Importar smartphones chineses: caminhos para a importação

É muito comum no Brasil e em todo o mundo, a grande busca por produtos chineses, primeiramente pelo custo que é muito menor em relação a produtores de outros países e, mais atualmente também pela qualidade e outros quesitos como design, que vêm melhorando constantemente. Assim, os mais diversos tipos de produtos, desde bijuterias até máquinas, são comprados pelos brasileiros e, até mesmo importar smartphones chineses tem sido comum no Brasil.

 

importar smartphones chineses

Imagem de Vejaonline.jp

 

Assim, a procura por fazer “um negócio da China” tem sido grande por parte dos brasileiros que buscam melhores preços e maiores vantagens. Contudo, não há somente facilidades na compra de todos os produtos e, alguns como no caso dos celulares atuais, vem enfrentando dificuldades no que diz respeito às normas específicas de entrada no Brasil. Logo, importar smartphone chineses não é mais uma tarefa tão fácil para os brasileiros realizarem.

 

Os smartphone chineses

Ouvimos falar em importar smartphones chineses, mas fica sempre a dúvida se realmente vale a pena fazer isso e se o produto possui de fato qualidade. Mas no que diz respeito a qualidade e variedade, podemos esquecer daquela antiga fama chinesa de oferecer produtos sem qualidade e pensar que importar smartphones chineses podem ser um bom negócio.

Nos dias de hoje, você pode comprar smartphones de grandes marcas como Samsung e Sony na China e também surgiram algumas empresas que já vendem em todo o mundo, inclusive no Brasil. É o caso da Xiaomi. Eles possuem um smartphone chamado Redmi que já é vendido em todo o mundo. Porém, o último modelo é sempre vendido pelos sites da China e chegam bem depois no Brasil e com preços bem mais “salgados”.

Confira nosso vídeo sobre se vale a pena ou não importar Iphones da China!

 

Produtos de qualidade mostram que vale a pena importar smartphones chineses

Ao considerar que importar smartphones chineses pode ser um bom negócio, e importante conhecer os diversos produtos que são oferecidos. Entre eles, podemos citar a Xiaomi, que é uma das marcas mais conhecidas quando falamos em bons smartphones chineses. O modelo mais recente da empresa é o Xiaomi Mi Mix 2.Com uma tela que ocupa ainda mais espaço que o Mi Mix do ano passado, ele tem corpo de alumínio revestido em cerâmica, câmera de 12 MP, processador Snapdragon 835 e até 8 GB de RAM.

Na China, ele custa 3.300 yuan (cerca de R$ 1.500) no modelo com 6 GB de RAM e 64 GB, 3.600 yuan (R$ 1.700) por 6 GB de RAM e 128 GB, 4.000 yuan (R$ 1.900) por 6 GB de RAM e 256 GB, ou 4.700 yuan (R$ 2.200) por 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento. É difícil achar aparelhos com especificações técnicas parecidas no Brasil nessas faixas de preço.

 

Importar smartphones chineses

Xiaomi Mi Mix. Imagem de Olhardigital.com.br

 

Ademais, temos a Vivo chinesa que não tem relação alguma com a operadora que atua no Brasil. Lançado em setembro, o Vivo V7 Plus é um aparelho de ponta para quem quer boas selfies. Ele tem 4 GB de RAM, 64 GB de armazenamento interno, tela de 5,99 polegadas 720p, bateria de 3.225 mAh e um processador Snapdragon 450, que não está nem perto de ser um dos mais potentes do mercado, mas ainda garante um desempenho aceitável.

Os destaques dele estão nas câmeras: a frontal tem 16 megapixels e capacidade de gravar vídeos em 4K. Já a frontal tem incríveis 24 megapixels e diversos recursos para tirar selfies mais bonitas.

 

Importar smartphones chineses

Vivo V7 Plus. Imagem de Olhardigital.com.br

 

Também podemos citar o One, que é considerado o smartphone mais rápido do mundo quando foi lançado, o OnePlus 5 é uma excelente opção para quem quer um bom aparelho.

Ele tem processador Snapdragon 835, até 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento e tela Optic AMOLED de 5,5 polegadas Full HD. A câmera traseira dupla tem 16 e 20 megapixels, enquanto a frontal tem 16 megapixels.

Ele é vendido em outras partes do mundo além da China. Nos EUA ele custa US$ 479, ou cerca de R$ 1.500.

 


OnePlus 5. Imagem de Olhardigital.com.br

 

Dificuldades de importar smartphones chineses

Considerando todos os benefícios, importar smartphones chineses parece ser muito vantajoso, porém, não podemos esquecer que as regras brasileiras mudaram um pouco para os cidadãos que planejam importar individualmente.

Assim, A nota da Anatel informa que a agência passou a fiscalizar a segurança e qualidade de produtos importados. De acordo com a Lei Geral de Telecomunicações (Lei n.º 9.472/97), “é proibida a utilização de equipamentos emissores de radiofrequência sem certificação expedida pela Anatel”, diz o texto. Na prática, isso quer dizer que todo equipamento que emite radiofrequência, como smartphones (Wi-Fi, Bluetooth e 3G/4G) precisa passar por uma bateria de testes (certificação) e ter a documentação reconhecida pela Anatel (homologação).

Secundino Lemos, que atua na área de Certificação e Numeração da Anatel, explica: “O processo objetiva conferir ao produto comercializado no Brasil condições mínimas de operação na rede brasileira e de segurança e qualidade ao consumidor nacional”.”

“A Receita Federal tem um convênio com os Correios para analisar, no centro de triagem, todos os aparelhos que chegam do exterior. O objetivo é garantir o recolhimento de impostos e cumprir outros requisitos, como a homologação de equipamentos emissores de radiofrequência pela Anatel.

Na nota, a Anatel destaca que “a importação de produtos de telecomunicações por consumidores por meio dos Correios é proibida no Brasil”. Ao consumidor brasileiro é permitido apenas trazer equipamentos em mãos ao voltar de viagens internacionais. Continua a nota: “O consumidor pode trazer um equipamento em mãos ao voltar de viagens internacionais, mas não pode encomendar tais produtos do exterior por correspondência”.

 


Regulação da Anatel para importar smartphones chineses. Imagem de Empreendaecommerce.com.br

 

Caso o consumidor volte de viagem com um produto para uso próprio que não esteja homologado pela Anatel, é cobrada uma taxa de R$ 200. Já para fins comerciais, a taxa é de R$ 500. Os valores são destinados ao Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel).”

Dado o exposto, apesar de ser vantajoso importar smartphones chineses, os brasileiros que pretendem fazer isso não terão as mesmas facilidades que anteriormente e até mesmo podem sofrer de mudanças nos valores. Contudo, ainda existem formas de obter um smartphone chinês, assim como a tradicional maneira de procurar em lojas brasileiras os que já estejam disponíveis, apesar dos valores maiores.

 

Por Pedro Mochiatti Guijo, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: Olhardigital.com; Oficinadanet.com;Gazetadopovo.com; Mobizoo; Tekimobile.com

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter


Veja Também


Deixe seu comentário