Alibaba vs. AliExpress: qual a diferença?

Vivemos num mundo com uma economia totalmente interconectada. A globalização da economia, provocada pelo avanço tecnológico nos meios de comunicação e transporte criou cadeias globais de valor altamente sofisticadas, de modo que os países são interdependentes economicamente. Uma prova disso é a abundância de produtos chineses no Brasil, capazes de suprir a demanda que a produção nacional é incapaz de dar conta.

Sites como o Alibaba e o AliExpress, populares para quem importa da China, são ferramentas que ajudam essas pessoas que já tem ou querem começar o seu próprio negócio. Este artigo busca responder à seguinte pergunta: qual a melhor modalidade de importação para você, Alibaba ou AliExpress?

Se essa é uma dúvida que tem te acompanhado a muito tempo, você vai adorar nosso vídeo sobre isso!

 

Alibaba Aliexpress
Imagem por: Alibaba.com

 

Qual a diferença entre o Alibaba e o AliExpress?

O AliExpress surgiu depois do Alibaba, ambos fundados pelo Jack Ma, mas já é mais popular do que o seu “irmão mais velho”. O público-alvo do AliExpress são as pessoas físicas, enquanto que quem compra no Alibaba são pessoas jurídicas. Os produtos vendidos pelo AliExpress são, na verdade, as sobras de pedidos das fábricas, que produzem em grande escala, e então estas fábricas disponibilizam neste site esses produtos para quem quer comprar uma ou duas unidades, que são geralmente, para consumo próprio ou pequenas revendas. Por isso o AliExpress responde melhor às demandas das pessoas físicas.

No Brasil, por causa da nossa legislação, há uma certa dificuldade para quem quer importar em pequenas ou médias quantidades. Ou você importa muito pouco, com o Importa Fácil ou em grande quantidade, em uma importação empresarial. O AliExpress não funciona muito bem para quem deseja importar em grandes quantidades, pois a sua mercadoria corre o risco de ficar retido na aduana ou pela Receita Federal.

Já o Alibaba tornou-se uma grande vitrine para as empresas e fábricas chinesas. Os empresários chineses tinham certas dificuldades por questão de idioma e por desconhecimento de mecanismos e ferramentas de pesquisa, como por exemplo, o Google, utilizados pelos estrangeiros (por conta da censura imposta pelo governo chinês), o que prejudicava a exposição e promoção dos produtos das fábricas da China para compradores internacionais. Com a criação do Alibaba, os fornecedores chineses ganharam uma poderosa e eficaz ferramenta para vender os seus produtos de forma mais fácil.

Confira o nosso novo vídeo que fala justamente sobre isso:

AliExpress ou Alibaba? – Qual a diferença? Qual o melhor para você?

 

Qual dos dois é o melhor para mim?

A resposta para esta pergunta dependerá se você é uma pessoa física ou jurídica e se você deseja importar da China em pequena ou grande quantidade. Se você é uma pessoa física e deseja comprar em quantidades pequenas e para uso pessoal, dentro por exemplo, dos critérios do Importa Fácil (que será explicada mais abaixo), o AliExpress seria o ideal para você. Já se você tem uma empresa com um capital maior e deseja importar em grandes quantidades para revender no Brasil, definitivamente o Alibaba funcionaria melhor para o seu negócio. Além disso, o AliExpress é mais recomendado para quem está começando a importar ou está iniciando o seu próprio negócio, justamente pelo fato das quantidades serem pequenas.

A vantagem de usar o Alibaba é que, por ser uma importação em grande quantidade, você conseguirá personalizar a sua mercadoria, visto que a fábrica chinesa fará um lote para você. Assim, a sua empresa tem a possibilidade de colocar o seu logo, fazer a embalagem como você gostaria e até mesmo modificar alguma coisa do produto encomendado.

Afinal, é seguro utilizar essas plataformas? Nesse vídeo do nosso canal respondemos essa dúvida muito comum entre importadores.

 

Alibaba Aliexpress
Jack Ma: fundador do Alibaba e AliExpress

 

Quantidade mínima de compra

Para quem usa o Alibaba, saber a quantidade mínima de compra é importante. Cada fábrica possui a sua quantia mínima, que no caso do Alibaba é especificada embaixo do preço da mercadoria. Como já dito, isso não existe no AliExpress, pois esse site atende o varejo.

As fábricas chinesas que atendem o mercado internacional não mantêm estoque. Assim, quando você faz um pedido à uma fábrica da China, ela não tem esse produto pronto, nem o fornecedor de materiais dela. Por isso ela sempre pede um prazo de entrega.

Nesse sentido, surge um questionamento: e se eu não conseguir atingir a quantidade mínima ou se esse montante é muito alto para o meu negócio? Algumas dicas: não procure, neste caso, fábricas grandes, pois a quantia mínima deles é maior! A segunda dica é comprar de tradings, que não possuem uma fábrica, mas que compram delas e revendem posteriormente. A última dica você precisaria viajar para a China, você pode negociar dentro dos mercados de atacados, que atendem o mercado consumidor interno chinês, e conseguem vender ao cliente com uma quantia menor.

 

Alibaba Aliexpress
Image by AliExpress.

 

O Importa Fácil

Já mencionado algumas vezes neste texto, o Importa Fácil é uma modalidade muito utilizada por pessoas físicas ou empresas de pequeno porte, em que o importador não precisa de nenhuma licença de importação. O Importa Fácil apresenta facilidades, mas também algumas restrições.

A primeira coisa que o importador precisa fazer é verificar se o produto que ele deseja comprar possui alguma restrição dentro da modalidade do Importa Fácil. Alguns produtos requerem uma Licença de Importação (LI). Algumas mercadorias, como alimentos, produtos perecíveis e os que precisam de uma certificação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) não podem ser importados pelo Importa Fácil.

 

 

A segunda restrição dentro dessa modalidade é em relação ao valor da compra. Para isso, você precisa fazer o seguinte cálculo: somar o valor da compra com o valor do frete. Para uma pessoa física, este valor não pode ultrapassar a quantia de 500 dólares e para pessoas jurídicas, o montante não pode ser maior do que 3000 dólares.

A terceira seria em relação ao tamanho da caixa, sendo que nenhum lado pode ultrapassar 1,5 metros e o seu peso não pode ser maior do que 30 kilos.

O último passo para que a sua importação nessa modalidade ocorra, você precisa utilizar um serviço postal que entregue a sua mercadoria para os Correios do Brasil. Dessa forma, os nossos Correios farão o desembaraço aduaneiro do produto que você importou. Cada país tem o seu serviço postal que faz esse tipo de transação e é preciso consultar uma lista para escolher a empresa habilitada para isso. Em 2019, o valor que precisa ser pago aos Correios para que façam esse desembaraço é de 250 reais. Ademais, você pagará de impostos de importação o equivalente a 60% do valor do produto que estiver importando, acrescido do ICMS que varia de acordo com o estado.

Caso você queira fazer uma importação nessa modalidade, é só acessar o link do site dos correios. Uma observação final: o vendedor precisa enviar uma Comercial Invoice (nota fiscal) junto com a mercadoria.

Ficou com alguma dúvida sobre importação? Vem falar com a China Link Trading!

 

Por Victor Fumoto, diretamente de Indaiatuba, SP – Brasil

Fonte: Correios

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário