Monte Emei: o sagrado complexo de montanhas

Se você está a procura de um lugar para visitar nas suas férias e que te faça esquecer de todos os problemas, o Monte Emei é, com certeza, uma das melhores opções para essa visita. A paz espiritual dos templos budistas e a interação intensa com a natureza marcam o Éméishān (峨眉山), localizado na região sudoeste da Província de Sichuan, a 7 quilômetros da cidade de Emeishan, e tendo ao seu redor um complexo de quatro montanhas: Da’e, a maior delas, cerca de 3099 metros acima do nível do mar, Er’e, San’e e Si’e, que são tão bonitas quanto, mas não possuem a mesma fama e dimensão da irmã maior.

 

Como chegar ao Monte Emei

É possível, apesar do relevo acidentado, chegar a cidade de Emeishan facilmente através de ônibus que saem em viagens a cada meia hora do New South Gate Bus Station, na cidade de Chengdu, levando cerca de duas horas e tendo o custo de 37 yuans chineses, ou 5,43 dólares convertidos.

 

Monte Emei
A paz espiritual dos templos budistas e a interação intensa com a natureza

 

A natureza e sua beleza

O complexo de montanhas do Monte Emei se mostra um local de gigantesca beleza natural para aqueles que apreciam a paisagem ou mesmo buscam inspirações e boas energias para o início de algum projeto pessoal, mas a interação com a natureza apresenta muito mais que apenas vistas de tirar o fôlego. É possível embarcar em trilhas, tanto de carro quanto a pé, para que toda a experiência de imersão com a natureza seja sentida. Além disso, para os menos preguiçosos, a opção de caminhada os levará a pontos de visões ímpares e, consequentemente, de ainda maiores beleza do local, sendo esses pontos intitulados pelos grupos turísticos chineses de Top 10 Views of the Mount Emei, que agora receberam uma nova versão com mais 10 vistas imperdíveis em um passeio pelo complexo.

 

Monte Emei
Os macacos de Emeishan ou Ling Hou (灵猴)

 

Um anfitrião único

Um dos moradores mais simpáticos do Monte Emei são os macacos de Emeishan ou Ling Hou (灵猴). Apesar de simpáticos e de se alimentarem apenas de folhas, flores e frutos, esses macaquinhos fazem parte de uma rara espécie na China de macacos tibetanos, e se encontram sobre a proteção chinesa, juntamente com todos os outros macacos. Existem, inclusive, dicas de como se portar em relação a um encontro com algum grupo de macacos entre os templos, explicando que tais macacos são constantemente alimentados por monges e turistas, aconselhando, então, que dê para eles amendoins e frutas doces. Quando a comida acabar, erga suas mãos demonstrando que não há mais o que dar, pois isso deixará clara a situação e eles irão embora. Tentar enganá-los com relação à comida possivelmente os deixará estressados, aumentando a possibilidade de te machucarem. Outro fator que o colocará em risco será tentar interagir com macacos filhotes sendo alimentados por suas mães, recomendando-se, portanto, o máximo de distância possível, pois as mães podem eventualmente encarar sua presença como uma ameaça.

 

Os principais templos budistas

Além de ser um vasto paraíso no quesito natureza, o Monte Emei possui grande importância também para o budismo, uma vez que existem trinta templos budistas que foram construídos nos topos das montanhas a partir do século I, e hoje recebem a visita de cerca de mais de mil turistas todos os dias em cada um deles. Além de servir de moradia para cerca de 300 monges e freiras budistas, que ajudam a manter intactas as construções que já estão lá há quase dois milênios, os templos do Monte Emei carregam consigo as mais belas representações da arte chinesa, como podemos observar em seus principais pontos turísticos:

 

Monte Emei
Baoguo (报国寺), o maior dos templos de Monte Emei

 

O maior dos templos no Monte Emei é o templo Baoguo (报国寺), sendo também o principal destino budista para os viajantes, pois lá se encontra uma estátua de porcelana gigante representando o caminho do meio, Gautama Buddha, e um sino de bronze de 25 toneladas. O templo foi originalmente chamado de Lingshan (灵山寺), mas teve seu nome alterado durante a dinastia Tang, no ano de 880 d.C. Apesar de ser em sua totalidade feito de madeira, o templo se mantém desde 1013, ano de sua última grande reforma.

 

Monte Emei
Fuhu (伏虎寺) ou Templo do Tigre Oculto

 

Dentre os templos mais belos e com maior interação com a natureza, o templo Fuhu (伏虎寺) se destaca, uma vez que se coloca bem no meio da densa floresta, fator essencial que fez com que o chamassem de Templo do Tigre Oculto. Tal contraste com a natureza atrai até hoje centenas de visitantes.

 

Monte Emei
Jin Ding (金顶), ou em inglês The Golden Summit

 

O segundo ponto mais alto, com aproximadamente 3077 metros de altura, é onde se localiza o templo dourado de Jin Ding (金顶), ou The Golden Summit, que carrega consigo a fama de um dos mais visitados entre todos construídos no Monte Emei, justamente por sua popularidade entre os turistas. Todo esse dourado do templo, segundo o budismo, tem o significado de luminosidade e alegria. Outra das atrações do templo dourado é uma estátua dourada de Buda com 48 metros de altura, ou aproximadamente um prédio de 15 andares!

Então, o Monte Emei é ou não um destino imperdível para sua próxima viagem?

 

Por Lucas Fortes Mulati, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: BBC, Visit Our China, Wikipédia

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário