Importação de contêiner: Frete marítimo da China

Os contêineres são um marco no desenvolvimento do comércio internacional porque, mesmo que a importação e a exportação tenha ocorrido desde o século XIX, foi só na metade do século XX que os contêineres começaram a surgir.

Desde então, este tem sido o instrumento mais seguro para se transportar cargas de um país para o outro, principalmente por conta de sua agilidade na carga e descarga, redução de custos e também facilidade em manuseá-lo pelos diferentes tipos de carga que traz. Nesse artigo vamos falar um pouco mais sobre a importação marítima da China que utiliza contêineres, quais são os tipos de frete possíveis e outras informações.

 

importação

 

Se você quer saber um pouco mais sobre o frete marítimo ao trazer mercadorias em containers da China, o primeiro ponto é que existem os tipos de embarques de mercadorias LCL e FCL.

Um container FCL (Full) vai ser inteiramente ocupado por cargas da pessoa que está importando enquanto o LCL, não há cargas somente de um importador já que a quantidade não é suficiente para completar um container e ele não precisa pagar todo o frete. É importante ressaltar que nem sempre os custos vão ser menores se  você trouxer poucas mercadorias num container LCL ou encher um FCL e que isso depende muito do tipo da mercadoria, do tipo de contêiner, entre outros fatores.

 

Tipos de contêiner

Com o passar dos anos na segunda metade do século XX, os contêineres que começaram a ser utilizados passaram a ser bem desenvolvidos para assegurar melhor o transporte da mercadoria.

Existem dois tipos de tamanho de container, o de 20 e 40 pés, ventilado, para cargas de alto-volume, isolantes para mercadorias que não podem sofrer mudanças bruscas na temperatura e o refrigerado normalmente para mercadorias como produtos químicos.

 

Tipos de cargas

A abrangência dos tipos de container se deu principalmente pelos tipos de mercadorias que tem sido transportadas no comércio internacional.

 

importação


 

Existem as cargas gerais, que podem ser divididas em cargas soltas quando são embaladas com formas e divisões diversas. Por exemplo, uma carga embalada em tambor, caixa de papelão, etc. E também existem as cargas unitizadas, que são agrupadas em unidades de transporte.

Existem também as cargas IMO. Esse tipo de carga é considerada perigosa por ter qualquer substância que, em condições normais, tenha alguma instabilidade inerente que, sozinha ou combinada com outras cargas, possa causar incêndio, explosão, corrosão de outros materiais, ou ainda que seja suficientemente tóxica para ameaçar a vida ou a saúde pública se não for adequadamente controlada.

As cargas a granel são aquelas que não possuem contagem de cédulas ou unidades e normalmente são encaixadas nas categorias de grãos como arroz e soja. Nesse caso, a carga não é acondicionada.

Um outro tipo de carga é a frigorificada que precisa estar numa determinada temperatura durante toda a viagem normalmente congelada ou refrigerada como é o caso de frutas e carnes.

 

Gastos com a importação por contêiner

Quando optamos por uma importação, existem muitas taxas fixas que são levadas em consideração independente da escolha de um embarque aéreo ou marítimo. A principal e mais básica delas é o frete, que é calculado pelo peso, quantidade e volume da carga.

O valor do frete é extremamente reduzido quando se trata de um contêiner LCL, já que todas as taxas vão ser divididas para todos que “alugaram” uma parte do espaço para transportar suas mercadorias enquanto que o importador que está trazendo um FCL, todas os valores para descarga ficam por conta de um único importador.

 

importação


 

Num container marítimo existem as Capatazias ou “Terminal Handling Charge” (THC) que são prestam serviços pela entrada da carga no porto. Num container FCL, essa taxa depende do tamanho do container e também da localização geográfica de onde a mercadoria virá. No FCL, o cálculo das capatazias é feito em cima da relação de tonelada por metro ³, considerando sempre o valor mais alto.

Outro gasto é em relação ao BL no caso de marítimo e AWB no aéreo. O Bill of Landing é um documento que é obrigatório para que a mercadoria possa embarcar com os dados e valores corretos. Tal taxa, cobrada devido à emissão e à documentação do Conhecimento de Embarque. O pagamento normalmente é feito por emissão.

 

Outras taxas

A taxa do International Security Port Surcharge são referentes a gastos a mais ou os chamados adicionais que se referem a medidas de segurança. Na carga FCL, o valor dessa taxa já vem cotado de acordo com o B/L (Bill of Landing) enquanto que nas cargas LCL, é feito por contêiner ou pelo B/L.

 

importação


 

Assim como a última mencionada existem outras despesas que também fazem parte do frete marítimo como a limpeza do contêiner e o despacho aduaneiro, que consiste basicamente em todo o processo de liberação da mercadoria na alfândega para que sela seja importada ou exportada. Toda mercadoria passa pelo despacho aduaneiro mas algumas são cargas IMO, como mencionadas antes ou precisam da Declaração da Licença de Importação, inspeções fitossanitárias, o que vai exigir uma análise maior por parte dos fiscais da alfândega.

 

Como funciona a logística

O primeiro passo nesse sentido é a reserva do navio e o agendamento do embarque nos terminais de carga. Existe toda uma regulamentação dos procedimentos realizados junto aos terminais de carga. Tais normas têm como objetivo reduzir o congestionamento nas rodovias de acesso ao complexo, evitando que caminhões permaneçam parados por muito tempo devido a problemas no carregamento.

O agendamento deve ser realizado previamente junto a Autoridade Portuária antes de seguirem para os terminais. Só assim são definidos os terminais e as cotas de capacidade de recepção dos caminhões, por tempo e capacidade operacional.

 

importação


 

Depois que a carga é despachada para o Brasil começa o processo despacho aduaneiro, que possui etapas como a presença de carga, parametrização, registro da Declaração de Importação. O despacho pode ser realizado no porto de chegada ou em uma zona secundária, um porto seco. Para isso seria necessário realizar uma DTA.

O regime de Trânsito Aduaneiro é um benefício concedido a setores logísticos que permitem o transporte de cargas de determinado recinto alfandegado a outro. É considerado mais vantajoso para o desembaraço de mercadorias, através de modais aéreos ou rodoviários.

 

Qual a melhor opção?

A melhor opção realmente varia de acordo com as necessidades do importador e quanto as características dos produtos. É necessário escolher a opção mais vantajosa conforme as características de cada um. Se quer saber mais sobre os produtos e qual é a maneira mais benéfica para trazê-los, este link fala sobre os melhores incoterms para importar: incoterms.

O LCL é fundamentalmente baseado no volume de carga que você irá transportar. Se ela tiver até 28 metros cúbicos, o ideial é ser trazida junto com outras cargas. O container FCL oferece um espaço maior para poder aproveitar ao máximo a importação das mercadorias e ao mesmo tempo tem um segurança relativamente melhor que um LCL, que precisará ser realocada para acomodar todas as outras mercadorias.

 

importação


 

Um FCL também pode oferecer um tempo de trânsito mais rápido em comparação com a remessa LCL. Isso se deve em grande parte ao tempo adicional de manuseio necessário para preencher completamente o contêiner compartilhado que é feito tanto na origem como no destino.

Mesmo assim, se você importa com muita frequência uma quantidade bastante relevante para um container LCL, a melhor opção seria trazer um Full contêiner para reduzir os custos de importar com frequência já que toda vez terá de pagar taxas fixas como THC e despacho aduaneiro. O LCL seria mais ideal se importasse pouco e em poucas quantidades, pois sempre compensaria pelo valor do frete.

 

Por Barbara Pompei Corcioli, diretamente de Marília, SP – Brasil

Fontes: Blog de Comércio Exterior, Brasil Max, Osmar Vinci Filho.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário