Cidade Proibida: a casa dos “Filhos do Céu” na China

A cidade proibida, também conhecida como Zijin Cheng, era considerada um território sagrado para as dinastias chinesas. Hoje é chamado de “ex-palácio” – GuGong.  Confira os detalhes deste local sagrado na China, e porque atrai tantos turistas!

 

cidade proibida

“Zi”, em mandarim, significa roxo, que faz referência à Estrela do Norte, morada do rei celestial segundo a astrologia chinesa antiga. A cidade proibida é a residência dos Filhos do Céu, os Imperadores terrestres, da família do imperador, um grande número de serviçais, concubinas, herdeiros e eunucos. “Jin” significa proibido, pois ninguém podia entrar ou sair do complexo sem a autorização do imperador. Ela era símbolo de proteção para a família real: é rodeada por um muro de 8 metros de altura, e 9 metros de largura.

 

cidade proibida 

É um complexo de 720 mil metros quadrados no centro da capital chinesa Pequim. Foi construída em 1406 na dinastia Ming, pelo imperador Chengzu, e levou 14 anos para ser finalizada. Reza a lenda que a Cidade Proibida tinha 9999 cômodos – provavelmente relacionada à crença de que o número 9 próspero. Somente alguns conselheiros reais, membros da classe militar e o próprio imperador tinham liberdade para entrar e sair pelos portões meridionais, a principal via de acesso à cidade.

Apesar de a principal função da cidade proibida ser proteção, nem tudo se resume a isso. O belo Jardim Imperial ocupava uma extensa área onde a família imperial poderia passar horas meditando, jogando xadrez ou bebendo chá. No centro do jardim havia um templo religioso dedicado à deusa das águas Xuan Wu, o Salão da Paz Imperial.

 

cidade proibida 

1 milhão de trabalhadores foram responsáveis pela construção do projeto: a decoração detalhada, cheia de animais de pedra, dragões, escadarias de cores vermelha e amarela. A decoração da cidade proibida foi baseada na arte do feng shui, um método que atrai boas venturas pela disposição dos objetos. Amarelo é a cor do Imperador, por isso os telhados o são também.

 

cidade proibida

 

Exceto a biblioteca, cujos telhados são pretos para simbolizar a água e prevenir incêndios, e a residência do príncipe herdeiro, cujos telhados são verdes para simbolizar crescimento. Hoje, ainda existem artefatos como móveis, armas e jóias conservados.

 

cidade proibida 

O Palácio foi a residência oficial das dinastias Ming e Qing até 1911. O governo republicano assumiu a propriedade e a transformou em museu do Palácio, aberto para visitação em 1950. A UNESCO declarou a cidade proibida como Patrimônio Mundial em 1987.

 

cidade proibida 

Os visitantes podem entrar na Cidade Proibida pelo portão meridional, Wumen, e sair pelos portões Shenwumen e Donghuamen. A visita pode durar de 3 a 4 horas, e o ticket de entrada custa entre 40 e 60 yuáns.

 

Por Ana Luiza Lachner, diretamente de Winnipeg, MB, Canadá.

Fontes: China na minha vida, Travel China Guide e China Highlights

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário