Abril 06 2018

Presença chinesa na África e seu crescimento a partir das exportações

Posted by Victor Fumoto

O blog da China Link Trading já contou um pouco mais sobre a presença chinesa comercial nos países africanos, considerando aspectos históricos e econômicos. Agora é hora de saber do que se trata e o que compõe o comércio exterior feito por chineses e africanos. Para descobrir o que a África compra da China e o que a China compra da África, por onde esses produtos são levados para seus destinos e mais várias outras curiosidades sobre o assunto é só continuar a leitura!

 

presença chinesa

 

Antes de falar quais são os principais produtos envolvidos nessas negociações, precisamos ressaltar que o continente africano é composto por 54 países diferentes, e claro que não será possível falar da presença chinesa em todos eles, para isso precisaríamos de um blog inteiro para o tema! Dessa maneira, selecionaremos alguns países que possuam um grande volume de trocas comerciais com a China ou então países que estejam envolvidos em detalhes interessantes do comércio exterior chinês.

 

Principais parceiros comerciais africanos da China

Quando se trata do comércio exterior africano, alguns países tradicionais se destacam, e nas relações com a China não é diferente. África do Sul, Egito, Nigéria e Argélia são os principais importadores de produtos chineses da África. Com relação às exportações africanas para a China, o caso muda de figura; os três últimos perdem força, enquanto a África do Sul se mantém em alta, agora com a companhia de Angola.

 

presença chinesa

Exportações para a China                                           Importações para a China

 

Nos números, a África do Sul é a primeira colocada nos dois quesitos: importando mais de 21 bilhões de dólares da China e exportando mais de 19 bilhões de dólares, tendo grande vantagem em relação aos segundos colocados. No norte do continente, Egito e Argélia se destacam como grandes importadores de mercadorias chinesas, atingindo, respectivamente, 10 e 7 bilhões de dólares. A Nigéria é outro parceiro comercial importante nas importações, chegando a mais de 9 bilhões de dólares. Entre os países africanos que exportam para a China, depois da África do Sul, encontramos Angola; a nação lusófona exporta cerca de 13 bilhões de dólares para a China (todos os dados informados são de 2016).

É curioso mencionar os países africanos com menores valores no comércio exterior com a China. Nessa lista temos entre os exportadores: Lesoto (18 milhões de dólares), Burkina Faso (13 milhões de dólares) e Suazilândia (“apenas” 312 mil dólares). E ao se tratar das importações, a República Centro Africana aparece na última posição, tendo importado pouco mais de 15 milhões de dólares da China (aqui os dados também são de 2016).

Ao ver essas informações, fica fácil perceber que o superávit está do lado chinês, ou seja, a China exporta mais do que importa em suas relações comerciais com o continente africano. Por esse motivo que se fala tanto da “presença chinesa” na África, por ser um grande produtor de manufaturados, a China acaba enviando muitos produtos para seus parceiros comerciais africanos.

 

Presença chinesa: produtos que compõem a pauta de exportações da China para a África

As exportações chinesas para a África são muito variadas, mas as categorias que mais saem da China e chegam na África são máquinas e eletrônicos. É curioso notar que roupas e móveis também têm um destaque muito grande. Além dessas, artigos médicos, brinquedos, químicos e produtos de couro, até barcos são produzidos na China e vendidos para países africanos.

A África do Sul, país que mais importa da China, segue a regra do jogo. A presença chinesa se materializa no território sul-africano através de aparatos de rádio, televisão, telefonia e computadores. As importações de roupas como calças, calçados e ternos também são relevantes nessas negociações. Quanto às exportações da África do Sul para a China, a situação se inverte, pouco diversificada, os produtos que se destacam na pauta são o ouro, que abrange quase 40% do total exportado, e, na sequência, o diamante e a platina (todos os dados são de 2016). As exportações africanas para a China seguem o exemplo sul-africano, o segundo colocado da lista, Angola, concentra suas exportações no quartzo, que ocupa praticamente 70% dos envios para a China.

Portanto, é fácil perceber que a presença chinesa na África é importante para os dois lados, tanto para os países africanos, que precisam de um parceiro comercial grande e consolidado como a China para abastecer seus mercados, quanto para os chineses, que encontram um mercado ainda pouco desenvolvido que pode ser muito útil para sua economia.

Quer saber mais sobre a China e importação? Continue ligado no blog!

 

Por Victor Silva Mallavazi, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: Trade Map; The Atlas of Economic Complexity

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +