O que esperar dos negócios da China no Brasil em 2019?

Ano após ano a China tem se mostrado um país com grande potencial para negociações ao redor do mundo. O Brasil é um dos países que tem negociado com a China e os frutos destas negociações têm sido bastante promissores tanto para fabricantes quanto para empresários de ambos os países. Considerando o propício cenário comercial e dos negócios da China com o Brasil, quais seriam as novas perspectivas destes no ano de 2019? O que devemos esperar dos negócios da China no Brasil neste novo ano?

As perspectivas dos negócios da China no Brasil são boas e o investimento chinês em empresas brasileiras promete aumentar em 2019, especialmente nos setores deficitários, ou seja, setores nos quais os investidores do império chinês apresentam escassa ou nenhuma presença.

 

Negócios da China
Novas perspectivas dos negócios da China no Brasil em 2019. Fonte: Job Contábil

 

De acordo com os dados divulgados pela agência Mergermarket, as empresas da China adquiriram cinco empresas brasileiras no ano de 2018, com um valor estimado em US$ 2,1 bilhões e uma queda de 69,4% quando comparado ao investimento de mesma característica realizado no ano de 2017, referente a US$ 6,8 bilhões distribuídos em seis transações. Além disso, também no ano de 2018, a China foi o maior parceiro comercial que realizou investimentos no Brasil, sendo a responsável por 26,8% das exportações oriundas do território brasileiro, equivalente ao valor de US$ 64,2 bilhões e, a 19,2% das importações, que atingiram US$ 29,5 bilhões, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

 

Novas perspectivas quanto aos negócios da China no Brasil

As novas perspectivas quanto aos negócios da China no Brasil devem-se primordialmente ao fato da mudança dos líderes do governo brasileiro. De acordo com Charles Tang, o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China (CCIBC), o estabelecimento do novo governo brasileiro contribuiu positivamente para a restauração da confiança dos diversos investidores chineses, que continuam a reconhecer o território brasileiro como um mercado-chave em diferentes setores, tais como infraestrutura, energia e agronegócios.

Com relação aos negócios do setor de infraestrutura, futuros leilões serão de grande interesse da China, como por exemplo, o projeto da Ferrovia Ferrogrão. O motivo do interesse do país asiático nestes leilões é devido à expansão de projetos de infraestrutura sustentável no Brasil. Possíveis licitantes para o projeto da Ferrogrão são a China Communications Construction Company e a empresa de comércio de grãos COFCO.

Conforme exposto por Charles Tang, os negócios da China também podem focar em projetos de engenharia no setor de energia do Brasil. Desta forma, para o ano de 2019, os chineses desempenharão um papel ativo nestes projetos, ocupando o espaço de empresas locais que sofreram os reflexos ocasionados pela Operação Lava-Jato. Para este ano de 2019, de acordo com a previsão de Daniel Lau, consultor financeiro da China, também espera-se que os diversos investidores chineses participem de projetos locais de energia renovável e da sexta rodada de petróleo e gás do Brasil.

Quanto aos negócios da China relacionados ao agronegócio, um assessor local anunciou que a indústria brasileira é considerado um interessante terreno fértil para os chineses, especialmente na atual guerra comercial entre as economias dos Estados Unidos da América e da China, que levou os compradores asiáticos a buscar commodities em outros lugares.

 

Negócios da China
Negócios da China com o Brasil relacionados ao agronegócio. Fonte: Jornal de Batatais

 

O aumento dos negócios da China no Brasil

Conforme exposto por Charles Tang, várias empresas preocupadas com os negócios da China visarão buscar em 2019 algum tipo de acordo com o Brasil, principalmente quando o presidente chinês, Xi Jinping, visitar o território brasileiro. Esta visita acontecerá no mês de outubro de 2019, onde o presidente chinês participará da 11ª cúpula do grupo BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China).

 

O novo governo brasileiro e seu impacto nas futuras negociações chinesas

Logo após o novo governo do Brasil assumir o controle do país, o embaixador chinês Yang Wanming, realizou no Brasil reuniões a portas fechadas com o Augusto Heleno, ministro de Segurança Institucional do país, e com o Paulo Guedes, ministro da Economia.

Os novos ares dos negócios da China com o Brasil provavelmente são decorrentes do novo governo brasileiro. O próprio presidente da China, Xi Jinping, felicitou por meio de uma carta ao atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e enfatizou que a China está disposta a não quebrar o respeito dos interesses fundamentais tanto do país chinês quanto do Brasil. Além disso, o presidente da China ressaltou que os dois dos principais países em desenvolvimento, a China e o Brasil, têm como responsabilidade melhorar suas economias a partir de 2019.

 

Negócios da China
As relações Brasil-China e futuras negociações. Fonte: Oftalpro

 

Dado o exposto, este novo ano promete importantes negociações da China com o Brasil. O novo cenário comercial será favorável para ambas economias em termos de capital e, também, desenvolvimento tecnológico. Certamente, as relações Brasil-China serão bem sucedidas em 2019, especialmente pois as duas economias que são complementares e dificilmente se tornarão antagonistas.

 

Por Laura Mochiatti Guijo, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: Forbes, Exame Abril, Jornal do Comércio, Uol, OftalPro, JobContábil

Gostou desse artigo?

Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook | Canal do Youtube | LinkedIn | Instagram | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário