Mercado multinível e importação de produtos chineses online – China Link Blog de Importação

O artigo de hoje irá expor aos nossos leitores e curiosos de plantão sobre o que é e como funcionam as compras online de produtos chineses.

Esse comércio internacional eletrônico funciona aqui no Brasil através do conceito de mercado multinível baseado na prática de “dropshipping”. O que pode, dependendo da credibilidade do site de compras, ser um bom negócio ou não.

O que é?

O mercado multinível teve seu “boom” e a possibilidade de operar melhor somente a partir do século XXI, com as facilidades tecnológicas, de informação e formação de redes.

Juntamente com os conceitos de “marketing network” ou “marketing multinível”, e o “dropshipping”, o sistema, que se diferencia do esquema em pirâmide (recrutamento progressivo de pessoas), possibilita o comércio de produtos e serviços num âmbito amplo de ofertas, com preços “satisfatórios” e com vantagens coletivas ou individuais numa relação direta ao seu alcance. Sendo este alcance em relação ao aumento do número de consumidores ou no aumento do seu setor de operações.

No Brasil, esse sistema opera legalmente no mundo virtual através de uma brecha na lei que permite o site, se ele for de fato uma empresa e se deixar claro para o cliente que seus produtos não estão fisicamente disponíveis ou em estoque, a operar.

Como funciona?

Geralmente é utilizado por uma empresa (no caso do dropshipping por uma importadora) de produtos ou serviços, que por alguma questão de estratégia de mercado, bem como por vantagens financeiras, administrativas e de logística opta pelo sistema numeroso quando tratamos, principalmente, do consumo de produtos eletrônicos chineses.

Muito comum no comércio eletrônico global e legalmente permitido no Brasil e no mundo, a prática do dropshipping consiste em vender produtos por meio de sites, sem que se tenha nada em estoque. O mecanismo funciona de maneira simples. O cliente entra na página da internet achando se tratar de um e-commerce normal. Escolhe seus produtos, o tipo de frete, paga com cartões de crédito e espera a chegada da encomenda. Na outra ponta, não há um varejista que dispõe de um centro de distribuição para ordenar a entrega. Há, na maior parte das vezes, um único indivíduo que, ao receber o pagamento pela compra, faz o pedido do produto para um fornecedor em algum lugar do mundo, pagando um preço muito inferior ao que foi cobrado do consumidor. Nesse modelo de comércio, o fornecedor envia diretamente o produto ao cliente final, sem que o site atue como intermediário.

Quais são suas falhas?

O sistema apresenta falhas em seu funcionamento, pois ele não é completo. Ou seja, não há clareza na identificação do fornecedor, além da sonegação de impostos (como o ISS e o ICMS) e total responsabilidade do consumidor em relação ao produto apreendido.

Exemplo: Quando chegam ao país, os produtos enviados por dropshippers passam pelo mesmo trâmite que qualquer outro produto importado. Eles estão sujeitos à triagem da Receita Federal, da ANVISA e do Exército. Em casos de falsificações ou produtos proibidos, as mercadorias são apreendidas. É comum que os dropshippers não avisem os consumidores que os produtos comprados podem ser tributados, caso excedam as regras de isenção de imposto de importação (no máximo US$ 50, veja mais sobre esse assunto aqui). Se as compras ficarem presas na alfândega, quem paga é o próprio consumidor.

Por conta desse comércio atraente ao bolso do consumidor, porém falho em relação às leis operantes no Estado brasileiro, a China continua a ser o país número um na origem dos produtos contrafeitos apreendidos, sendo responsável por 62 % destes ou US$ 124,7 milhões do valor total nacional de apreensões.

Quais são suas vantagens?

Na realidade, o consumidor/comprador virtual só terá vantagens nesse tipo de comércio caso encontre um bom site de compras online, em que eles possuam realmente um CNPJ, que atuem de acordo com as leis brasileiras, que possuam um estoque coerente e com produtos de qualidade “aceitável”.

O Procon-SP divulgou uma lista com 200 sites não confiáveis para esse tipo de compra, alguns ainda estão em operação e outros já saíram do ar, porém existem outros milhares em operação.

Uma dica dos contribuidores da China Link Trading é: não se deixem enganar pelos preços relativamente baixos. Procurem conhecer mais seus fornecedores e a legislação que recaia sobre as operações de importação desde as mais simples até as mais complexas.

Acompanhe nosso Blog de Importação e tire dúvidas conosco através do e-mail de contato: contato@chinalinktrading.com.

Nota do autor: Caso a leitura do artigo traga-lhe alguma dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário abaixo. Estamos sempre disponíveis para atendê-los!

Taiame-souza

Por Taiame Souza – Direto de São José dos Campos/Brasil
www.chinalinktrading.com
 Acompanhe novidades no: www.facebook.com/ChinaLinkTrading

Se você precisar de qualquer apoio para começar a importar da China ou melhorar a sua operação aqui na Ásia, podemos apoiá-lo na busca de fábricas chinesas capazes. Nós fazemos a procura de fornecedores chinesescontrole de qualidade e carregamento da carga para você em qualquer lugar na Ásia. Consulte nosso site para mais informações.


Veja Também


Deixe seu comentário