March 21 2018

O casamento comercial entre China e África: o crescimento da presença chinesa no continente africano a partir das exportações

Posted by Ana Yamashita

A presença chinesa no comércio exterior global possui grande destaque, pois suas exportações e importações envolvem os mais diversos países e regiões do mundo (para saber mais sobre as relações comerciais de China e América Latina clique aqui!). Mas há um continente no qual a presença comercial chinesa é muito importante: a África. O continente africano possui 54 países e uma população que supera 1 bilhão de indivíduos. E essa grande quantidade depende muito do comércio exterior, o que origina uma grande oportunidade para a China.

 

Histórico Africano

 

presença chinesa

 

A história africana é riquíssima, os países atuais são compostos por sociedades e culturas milenares. Por isso, ao tratarmos da presença chinesa na África, devemos nos lembrar do desenvolvimento histórico deste rico continente. Se você parar para pensar que Angola, por exemplo, libertou-se do domínio português só em 1975 (apenas 43 anos atrás), poderá perceber o quão jovem é essa nação, o que torna a organização econômica, e, consequentemente, sua organização comercial, muito difícil. O mesmo pode ser aplicado para a maioria das naçõs africanas. Para comparar podemos utilizar a situação do Brasil, que embora já tenha 518 anos, ainda não conseguiu se afirmar no comércio internacional.

Essa “juventude” dos países aumenta a dependência deles em relação a outros que já estão mais consolidados no mundo; isso acontece nos mais diversos setores, inclusive no comércio exterior. Por consequência disso, praticamente todo o continente africano enfrenta essa situação, o que acaba por gerar dificuldades, por exemplo, na industrialização. Países muito jovens não conseguem construir parques industriais completos o suficiente para abastecer seu mercado interno e nem as tendências mundiais geradas pela globalização. Daí então, surge a opção de recorrer ao comércio exterior para preencher essas lacunas, e é aí que entra a China.

 

China: o grande player do comércio exterior

A presença chinesa no comércio exterior já é muito bem consolidada. Apesar de ter passado por fases de instabilidade econômica e política ao longo de sua história, há muito tempo o gigante asiático é figura carimbada nas negociações entre países. Uma forma de exemplificar esse dado é considerar o período de auge da Rota da Seda, rota comercial que ligava a Europa e o Oriente e contava com a China como um de seus personagens principais.

Mais recentemente, a China deu um grande salto em seu potencial no comércio global com a abertura econômica iniciada no final da década de 1970, considerando sua amplitude territorial e sua imensa população que originava uma mão de obra de custo muito baixo, investir na China se tornou um prato cheio para as grandes empresas do mundo, o que fez com que as maiores e mais importantes indústrias do planeta ganhassem unidades em território chinês.

Após isso, os chineses passaram a criar suas próprias marcas e empresas. Um bom exemplo para entender esse fato é o surgimento das montadoras de automóveis como Lifan e Chery durante a década de 1990. Ou seja, a China recebeu plantas de produção automobilística desde sua abertura econômica, e, após apenas 20 anos, o país já tinha know-how e conhecimento suficientes para construir suas próprias montadoras. Esse fenômeno aconteceu e acontece nos mais variados setores, e aumentou a presença chinesa em todo o mundo, que passou a exportar tanto produtos de empresas estrangeiras, quanto de suas próprias empresas.

 

A presença chinesa na África

 

presença chinesa

 

Vamos parar um pouco e analisar até onde chegamos. De um lado temos a África, um continente repleto de países muito jovens e que precisam de produtos para abastecer suas economias internas. Do outro lado temos a China, um tradicional gigante do comércio internacional que, durante as últimas 4 décadas, só aumenta sua produção e a criação de marcas e empresas nacionais. É a combinação perfeita? Com certeza!

O contexto apresentado acima foi muito favorável para a intensificação da presença chinesa na África. Os países africanos veem no comércio exterior uma possibilidade de buscar produtos e serviços que sua força interna ainda não é capaz de proporcionar, principalmente pela dificuldade econômica enfrentada pela região devido a seu histórico recente de muita instabilidade e conflitos políticos.

É claro que a presença chinesa na África recebe muitas críticas; em muitos casos, é dito que a China atua de uma forma colonizadora em seus parceiros africanos. Entretanto, deve-se considerar a importância positiva do impacto trazido pelo comércio exterior chinês para países que possuem uma produtividade industrial muito baixa. Agora falta saber do que é composto essas trocas comerciais entre China e África, mas isso é assunto um próximo artigo! Você não vai querer perder, não é mesmo?

Então continue ligado no blog!

 

Por Victor Silva Mallavazi, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: Wikipedia, Africa News

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +