Fevereiro 22 2018

Três Gargantas: conhecendo a energia chinesa

Posted by Victor Fumoto

Em maio de 1984, o Brasil terminou a construção de uma das sete maravilhas do mundo moderno, a – até então – maior hidroelétrica do mundo, a Usina de Itaipu: com 20 turbinas, potência instalada de 14.000 MegaWatts e uma vazão de 62.200 metros cúbicos de água por segundo; custando por volta de 20 bilhões de dólares. Mas esse título não ficaria nas mãos brasileiras por muito tempo. Em 2003, foi inaugurada, na China, a Usina Hidrelétrica de Três Gargantas, localizada no Rio YangTze: contando com 32 turbinas, potência instalada de 22.400 MegaWatts (gerando energia equivalente a 15 usinas nucleares) e uma vazão de 120.600 metros cúbicos de água por segundo; custando quase 30 bilhões de dólares. No entanto, foi apenas em 2013 que Três Gargantas conseguiu superar a produção energética de Itaipu. São muitos números, mas fica claro quão gigantesca é essa construção; impressionante o suficiente para estampar a nota de 10 yuan.

 

três gargantas

 

Pessoalmente, para ser franca, ao navegar pelo Rio Yangtze, passando pelas eclusas da Usina Hidrelétrica de Três Gargantas e observando a paisagem, olhei para o alto da barragem e não me surpreendi com o tamanho da dita construção; não achei maior de qualquer outra barragem que já tinha visto. Porém, um instante depois, percebi meu erro ao, finalmente, perceber as reais proporções da usina – gigantescas: as barragens se estendiam para além do que meus olhos conseguiam enxergar.

 

Os benefícios e o impacto ambiental da Usina Três Gargantas

A Usina hidrelétrica de Três Gargantas foi idealizada por Mao ZeDong, nos anos de 1950, com a intenção de promover desenvolvimento socioeconômico e resolver os problemas relacionados a falta de energia elétrica, principalmente nos grandes centros, facilitar a navegação no rio YangTze e impedir a ocorrência de enchentes no mesmo rio. Além disso, também podemos apontar melhorias na questão ambiental: a produção energética de Três Gargantas, em apenas um ano, possibilitou que por volta de 50 milhões de toneladas de carvão não fossem utilizados na China, evitando, assim, a emissão de 100 milhões de toneladas de CO2 (dióxido de carbono) na atmosfera.

 

três gargantas

 

Mesmo assim, na construção de qualquer barragem para a instalação de uma usina hidrelétrica é esperado um aumento no nível da água, que causa a inundação de áreas ribeirinhas e o desalojamento e a relocação de comunidades inteiras, que antes viviam próximas às margens do rio. A construção de Três Gargantas reassentou um total de 1,13 milhão de pessoas, quase 30 vezes mais que Itaipu.

Pessoas contrárias à construção da Usina alegaram que a barragem alteraria o ecossistema atual e ameaçaria o habitat de várias espécies de peixes, aves aquáticas e outros animais ameaçados de extinção que vivem na área, além disso, com a inundação, seriam destruídos 1.300 sítios arqueológicos, destruindo a beleza milenar dessa região; o que reduziria o turismo e a renda que ele proporciona. Felizmente, os responsáveis pela construção de Três Gargantas tomaram medidas para amenizar as mudanças ambientais, como a construção de escadas de peixes para permitir a livre circulação das espécies aquáticas; e quanto às relíquias culturais e históricas, essas foram movidas para terrenos mais altos para que não sejam afetadas com o aumento no nível da água.

 

Uma usina cultural, a energia chinesa

 

três gargantas

 

Apesar de seu propósito energético, a Usina de Três Gargantas aposta também no turismo para promover a cultura chinesa. É possível visitar a hidrelétrica, realizando passeios de ônibus ou de barco. Próximo da barragem fica o Museu de Três Gargantas, um grande prédio com toda a informação disponível para o público sobre a construção da Usina e suas curiosidades; há também maquetes da barragem (em escala e com peças móveis) para melhor compreender as proporções dessa construção gigantesca. A usina pode ser admirada das muitas plataformas de observação, que possibilitam uma vista ampla da barragem, estendendo-se por quilômetros. Pelos passeios de barco é possível conhecer Três Gargantas de muito mais perto, passando por dentro dela, através das eclusas. Com certeza um passeio interessante, tanto para crianças, quanto para adultos.

Além disso, em junho, acontece o Festival Internacional de Turismo das Três Gargantas, que consiste em encontros de negócios a respeito de viagens, discussões comerciais, performances literárias, artísticas e exposições de arte popular.

 

Conhecendo o Rio YangTze

Yangtze, Chang Jiang (长江), ou Rio Azul, é o maior rio de toda a Ásia e o terceiro rio mais longo do mundo (estando atrás somente dos rios Amazonas e Nilo), fluindo por 6.300 km, desde os planaltos tibetanos, até o Mar da China Oriental, ao norte da cidade de Shanghai. O Rio Yangtze é considerado, por muitos, o berço da civilização chinesa, sendo utilizado por milênios para irrigação, transporte, saneamento e em estratégias de guerra.

Hoje em dia, 20% do PIB (Produto Interno Bruto) chinês é produzindo na área do delta do Rio Yangze. Um antigo ditado popular diz que “Se você não viajou até Chang Jiang (Yangtze), você não esteve em lugar algum”, porque o rio passa por diversas paisagens chinesas, atravessando nada menos que 10 províncias, incluindo Qinghai, Tibete, Sichuan, Yunnan, Hubei, Hunan, Jiangxi, Anhui, Jiangsu e Shanghai.

Quer saber mais sobre a China e importação? Continue ligado no blog e compartilhe sua opinião conosco nos comentários! 
 

Por Isabela Caetano, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: Itaipu.gov; YangTze.org; Tribunapr.com

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +