Hong Kong sedia simpósio sobre sua Lei Básica

Muitos não entendem a relação política e econômica entre China e Hong Kong, mas conhecem a fama turística da cidadeA (nem tão complicada) relação entre as duas passou por uma reaproximação cerca de 20 anos atrás quando Hong Kong voltou a ser parte do território chinês e deixou de ser domínio britânico.

 

hong kong
Vista panorâmica de Hong Kong. Fonte: China Link Trading.

 

Simpósio sobre Lei Básica de Hong Kong

Neste meio de Julho, no dia 14, foi iniciado o 3º Simpósio sobre o tema “Um país, dois sistemas”, sediado em Hong Kong. Neste simpósio busca-se analisar a trajetória histórica da Lei Básica de Hong Kong ao longo dos seus 21 anos de duração, desde o retorno da mesma à República Popular Chinesa, que ocorreu em julho de 1997. Os quatro pontos principais abordados durante este Simpósio foram: a adesão completa à política de “Um país, dois sistemas”, a plena defesa da autoridade da Constituição e da Lei Básica, divulgação e o estudo dessa política dos dois sistemas em um único país e também o reforço da educação. O presidente Xi Jinping tem reiterado a sua preocupação com a compreensão do mundo acerca da China e este simpósio tem grande importância para este propósito, uma vez que o entendimento estrangeiro acerca da participação do ex-território britânico na China é limitado. Ainda acerca das mudanças política ocorridas no governo Xi Jinping, é esperado que Hong Kong seja integrado ao plano de desenvolvimento nacional econômico e passe a utilizar iniciativas ao desenvolvimento como a Construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong- Macau.

 

Hong Kong
Xi Jinping. Fonte: hojemacau

 

A Lei Básica de Hong Kong (uma Região Administrativa Especial [RAE]) foi adotada pela República Popular da China e passou a vigorar em 1997, substituindo a antiga legislação britânica e estipula as políticas básicas do governo chinês em relação à RAE, uma vez que o socialismo do país não seria estendido ao ex-território britânico, podendo assim continuar com seu estilo de vida e política capitalista por 50 anos a partir da adoção da Lei Básica. Existe um debate acerca da origem da lei, onde uns afirmam ela ser doméstica enquanto outros acreditam numa origem sino-britânica, fato que seria decisivo ao se mensurar a abrangência do poder da República Popular da China sobre a Lei Básica.

 

Cúpula Hong Kong – Asean 2018

Também neste mês de Julho foi realizada a Cúpula Hong Kong – Asean 2018, cuja temática “Inovar a Economia e Ampliar as Vantagens” chamou a atenção do mercado mundial. O secretário de Inovação e Ciência da RAE de Hong Kong reiterou a importância do desenvolvimento da tecnologia inovadora para o aumento da velocidade do crescimento econômico, afirmando também que os dez países da Asean 2018 juntamente com a China são as nações com maiores índices de crescimento econômico do continente, o que acabou por transformar a região em uma importante exportadora de tecnologia inovadora, se tornando importantes mercados de exportação.

 

Hong Kong e a guerra comercial

A recente guerra comercial travada entre as principais economias globais, onde ocorreu um aumento das tarifas das trocas comerciais (e não uma redução como é a intenção da OMC) pode acabar por influenciar a cidade de Hong Kong, uma vez que esta se posicionou como sétimo maior centro comercial do planeta. Este aumento das tarifas representa um recuo na história do comércio internacional, segundo Yau Tang-wah, o secretário do Comércio e Desenvolvimento da RAE de Hong Kong. Caso esta guerra comercial ocorra de fato este quadro poderia se reverter. O secretário revelou ainda que serão tomadas medidas que enfrentarão os eventuais riscos, como o apoio à pequenas e médias empresas.

Hong Kong
Vista da Baí de Victoria. Fonte: Dreamstime.

 

Relação econômica entre Hong Kong e Brasil

A relação econômica estabelecida entre Brasil e Hong Kong é de extrema importância uma vez que a China é hoje o principal parceiro comercial do Brasil. A recente ampliação das exportações de carne bovina em Santa Catarina demonstra a sua conquista do mercado internacional. O ex-território britânico é hoje o principal destino dessa produção de carne bovina, ocasionando faturamento de US$ 7,11 milhões. Além disso, Hong Kong permanece como principal destino das exportações de carne suína do Brasil, embarcando 79,e mil toneladas no primeiro semestre, com uma alta de 12% no volume quando comparado ao índice de 2017.

 

Mariana M. Fidalgo, diretamente de São Pedro, SP – Brasil
Fontes: Radio Internacional da China, Notícias Agrícola, O Globo, China Link Trading

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +

 


Veja Também


Deixe seu comentário