A alarmante condição dos rios sumindo na China

A China é um lugar incrível, não há como negar. Mas muitas dessas belezas podem estar sendo ameaçadas. Para aqueles que não acreditam nos desafios e impactos ambientais causados pela ação antrópica no meio ambiente, este breve artigo vem como um choque. Isso porque nesta semana ocorreu algo de extrema importância e preocupação para os chineses. Um dos maiores rios na China está desaparecendo devido ao problema da seca. Este é o rio Songhua, um dos mais vastos e extensos em território chinês. Esse rio chega a impressionantes dois mil quilômetros de extensão, sendo que sua bacia abarca aproximadamente 550.000 km².

 

Imagem by: Xiarimemecha, Pixabay
(Imagem by: Xiarimemecha, Pixabay)

 

O Rio Songhua e a preocupação chinesa

Fluindo pelo centro de uma das maiores cidades do nordeste da China, o rio caiu para seu nível mais baixo em 11 anos, em meio a um prolongado período de seca. Ele atravessa o centro de Harbin, capital de Heilongjiang. Chocante é o fato de que está começando a secar em alguns lugares, forçando empresas que operam cruzeiros fluviais a interromper suas operações. O nível da água vem caindo continuamente este ano, informou a agência de notícias Xinhua, com pouca chuva na primavera. A cidade não teve chuvas em abril.

 

(Imagem by: 2016Anne, Pixabay)
(Imagem by: 2016Anne, Pixabay)

 

São diversas as seções do leito do rio que acabaram secando. Por conta disso, o número de residentes locais, que estão cavando as areias para encontrar mariscos, é grande. Esses residentes estão fazendo isso para que possam captura-los, antes que a superfície fique novamente dura e seca. Por outro lado, as companhias de barcos que transportam turistas para a Ilha Sun suspenderam suas operações no meio da semana passada. Essa suspensão está ligada ao fato de que, por causa dos baixos níveis de água, as companhias não podem operar com segurança. Ainda, as empresas destacaram que não têm certeza de quando poderão retomar suas atividades.

 

O histórico de rios desaparecendo

Pode parecer trivial, mas a situação esboça uma realidade alarmante. O fato é mais preocupante do que aparenta ser. Não é de agora que os rios na China vêm desaparecendo. Há um profundo histórico por trás disso. Em linhas gerais, aproximadamente mais da metade dos rios, que se pensava que existia na China, aparenta haver desaparecido. A informação é dada de acordo com o 1º boletim nacional do Censo da Água, publicado em março de 2013. Apenas 22.909 rios foram localizados por pesquisadores. Isso em comparação com mais de 50.000 nos anos 90.

 

(Imagem by: judithscharnowski)
(Imagem by: judithscharnowski)

 

Esse primeiro censo nacional de água conduzido pelo Ministério chinês demonstrou, de forma evidente, que os rios estão desaparecendo na China a uma taxa de 1.000 por ano. Essa taxa dispensa comentários: é exorbitante e alarmante. Ou seja, em outras palavras o que se tem é que metade dos rios com áreas de captação acima de 100 quilômetros quadrados desapareceram ao longo dos anos.

O vice-diretor do Ministério, Huang He, disse em uma entrevista que a grande culpa se encontra precisamente na discrepância em “estimativas imprecisas no passado, bem como mudanças climáticas e perda de água e solo”. As pesquisas conduzidas pelo censo ainda apontam para a notória super-exploração da retirada da água subterrânea. Essa água era direcionada para a indústria e para a agricultura. .

 

Causa e Consequência: desafios enfrentados pela população chinesa

Uma coisa é fato. As mudanças climáticas, e consequentemente, o aquecimento global, consistem em fatores de suma importância para explicar o que vem ocorrendo na China. As atividades que os seres humanos desenvolvem vão, ao longo do tempo, moldando a “cara” do que se torna o planeta. Em termos ambientais, todo o desenvolvimento e utilização de recursos, muitas vezes de forma não consciente, acaba agravando a situação e gerando resultados como este.

 

(Imagem by: Larisa-K, Pixabay)
(Imagem by: Larisa-K, Pixabay)

 

Por outro lado, os ambientalistas reafirmam o que foi sobredito. Culpam a exploração excessiva dos recursos naturais, assim como políticas de desenvolvimento insustentáveis. Não é surpresa, dessa forma, que toda essa questão atraia atenção internacional em relação ao ambiente em deterioração na China. As autoridades de proteção ambiental de Pequim admitiram que a principal razão para o número decrescente de rios é o desenvolvimento excessivo dos rios. Isso inclui o uso excessivo de reservas de água subterrânea, a destruição do meio ambiente e o desmatamento. Cabe esperar, dessa forma, por políticas mais conscientes na utilização do meio ambiente. Caso contrário, não será incomum ver mais e mais rios “descendo pelo mesmo caminho”.

 

Por Rafael Nascimento, diretamente de Marília, SP.

Fontes: International Rivers Org, National Geographic, South China Morning Post, Sputniks News, The Guardian, The Verge, Vision Times, Yahoo News

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário