América Latina receberá investimento chinês de U$ 250 bilhões em 10 anos – China Link Trading

xi-jinping-promete-elevar-investimento-da-china-na-america-latina

O anúncio desta notícia no dia 8 de Janeiro de 2015 foi feita pelo presidente da China, Xi Jinping, que haverá uma tentativa de aumentar sua influência e ajuda econômica da China nos países latino-americanos, que custará U$ 250 bilhões. Esses 10 anos de investimentos foram debatidos pelos 33 países da Comunidade de Estados Latino-Americanos (CELAC) em Pequim, com os líderes da comunidade, durante dois dias.

As palavras do presidente são de envolvimento e comprometimento, quando afirma “Esse encontro dará ao mundo um sinal positivo sobre o aprofundamento da cooperação entra China e América Latina e terá um impacto importante e de amplo alcance sobre a promoção da cooperação do sul e a prosperidade para o mundo.”

A cobrança da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, foi feita para o vice-presidente da China, Li Yuanchao, ao que se refere à quantidade de produtos manufaturados brasileiros importados à China, pois a quantidade deve aumentar.

Como já existe uma cooperação entre China e America Latina no setor de energia, construção de infraestrutura, agricultura, tecnologia e inovação, algumas críticas surgem. Analistas políticos classificaram essa ajuda econômica da China, como “uma intenção de competir com os Estados Unidos”. Como o próprio Xi Jinping mencionou em seu pronunciamento, a influência Norte Americana é muito forte, então, a intenção de fortalecer os laços econômicos da China com a América Latina é clara. Lembra-se ainda que a China compra petróleo da Venezuela, cobre do Chile e do Peru e soja do Brasil e da Argentina.

Grande parte da demanda econômica chinesa vem dos commodities que ela importa da América Latina. Existe a previsão de aumento, em dez anos, para U$ 500 bilhões no comércio bilateral.

Acompanhe nosso Blog de Importação e tire dúvidas conosco através do e-mail de contato: contato@chinalinktrading.com.

Nota do autor: Caso a leitura do artigo traga-lhe alguma dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário abaixo. Estamos sempre disponíveis para atendê-los!

carol

Este artigo foi escrito pela graduanda de Relações Internacionais, Carolina Ranzoni, Faculdades Metropolitanas Unidas, São Paulo – SP. 


Veja Também


Deixe seu comentário