Exposição de Horticultura e estabilidade econômica chinesa

Menor crescimento econômico, pronunciamentos de Xi Jinping sobre economia e Exposição de Horticultura marcam o começo de 2019 para os chineses.

A China realiza em 2019 uma enorme feira dedicada à técnicas de horticultura. A exposição ficou conhecida globalmente nesta semana devido ao término de seus obras de construção. Fatores como a guerra comercial com os EUA fizeram com que o índice de crescimento econômico chinês decaísse no ano passado, mas mesmo assim superou a meta definida de 6,5%.

 

Exposição Internacional de Horticultura

A Exposição será de alto nível e terá como tema a frase “Vida verde, lugar bonito”. O governo municipal de Pequim divulgou nesta segunda-feira a conclusão da construção do local da Exposição Internacional de Horticultura, que inclui diversos pavilhões, 200 alojamentos familiares, nove hotéis de 4 a 5 estrelas e 8 novas estradas que levam ao local do evento, 100 dias antes do início do evento. O evento é a segunda exposição de horticultura de alto nível organizado pelo país, sendo a primeira em 1999 na cidade de Kunming. A Exposição tem duração do dia 29 de abril a 7 de outubro de 2019 (um total de 162 dias) e já conta com cerca de 86 países e 24 organizações com presenças confirmadas, contando ainda com mais de 120 expositores não oficiais, segundo o comitê organizador. Essa é a maior participação registrada na história global do evento. Segundo a presidente da Associação de Horticultura da China, Jiang Zehui, o evento será grande e contará com oportunidades para todos os países realizarem e promoverem a cooperação econômica e o intercâmbio de produtos.

A grande Exposição apresentará os avanços mais recentes na floricultura, fruticultura e horticultura e conta com mais de 2.500 atividades culturais. Além disso, o evento tem como objetivos divulgar o conceito de desenvolvimento sustentável de âmbito mundial e também apresentar ao mundo a cultura estética da horticultura da China. A conquista mais avançada desse setor produtivo foi a floricultura e plantações de frutas e vegetais no pé da Grande Muralha no distrito de Yanqing. Durante o período da exposição, a importação de plantas será facilitada segundo acordo entre a Alfândega da China e a Associação de Promoção Comercial da China. Foram realizadas medidas que simplifiquem esse procedimento de importação de plantações de países estrangeiros nesse período. Outras patentes do país cooperam também com o comitê organizador do evento para oferecerem serviços de patentes e de marcas aos participantes interessados em proteger ainda mais sua propriedade intelectual.

 

exposição
Vista panorâmica do local do evento. Fonte: horti-expo 

 

A indústria de flores chinesa se encontra em plena expansão, com uma área de plantação de 1,4 milhão de hectares, sendo a maior do mundo. O volume de vendas deste setor atualmente é de 153,3 bilhões de yuans. Para facilitar o intercâmbio cultural e comercial, serão construídos jardins ao ar livre, no exterior dos pavilhões, onde cerca de 80 países e organizações internacionais farão suas exibições. A conclusão tão prévia das construções das instalações dessa grande exposição mostram a precisa organização tradicional da cultura chinesa, comprovada por seus megaprojetos.

As reservas e compras de ticket podem ser realizadas desde o último domingo (20 de janeiro) pelo preço de 120 yuans para dias normais e 160 para a abertura e dias festivos. As vendas contam ainda com um desconto de 10% para as compras através dos sites aoyou.com e ctrip.com. O site oficial em inglês da exposição, onde podem ser encontradas imagens e mais informações.

 

Vista panorâmica das construções de flores no recinto da exposição. Fonte: horti -expo

 

Economia chinesa tem crescimento lento

Mesmo sendo manchetes diariamente de jornais internacionais com seus megaprojetos, conquistas espaciais e pioneirismos de engenharia, o desenvolvimento econômico da China parece não acompanhar no mesmo ritmo seu desenvolvimento técnico-científico em tamanha proporção. Apesar do desenvolvimento desigual em comparação com outros anos, a meta de 6,5% foi superada. A diminuição da demanda doméstica e as altas tarifas estadunidenses colaboraram para esse resultado. A China divulgou um crescimento de 6,6% em 2018, apontado como o pior crescimento num período de 28 anos, desde 1990. Os dados foram divulgados hoje (21) pelo Birô Nacional de Estatísticas da China. Um dos grandes motivos para esse resultado é a guerra comercial com os EUA, que já vem prejudicando a economia dos dois países a anos.

Em reunião no dia de hoje (21) o presidente Xi Jinping enfatizou a importância da estabilidade para o país, se prevenindo dos grandes riscos e mantendo a estabilidade da sociedade e da economia do país. Afirmou que a condição da economia é boa mas que os ambientes de negócio, nacional e internacional, passaram por mudanças que fizeram necessárias transformações, reformas do lado da oferta, mesmo com dificuldades. Citou a importância que deve ser dada a todos os departamentos e incentivou o fortalecimento das supervisões e coordenações para prevenção de riscos financeiros.

 

Guerra comercial com os EUA

A guerra comercial entre China e EUA teve consequências profundas na economia chinesa e mundial que podem ter sido causas dessa estagnação do desenvolvimento econômico chinês. 

O presidente Xi Jinping anunciou que em breve realizará um acordo com Donald Trump, na tentativa de minimizar os conflitos econômicos que têm prejudicado ambos os países.

 

 

guerra comercial
Imagem by Win McNamee/Getty Images ©.

 

Feiras, Exposições e Convenções realizadas na China

Devido a sua inserção relativamente tardia no mercado econômico global, a China precisa utilizar métodos estratégicos para que esse fator não seja incapacitante para seu desenvolvimento. A realização de exposições como essa, e também feiras e convenções de todos os tipos é uma característica do país, que busca sempre aumentar seu intercâmbio comercial com países interessados, como a China Import and Export Fair e a Feira de Tecnologia de Alimentos. Todas elas são importantes para a divulgação dos avanços e tecnologias anualmente de produtos e métodos que são em parte responsáveis pelo desenvolvimento econômico da China e de seus principais parceiros. A China Link Trading possui grupos de acompanhamento de empresários e compradores brasileiros para essas feiras e convenções, as informações podem ser encontradas no site.

 

 

Por Mariana M. Fidalgo, diretamente de Brotas, SP – Brasil

Fontes: China Radio Internacional, Xinhua Net

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +

 


Veja Também


Deixe seu comentário