Viajando para a China: conheça 3 pontos turísticos

A China possui inúmeros pontos turísticos, a maior parte de grande valor histórico e considerados Patrimônios da Humanidade pela UNESCO. A seguir, conheça 3 pontos turísticos quando for viajar para a China.

 

Ponto Turístico #1: o Exército de Terracota

O Exército de Terracota, localizado na cidade chinesa de Xi’an, a 1.200 km da capital Pequim, é um dos maiores tesouros arqueológicos do mundo. E, por incrível que pareça, o mausoléu foi encontrado casualmente em março de 1974 quando um camponês que furava um poço encontrou um pedaço de cerâmica. Ele chamou as autoridades locais e arqueólogos, que ficaram surpresos com o tamanho da obra.

Qin Shihuangdi, primeiro imperador da dinastia Qin e responsável pela unificação inicial da China no ano 221 AC, foi o responsável pelo tamanho do mausoléu que começou a ser construído quando ele foi entronado com apenas 13 anos.

 

guerreiros de terracota
Os guerreiros de terracota protegem o mausoléu do primeiro imperador chinês a unificar o país. Fonte: Estudo Prático

 

Como parte da crença, Qin aspirava levar com ele, no momento de deixar a vida terrena, tudo que fosse importante. Como o principal era seu exército, sua majestosa tumba continha mais de 6 mil de soldados e cavalos em tamanho original, além de dezenas de veículos bélicos de madeira.

Os historiadores acreditam que mais de 700 mil trabalhadores e artesãos se dedicaram à obra. E ainda diz a lenda que depois que todas as esculturas ficaram prontas, o imperador mandou matar todos os artesãos para não deixar rastros de onde seria o seu mausoléu.

O mausoléu é estruturado em diversos espaços, recintos e outros cômodos, e envolvido por uma muralha. Pesquisadores afirmam que junto ao imperador foram construídas várias esferas, cada uma simbolizando um elemento cósmico: estrelas, representadas por pedras preciosas; pérolas tecendo planetas e mercúrio estruturando os mares.

O nome “terracota” vem do material de que são feitas as esculturas: argila cozida no forno, em torno dos 900 °C. Esse mineral é rico em óxido de ferro, normalmente utilizado na confecção de tijolos, telhas, vasos etc.

Contudo, a resistência da terracota é muito baixa. Ela possui alta porosidade e, por isso, o Exército de Terracota é tratado com bastante cuidado pelos pesquisadores, a fim de não danificar o material. Um exemplo disso é que há espaços ainda não explorados pelos pesquisadores, devido à fragilidade das peças. Para visitar o local é preciso desembolsar ¥ 150 e, caso queira um guia, mais ¥ 100.

 

Ponto turístico #2: o templo do Buda de Jade

Este é um dos principais pontos turísticos do país e o mais famoso da cidade de Xangai, localizado na parte oeste da cidade. Construído em 1882, trata-se de um local sagrado para os seguidores da religião budista. A visita ao local é interessantíssima não somente pela beleza do local e a grandiosidade dos monumentos, contendo sete salões e uma torre. Há também a observação da cultura local durante rituais religiosos e o design da dinastia Song (690-1729).

 

O Templo do Buda de Jade é uma atração imperdível em Shanghai. Fonte: Cultura Mix.

O Templo de Buda de Jade não se destaca por sua arquitetura como os demais passeios turísticos, e sim pelas valiosas esculturas de Buda que estão em seu interior. As atrações do local ficam por conta das estátuas esculpidas em Jade Branca. Uma delas representa o Buda entrando no estado de nirvana e a segunda, que mede cerca de dois metros,  é o buda sentado, de 200 kg encrustado de pedras preciosas. Elas foram trazidas por um monge da Birmânia.  O local está em funcionamento (como templo) e abriga alguns monges. O preço para poder entrar e ver os Budas é de ¥ 30.

 

Ponto turístico #3: o Mausoléu de Mao Tsé-Tung

Local de grande destaque entre as atrações turísticas, o Mausoléu de Mao Tsé-Tung em Pequim abriga os restos mortais de um dos homens mais influentes da China, que era presidente do Partido Comunista desde o seu início, em 1943, até a sua morte, em 1973. O Mausoléu é um dos destaques entre as atrações turísticas de Pequim.

O Mausoléu é dividido em três salões: o Grande Salão Norte, onde fica a entrada que no fundo tem uma enorme escultura em mármore branco de Mao sentado e atrás de sua estátua está uma pintura de uma paisagem com montanhas e nuvens chamada de “A Grande Pátria”. Depois, na entrada desse salão, em frente à estátua, há uma espécie de altar onde as pessoas – normalmente os chineses – depositam as flores amarelas que compram na entrada do Mausoléu.

No segundo salão, o mais importante, está o corpo de Mao na lateral, com o caixão que possui uma tampa de cristal transparente e está dentro de uma pequena sala com paredes de vidro. O presidente está envolto com um uniforme costumeiro e uma bandeira comunista. Um fato interessante é que existem soldados em posição de sentido montando guarda dentro desta sala, bem perto do corpo e um silêncio absurdo, de muito respeito.

 

Mausoléu de Mao Ze Dong. Fonte: Viator.

 

O terceiro salão, chamado de Grande Salão Sul, é na verdade a saída do Mausoléu. Não passa de um pequeno hall que leva o visitante pela saída sul. Assim como na entrada principal do lado norte, a saída do lado sul possui dois monumentos nas laterais, um representando a “Nova Democracia” e outro o “Período de Construção do Socialismo”. O preço de visita varia de ¥ 40 a ¥ 60 e pode ter filas extensas dependendo da época do ano.

 

Fontes: Estudo Prático, Tudo sobre Shanghai, Expedia e Viator.

Por Bárbara Pompei, diretamente de Marília-SP

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário