dois anos.

Então, vale a pena investir um pouquinho mais de grana e passar um tempo na China para aprender de vez o mandarim.

Buscar uma formação acadêmica em inglês na China

A outra opção das pessoas que têm planos de estudar na China é de buscar uma formação acadêmica em inglês no país asiático.

Como foi dito acima, existem muitas faculdades na China que são ministradas todas em inglês.

Então, se o seu caso é de construir uma profissão em boas universidades do país asiático, mas ainda não domina o mandarim, fique tranquilo.

Nem só de mandarim vivem as universidades chinesas, que possuem certificações em inglês voltadas exclusivamente para estudantes estrangeiros.

Neste contexto, é possível conhecer pessoas de vários lugares do mundo e criar identificação com pessoas de toda parte do mundo.

Além de abrir oportunidades de mercado na própria China.

Quanto à qualidade dos cursos, existem universidades chinesas que são muito boas e que oferecem graduação em inglês.

Outras, assim como em muitos lugares do mundo – como no Brasil, não são tão boas assim.

Vale a pena pesquisar e saber quais universidades oferecem as melhores condições de ensino para seu projeto profissional.

O lado negativo, entretanto, é que é possível você ficar anos no país para estudar, mas conhecer muito pouco do lugar onde você mora.

Fica a dica: conhecer a cultura e as pessoas da sociedade na qual você está inserido faz toda diferença na sua formação pessoal e profissional na China.

China é um país repleto de oportunidades para que deseja estudar no país (Foto: Reprodução)

Afinal, vale a pena estudar na China?

Finalmente, depois do que vimos acima, a pergunta que fica é: vale a pena ir à China para estudar? A resposta é: depende

Se o seu interesse é aprender o mandarim com nativos e entender de forma profunda a língua, é um bom negócio.

A aprendizagem da língua chinesa no país asiático será bem mais otimizado do que a feita aqui no Brasil.

Por outro lado, se o seu contexto é de quem não fala outra lingua a não ser o português e, almeja uma formação acadêmica na China, o melhor é esperar um pouco.

Se capacite ao menos no inglês, porque é uma língua universal que pode te abrir portas não só na China, como no mundo inteiro.

Se informe sobre as melhores opções para aprender o idioma e cresça como um estudante e/ou profissional.

Caso contrário, não vale a pena, para você, estudar na China.

Neste ínterim, há, também, quem seja fluente em inglês e almeja uma formação acadêmica na China.

Neste caso, vale a pena estudar na China, sim. Você aprenderá sua profissão 100% em inglês em alguns dos grandes centros acadêmicos do país.

O ponto negativo é que sua experiência ficará limitada apenas ao contexto acadêmico e, superficialmente, na cultura na qual você estará inserido. 

Isso é preponderante para entender a China e até buscar oportunidades valiosas no país. 

Vale lembrar que, atualmente, a China é a segunda maior economia do mundo e a potência que mais cresce no mundo.

Emprego não falta no país, mas conhecer o local antes de trabalhar por lá pode ser um grande diferencial, não acha?

Então, sim! Vale a pena estudar na China, mas é melhor se você possuir um grau de mandarim antes. Ou então, ir ao país para aprender o chinês com nativos.

Será a melhor experiência para quem deseja estudar na China, com certeza.

Gostou das dicas? Então nos siga nas redes sociais, acompanhe mais conteúdos no nosso blog e inscreva-se no nosso canal no Youtube. Até a próxima!

Texto de Paulo Santos, de São Vicente/SP.


Veja Também


Deixe seu comentário