China avança na Corrida Tecnológica – China Link Trading

China-avança-na-corrida-tecnologica

A dança das cadeiras, dentro do ramo tecnológico, sempre foi surpreendente em países asiáticos. Como uma velha colônia japonesa, a China aderiu a diversos rumos que impactaram na sociedade e mobilidade de transações entre seu povo. Vejamos, por exemplo, a ascensão da tecnologia na China e seu mercado, que hoje é o mercado que mais atende às demandas de gadgets, aparelhos eletrônicos e brinquedos pelo mundo todo.

Tendo em números totais, o PIB chinês atinge aos US$9,4 trilhões de dólares, com progressão de subida cada vez mais acelerada aos números totais. E, mais de 40% da economia chinesa é renda de parte dos insumos tecnológicos que oferta para o mundo. A tecnologia armamentista, hoje nutre o exército de maior número de contingentes no mundo, os mais de 300 milhões de soldados e patenteados, além das forças policiais, são munidos por uma indústria de eficácia e rapidez para criação de armamentos simples. Os smartphones, ocultados por uma Brand pirata, demonstram a rapidez e a inteligência na qual a indústria periférica chinesa se adapta para superar barreiras de marca, e evoluir no mercado com produtos similares.

As aspirações ao desenvolvimento chinês geram certa sociedade paradoxal, pois a força de mão-de-obra que é utilizada na implantação de chipsets e circuitos não obtêm parcela na utilização de tais tecnologias e, ao mesmo tempo, é uma parcela das que mais cresce e desenvolve a economia chinesa.

Dentro de suas conquistas, o programa espacial, a indústria de telecomunicações, de jogos e periféricos em geral mostra que a China está preparada para um futuro tecnológico, pautado na distribuição de capacidades, e tudo a um bom preço.

Acompanhe nosso Blog de Importação e tire dúvidas conosco através do e-mail de contato: contato@chinalinktrading.com.

Nota do autor: Caso a leitura do artigo traga-lhe alguma dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário abaixo. Estamos sempre disponíveis para atendê-los!

10501478_672999809416046_1632622762_a (1)

Este artigo foi escrito pelo graduando de Relações Internacionais, Luis Gustavo Colalto Silva, Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo – SP. 


Veja Também


Deixe seu comentário