C919: Conheça o Novo Avião Chinês para Passageiros

A China deu nessa última sexta-feira (05/05), um importante passo em sua estratégia de tornar-se uma participante relevante no mercado global de aviação e competir com as gigantes Boeing e Airbus, atualmente líderes do setor. Trata-se da criação do mais novo avião chinês para passageiros.

O jato C919, com capacidade de transportar entre 158 e 168 passageiros, pousou no aeroporto internacional de Xangai após um voo inaugural de 80 minutos, sendo ovacionado por milhares de dignitários, trabalhadores e entusiastas do setor. O avião chinês de médio porte foi construído para tentar disputar um mercado dominado por Airbus e Boeing e, ao decolar pela primeira vez, mostrou um avanço técnico que reflete as ambições aeronáuticas de Pequim.

 

Voo Inaugural do Novo Avião Chinês de Passageiros

 

avião chinês
C919 o avião chinês criado para competir com Boeing e Airbus

 

Desenvolvido na China pela estatal Comac (Commercial Aircraft Corporation of China) e com tecnologias de companhias como General Electric, Safran, Honeywell e Goodrich, o avião é um símbolo das ambições do país de ingressar também no mercado de jatos comerciais, estimado em US$ 2 trilhões ao longo das próximas duas décadas.

O avião, branco, azul e verde, iniciou o voo às 14H00 locais (3H00 de Brasília), em meio a aplausos e gritos de milhares de pessoas que acompanharam a decolagem. O pouso aconteceu 80 minutos depois e os cinco membros da tripulação receberam flores. O capitão Cai Jun descreveu o voo como “muito satisfatório”.

A China espera que o C919 dispute o mercado de corredor único, que representa mais de 50% das aeronaves em serviço no mundo. No entanto, o jato pode precisar de anos ainda de testes para obter certificações tanto na China quanto em locais como os Estados Unidos e a Europa. “O grande projeto de aviões comerciais da China fez um grande avanço. É um marco importante do mercado de aviação da China”, afirmou o Conselho Estatal da China em comunicado.

“Não ter um avião ‘made in China’ é estar à mercê dos outros”, afirmou o presidente chinês Xi Jinping em 2014. O objetivo de Pequim é, de fato, acabar com o duopólio da Airbus e da Boeing, algo que nem a canadense Bombardier nem a brasileira Embraer conseguiram de fato abalar.

Boeing e Airbus dividem, de maneira quase igual, o vasto mercado chinês, que deve destronar até 2024 os Estados Unidos como o maior mercado mundial de transporte aéreo. A Comac espera obter uma fatia do bolo. A empresa pública anunciou que recebeu 570 encomendas do C919 até o fim de 2016, quase exclusivamente das companhias chinesas.

 

Antecedentes

 

avião chinês
China testa C919 em Xangai

 

A fabricante de aeronaves chinesa já construiu o ARJ-21, um pequeno avião regional. Seis anos depois de seu primeiro voo em 2008, este bimotor com espaço para entre 79 e 90 pessoas, foi certificado no fim de 2014 pelas autoridades chinesas e atualmente é comercializado. Até o momento, no entanto, não conseguiu receber a aprovação da Administração Aeronáutica dos Estados Unidos, ficando relegado assim a voos domésticos na China.

O primeiro jato de passageiros desenvolvido na China, o avião regional ARJ-21, recebeu certificação em dezembro de 2014, seis anos depois do voo inaugural e mais de 12 anos depois de ser concebido. A aeronave fez seu primeiro voo com passageiros em junho do ano passado.

O cliente de lançamento do C919 é a companhia aérea China Eastern Airlines. A Comac afirma que tem 570 encomendas pelo modelo feitas por 23 clientes.

E você, tem alguma consideração sobre essa nova empreitada do governo chinês?

Compartilhe conosco nos comentários!

Por Ariel Oliveira, diretamente de Garça, SP, Brasil

Fontes: Folha de São Paulo, O Globo, Isto É

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | TwitterGoogle +


Veja Também


Deixe seu comentário