Abril 04 2017

Turismo Religioso e os Templos Budistas da China

Posted by Camila Sakamoto

O turismo religioso é um dos tipos mais antigos de turismo na história da humanidade, e, provocou, através do tempo, grandes peregrinações no mundo todo. Na China não poderia ser diferente. Conhecida não só por possuir inúmeros Patrimônios da Humanidade e por sua história, a China é também um dos principais destinos do turismo religioso. Confira agora mais cinco importantes templos chineses que atraem anualmente muitos turistas, tanto chineses, quanto internacionais.

 

Turismo religioso na China e os Templos Budistas

 

Templos

O Buda Sorridente, também conhecido como Maitreya, no Templo Lingyin

 

Templo Wannian, no Monte Emei

O Templo Wannian é um dos maiores templos do Sudoeste da China e está localizado no Monte Emei, na Província de Sichuan. Foi inicialmente construído na Dinastia Jin (317-420), sendo posteriormente destruído em um incêndio e, somente reconstruído em 1953. O Templo Wannian, um dos oito templos localizados no Monte Emei, está a 1020 metros acima do mar e é muito famoso e nacionalmente reconhecido por sua incrível estátua do Buda Samantabhadra e pelos tesouros budistas que guarda em seu interior. O Templo tem uma rica história e, também por isso continua atraindo muitos turistas e budistas. A famosa estátua do Buda Samantabhadra, que pesa mais de 62 toneladas e possui 8 metros de altura, foi construída durante a Dinastia Song. Além da estátua, o Templo ainda guarda muitos tesouros, como, por exemplo, o Dente do Buda.

 

Templos

Vista do Templo Wannian, no Monte Emei

 

Muitos oficiais e estudiosos chineses visitaram o Templo para prestar respeito ao local, bem como para experimentar o famoso chá Zhuyeqing, produzido pelos monges. A arquitetura do Templo é tão incrível quanto sua história: inspirada no Budismo Indiano é considerada a responsável pela resistência do Templo, o qual vem sobrevivendo há anos a muitos terremotos. Por isso, o Templo é considerado um milagre da antiga arquitetura chinesa.

 

Templo de Yonghe Lama, em Pequim

 

Templos

Templo de Yonghe Lama, em Pequim

 

O Templo de Yonghe Lama, localizado no nordeste da cidade de Pequim, fica dentro do maior e mais conservado Lamastério (um convento de Lamas, professores de Darma do budismo tibetano) da China atual. Inicialmente construído em 1694 durante a Dinastia Qing, essa construção foi residência do Imperador Yongzheng quando ele ainda era um príncipe. No entanto, em 1744, a Dinastia Qing mudou o status de moradia para lamastério e, assim, o local tornou-se o centro administrativo nacional dos Lamas. Durante o Festival da Primavera, quando se comemora o Ano Novo Chinês, uma feira é realizada no Templo.

 

Templo do Cavalo Branco, em Luoyang

O Templo, também conhecido como o berço do budismo chinês, é um dos mais antigos da China e possui vários ambientes, como o Salão dos Reis Celestiais, o Salão do Grande Buda, o Salão Mahavira, o Salão do Embaixador e o Pagode Qiyun (tipo de torre). Além de visitar o Templo e contemplar sua bela arquitetura, os visitantes podem ouvir sobre a história do Templo e do Budismo. No local há agora mais dois templos: o Templo Indiano e o Templo da Tailândia. O material utilizado na construção desses dois templos foi trazido tanto da Índia, quanto da Tailândia, e as arquiteturas também remetem a tais países. Além de visitantes e turistas que buscam o Templo do Cavalo Branco pela beleza e pelo Budismo, muitos estudiosos e religiosos procuram o local para estudar a história.

 

Templos

Vista das atrações de Luoyang

 

Segundo a história, o Templo do Cavalo Branco era originalmente utilizado como refúgio de verão pelo Segundo Imperador da Dinastia Han, Liu Zhuang. De acordo com a lenda, em 68 A.C., quando o Budismo alcançava seu auge na Índia, dois monges indianos viajaram até Luoyang em cavalos brancos para levar o primeiro manuscrito budista. O Imperador, um budista, construiu o Templo para guardar o manuscrito. Os dois monges que levaram o manuscrito estão enterrados no Templo. Muitos monges budistas, tanto chineses quanto estrangeiros, visitaram o Templo e há muitos que passaram o resto de suas vidas no local. Um exemplo é o famoso monge da Dinastia Tang, Xuanzhang, que não só começou sua peregrinação de 17 anos até a Índia no Templo do Cavalo Branco, como também voltou para lá e passou o resto de sua vida ensinando os preceitos budistas.

 

Templo Daxiangguo, em Kaifeng

O Templo Da Xiang Guo é um dos dez templos mais famosos do Budismo chinês e possui grande importância para a história do Budismo no país. Foi construído inicialmente em 555 na Dinastia Qi do Norte (550-557), reconstruído na Dinastia Tang (618-907) e recebeu o nome que leva atualmente do Imperador Ruizong. O Templo, que atingiu seu apogeu na Dinastia Song (960-1279), tornou-se um centro budista internacional e atrai até hoje muitos turistas e monges de todo o mundo; fato que contribuiu para o intercâmbio cultural da China com outras nações.

 

Templos

Monges no Templo de Daxiangguo, em Kaifeng

 

Os visitantes se impressionam com a bela arquitetura do Templo, cujas estruturas foram construção sob a Dinastia Qing (1644-1911). O Templo Daxiangguo compreende outras construções como o Portão da Montanha, o Salão Daxiongbaodian (Salão de Sakyamuni), o Salão dos Reis Celestiais, o Salão Arhat e o Salão Sutra. Além dessas estruturas, o Templo realiza inúmeras atividades, como, por exemplo, a exibição de lanternas no Festival das lanternas e grandes orações, as quais atraem turistas, religiosos e budistas de todo o mundo.

 

Templo Lingyin, em Hangzhou

Também conhecido como Templo do Retiro da Alma, o Templo Lingyin é um dos maiores e mais visitados templos budistas da China e se localiza na cidade de Hangzhou. O Templo, que possui uma grande estátua do Buda Sakyamuni na posição de lótus, foi construído em 328 D.C. por um monge indiano chamado Huili. Atualmente o Templo é bastante famoso e popular entre os turistas e peregrinos. Segundo a lenda, o Templo Lingyin recebeu este nome por causa do ambiente em que foi construído, uma vez que se localiza entre florestas. O ambiente calmo e tranquilo é o lugar perfeito para um santuário sereno. Durante os anos, o Templo foi destruído e reconstruído inúmeras vezes, tendo, recentemente, sido reconstruído em seu estilo original.

 

Templos

Templo Lingyin, em Hangzhou

 

O Templo consiste em vários ambientes, como o Salão dos Reis Celestiais, o Salão do Grande Herói, o Salão do Buda da Medicina, corredores norte e sul e outras construções. No centro do Salão dos Reis Celestiais está uma estátua do Buda Maitreya, também conhecido como o Buda Sorridente. A estátua do Buda Sakyamuni, o fundador do Budismo, está no centro do Salão do Grande Herói, o principal salão do Templo. A estátua mede 19 metros de altura e o Buda está sentado em uma flor de lótus de 10,5 metros. Assim como demais templos importantes do Budismo, o Templo também guarda tesouros e relíquias do Budismo.

 

Fique ligado no blog para mais notícias, informações e curiosidades da China!

 

Por Ana Yamashita, diretamente de Americana, SP, Brasil

Fontes: Tourism & More; China Highlights; China Tour Guide; Travel China Guide; Visit Our China

 

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | TwitterGoogle +