O apoio chinês às vítimas das cheias em Moçambique – China Link Trading

apoio-da-china-a-mocambique

A China demonstra-se pronta para ajudar o efeito das cheias que atingem as cidades de Moçambique. Nas últimas semanas de janeiro, o efeito devastador das cheias sobre o cerne da agricultura do país tem destruído plantações e feito vítimas em todo seu percurso, atingindo a marca de cem mortos até a presente data. Cento e cinqüenta e sete mil pessoas, distribuídas entre quatro províncias de Moçambique, estão desalojadas e com perdas irredutíveis de seus bens.

O Presidente Chinês, Xi JingPing, oferece equipes de busca e resgate no país, além de ajuda humanitária nos cuidados com aqueles que estão sofrendo enfermidades devido às enchentes. Uma tropa militar de mobilização está se deslocando do Mar Amarelo para a costa moçambicana, e pretende atender à todas as vítimas.

A boa relação entre ambos os países ocorre desde meados de 1960, quando o governo Chinês financiou as revoluções populares de cunho socialista no país africano. Hoje, uma República Presidencialista banhada aos olhos Marxistas, Moçambique entrelaça suas relações comerciais fortemente com os países orientais do eixo Sul do globo, tendo a China como sua maior cliente de compras de pluma e torta de algodão.

O mercado de têxteis chinês segue sua estratégia rampante ao topo do fornecimento de matérias-primas mundiais, e seu algodão provém em mais de 40% dos cotonicultores moçambicanos, estabilizados pelo governo para serem um eixo de trabalho chinês além-mar. Com a forte cheia e criação de alagados no território de Moçambique, é estimado de US$4 Bilhões foram perdidos de terras e plantações de algodão, quantidade relativamente baixa devido ao período de rotação de culturas do país.

É interessante, também, prover a análise de auxílio do governo chinês a um de seus importantes aliados para sua escala da economia mundial no ramo de matérias-primas, sendo fortemente inclusivo pela ONU em seus atos de humanidade nesse caso.

Acompanhe nosso Blog de Importação e tire dúvidas conosco através do e-mail de contato: contato@chinalinktrading.com.

Nota do autor: Caso a leitura do artigo traga-lhe alguma dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário abaixo. Estamos sempre disponíveis para atendê-los!

10501478_672999809416046_1632622762_a (1)

 

Este artigo foi escrito pelo graduando de Relações Internacionais, Luis Gustavo Colalto Silva, Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo – SP. 


Veja Também


Deixe seu comentário