Importar cigarro vaporizador: vale a pena?

Um dos produtos que faz muito sucesso no Brasil é o cigarro vaporizador. No artigo de hoje vamos entender se vale a pena importar esse tipo de mercadoria.

O que é preciso para trazer este item da China?

Confira tudo sobre o cigarro vaporizador agora!

A História do Cigarro

Primeiramente, antes de falarmos do cigarro vaporizador, vamos entender como surgiu o tabaco.

De acordo com as pesquisas,os primeiros sinais do cigarro surgiram há oito mil anos no continente americano. Os astecas consumiam o tabaco envolvido com folhas de junco.

Séculos mais tarde, Cristóvão Colombo conheceu o cigarro uma das suas expedições pelas Bahamas e tomou gosto pelo produto. O produto, então, foi levado à Europa.

No Século 16, os habitantes do Velho Continente passaram a adaptar o seu uso e inventaram o charuto.

Entretanto, como item era artigo de luxo, a classe trabalhadora, que também queria fumar, adaptou o cigarro.

Com isso, os pobres de Sevilha, na Espanha, utilizavam o resto do charuto para fabricar o cigarro, que era aquele material enrolado com papel.

Contudo, demorou para esse produto se tornar popular, apenas da população, ao longo dos anos, criar o hábito de mascar tabaco.

Foi só no fim do século 19 que o produto como conhecemos passou a ser popularizado, quando James Bonsack inventou uma máquina de enrolar o cigarro.

No começo do século seguinte, na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), os soldados recebiam carteiras de cigarro enquanto estavam nas trincheiras.

Mas foi bem depois do fim da Segunda Guerra Mundial que o cigarro virou moda. 

Artistas de Hollywood estampavam propagandas das marcas de cigarro

Consequentemente, o hábito de fumar virou uma febre e chegou até o Brasil. 

Entretanto, nesse século atual, o cigarro vem perdendo popularidade.

Isso ocorre porque as pessoas são cada vez mais adeptas ao estilo fitness. Como o cigarro faz muito mal à saúde, vem sendo esquecido.

Com isso, a prática de fumar cigarros à base de tabaco e nicotina tem saído de moda.

Consumo de vaporizador é resposta ao esquecimento ao cigarro, que faz mal à saúde (Foto: Reprodução)

Contudo, para ocupar esse espaço, vem o vaporizante, ou cigarro eletrônico.

O cigarro vaporizante simula o original o, mas não contém tabaco ou nicotina, responsável em viciar os usuários daquele produto.

Por isso, a cada ano o consumo desse produto ao redor mundo só cresce.

Mas afinal, como importar vaporizador da China?

Apesar de ser um produto em ascensão e que encontra muitos interessados no Brasil, precisamos informar que é proibido importar cigarro vaporizador.

De acordo com a  Resolução de Diretoria Colegiada da Anvisa: RDC nº 46, de 28 de agosto de 2009, é proibido vender dispositivos eletrônicos para fumar.

Por esta razão, o que temos a dizer é que, enquanto esta resolução estiver em vigor, sua empresa não conseguirá importar esse produto da China.

Algumas pessoas, por sua vez, procuram outros caminhos para encontrar esse produto.

Um deles é comprar cigarros eletrônicos no Paraguai para consumo próprio.

A segunda opção é recorrer a sites como Aliexpress e Shopee para importar como pessoa física.

Entretanto, existem dois problemas nesse segundo ponto.

Primeiramente, como é um item proibido no Brasil, é possível que o cigarro eletrônico seja barrado pela Receita Federal.

Além disso, se por acaso chegar em suas mãos, o cigarro não poderá ser vendido porque não é possível revender como pessoa jurídica um produto adquirido por pessoa física.

Mas e se fosse permitido? Valeria a pena importar?

A resposta é sim! Como foi falado, o cigarro eletrônico tem um grande potencial no Brasil.

Importar esse produto seria uma grande oportunidade de mercado, mas a resolução da Anvisa se preocupa com fatores mais importantes.

A validade do documento é datada para 2023. A chance da proibição ser renovada é grande. 

Portanto, não é uma boa contar com a possibilidade importar o cigarro eletrônico daqui a um ano e meio.

Gostou do artigo? Então acompanhe nosso blog, siga nossas redes sociais e inscreva-se no nosso canal no Youtube para mais conteúdos.

Até a próxima!

Texto de Paulo Santos, de São Vicente/SP.

Fontes: História do Mundo e Governo Federal.


Veja Também


Deixe seu comentário