O Natal do país que sustenta o comércio natalino mundial

O Natal, comum para a maioria dos ocidentais, é tema de curiosidade na China. O país não segue o calendário cristão, mas o Natal vem ganhando espaço.

É mais comum a cada dia a comemoração do Natal na China, seja através de decorações nos imensos shoppings ou até mesmo na adoção de tradições ocidentais. Mesmo que a maneira, intensidade e os motivos de se comemorar essa data sejam bastante diversos dos ocidentais, é possível perceber que as tradições natalinas estão sim presentes na China.

 

Natal e a globalização da China

A aproximação e fortalecimento dos laços entre pessoas e países faz com que a influência de diversos povos chegue a culturas antes distantes.  Nesse sentido, a tão falada globalização traz consigo variáveis que explicam como o Natal vem sendo agregado à cultura chinesa. O que se pode perceber é que, na maioria dos casos, a comemoração dessa data não tem um fundo necessariamente religioso ou cristão. A comemoração do Natal na China relaciona-se bem mais ao sentido de seguir a “onda”, ou a moda mundial do que a motivos religiosos. O desejo de se aproximar dos costumes ocidentais é também um importante fator, principalmente ao analisarmos a adoção de costumes totalmente ocidentalizados, como a roupa vermelha do Papai Noel (originalmente verde).

 

Natal
Decorações natalinas e elementos da cultura tradicional chinesa. Fonte: China Vistos

 

Além disso, é importante destacar o lado comercial e econômico dessa comemoração mundialmente conhecida pela movimentação de capitais. Uma vez que essa festividade é utilizada como um artifício para se movimentar a economia no país e ampliar as vendas como um todo, a adoção da tradição natalina tem gerado bons negócios para a China.

Esse fundo comercial do Natal pode ser percebido em promoções que certas empresas realizam nesse período, utilizando as festividades para alavancarem suas vendas. Um exemplo disso foi uma promoção do site chinês de compras online Taobao, que no dia 12/12 de 2014 ofereceu descontos nos seus produtos, tendo como motivo a festividade natalina. Mas este é apenas um pequeno exemplo, dentre os tantos que poderiam ser citados.

 

O Natal chinês

Estive na China durante o mês de Dezembro e a agitação nas lojas e ruas é evidente. As decorações dos shoppings não só trazem a lembrança de um Natal tradicional como unem elementos de alta tecnologia. As árvores de Natal das grandes cidades, por exemplo, seguem a risca a escala grandiosa dos projetos chineses. Grande parte dessa comemoração é influência dos estrangeiros que vivem no país, que ao trazerem esses costumes de celebrar a data e trocar presentes entre si, estimulam os chineses a também fazer o mesmo. Como um exemplo mais próximo dessa influência estrangeira, no escritório da China Link em Shenzhen, essa data é levada bem a sério. Todos os funcionários se empenharam e colaboraram na decoração da empresa e ainda realizaremos um “amigo secreto”, em que os chineses e nós brasileiros trocaremos nossas lembrancinhas e comemoramos essa data.

 

Natal
Árvore de Natal montada em frente ao estádio olímpico “Ninho do Pássaro”, em Pequim. Fonte: Ninhao idiomas

 

A importância da China para o Natal no mundo

Levando a discussão para outro âmbito, é interessante pensar para além da existência do Natal na China, e, invertendo a lógica da questão, podemos nos questionar: “Tem China no Natal?”. Com a importância que o país vem ganhando internacionalmente, seus produtos estão cada vez mais presentes nas mais diferentes e longínquas partes do mundo não sendo diferente no setor de produtos natalinos. A China, que ganhou o título de “fábrica do mundo”, por ser responsável pela oferta de grande parcela da demanda mundial de produtos dos mais diversos setores, adaptou-se de tal forma à lógica econômica, que incorporou em sua linha de produção até mesmo produtos que refletem hábitos e culturas de outros países. Para se ter uma noção da força da presença chinesa no mundo, pegue no  Brasil um enfeite de Natal – seja um Papai Noel de pelúcia, uma árvore ou luz de Natal, ou mesmo imagens religiosas cristãs – e são grandes as chances de que você encontre um “Made in China” estampado nele. O país diversificou sua pauta exportadora e hoje domina o cenário de compras natalinas na maioria dos países ocidentais.

A mesma China que está incorporando costumes ocidentais, adaptou-se de tal forma ao mercado, que se transformou em uma grande fonte fornecedora de itens natalinos e religiosos para todo o mundo. Quando participamos em Outubro de 2014 na Feira de Cantão – realizada na cidade de Guangzhou e considerada a maior feira multissetorial do mundo – podemos ver nitidamente a relevância que os produtos natalinos têm para a atividade exportadora chinesa. Inúmeros eram os fornecedores especializados nesse tipo de produto, e a quantidade de brasileiros que visitavam seus stands era grande.  Isso serve para mostrar que a China está presente no Natal de várias partes do mundo, através de seus produtos e de seus negócios.

 

Produtos natalinos da China são alvo de comercialização

 

O Natal dos chineses

As compras natalinas estão cada vez mais populares na China, demonstrando que os chineses abraçaram essas tradições, pelo menos a sua porção comercial. O hábito de sair apenas para fazer compras é comum entre os jovens chineses, e ele se intensifica em datas comemorativas (agora o Natal sendo uma delas). Confira um vídeo nosso falando sobre o Natal na China!

 

 

Sendo assim, o Natal existe na China. Ainda que o pano de fundo principal dessa comemoração não seja o religioso, não se pode negar a influência que essa data tem para o cotidiano e economia do país. E mais do que pensar na maneira como o Natal é comemorado pelos chineses, devemos pensar na importância que a China tem para a comemoração do Natal em todo o mundo. E não seria ironia pensar que a roupa do Papai Noel é da mesma cor da bandeira da China?

Fontes: China Link Trading, China Vistos, Ninhao Idiomas.

Por Mariana M. Fidalgo, diretamente de Marília, SP – Brasil

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário