Importação de produtos chineses no Brasil

As relações comerciais entre China e Brasil crescem a cada ano. A nossa balança comercial com os chineses foi superavitária, isto é, as nossas exportações superaram o volume de importações em 32 bilhões de dólares no ano de 2017. A nossa pauta de exportações ao país asiático consiste em sua grande maioria de commodities agrícolas, como a soja triturada, que representou no ano passado 48% das nossas exportações à China. Além da soja, minério de ferro, petróleo bruto e celulose são outros produtos que exportamos em grande quantidade a eles. Por outro lado, a nossa pauta de importação da China consiste de produtos eletrônicos, como circuitos impressos, peças de telefonia, partes de aparelhos receptores e transmissores. Quer saber mais sobre a nossa pauta de importação da China? Então continue lendo este artigo!

 

Por que a importação da China é muito vantajosa?

A China é a segunda maior economia do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Por causa da sua grande produção industrial, a China é apelidada de a “fábrica do mundo”. Um dos motivos que levaram ao rápido e impressionante ritmo de crescimento econômico experimentado pelos chineses foi o investimento em educação e a imensa oferta de mão-de-obra barata disponível.

 

importação da China
Imagem by Frank Mckenna, Unsplash.

 

Um dos motivos que levam muitos países e empresários a buscarem fazer uma importação da China era o fato de que os produtos manufaturados chineses eram muito baratos, e por isso, poderiam ser revendidos com uma grande vantagem competitiva. A razão para que estes produtos fossem vendidos a preços tão baixos era devido tanto ao custo menor dos trabalhadores chineses e à pouca qualidade dos produtos fabricados no país. Vale lembrar que até pouco tempo, ter na etiqueta escrito “made in China” era um sinônimo de produto barato, mas de baixa qualidade.

Essa realidade, todavia, tem mudado. Quem acompanha e estuda o desenvolvimento econômico chinês sabe que a mão-de-obra barata e em grande oferta está se esgotando por dois motivos. Um é o aumento da qualificação profissional do trabalhador chinês; o outro é a diminuição da oferta de mão-de-obra, fruto dos vários anos da política de filho único e do envelhecimento da população.

Outro fator que também contribui para essa mudança é a reestruturação do modelo industrial chinês, agora voltado a produtos de tecnologia de ponta, agregando valor ao produto fabricado no país. Assim sendo, estamos num processo de reformulação da imagem que tínhamos do “made in China”. Basta ir visitar a Canton Fair 2018 este ano para que se comprove a evolução da qualidade dos produtos fabricados na China.

 

fornecedores chineses
Venha conhecer também a Canton Fair 2018!.

 

Apesar dessas mudanças, ainda compensa fazer uma importação da China? A resposta é sim! Mesmo que os produtos chineses possam encarecer um pouco, ainda continuam sendo competitivos porque são produzidos em larga escala.

 

A importação de produtos chineses pelo Brasil

Como já dito na introdução, a nossa pauta de importação da China consiste em sua maioria de produtos manufaturados, com tecnologia embutida. O Brasil também produz esse tipo de mercadoria, mas com custos maiores, devido a, dentre outros fatores, encarecimento da nossa mão-de-obra e alta carga tributária.

Muitas empresas brasileiras já fazem importação há anos, especialmente aquelas ligadas ao E-commerce. O crescimento do número de lojas virtuais tem aumentado a demanda por produtos chineses também, especialmente eletroeletrônicos. Para os empresários do ramo, uma dica é que antes de iniciarem um processo de importação da China ou de qualquer outro país, faça um detalhado estudo de mercado para saber se o produto que deseja comercializar tem saída, para evitar prejuízos.

 

A importação e alta do dólar

A alta do dólar, entretanto, tem preocupado enormemente aos empresários que importam, seja da China ou de qualquer outro lugar do mundo. Nos últimos dias o dólar tem estado acima dos R$ 4,10, o que definitivamente encarece os produtos importados. Os economistas explicam que a alta da moeda estadunidense deve-se a fatores externos, como a guerra comercial entre EUA e China e as crises econômicas na Argentina e Turquia, quanto fatores internos, pois há muita incerteza em relação às eleições e a capacidade do futuro presidente realizar as reformas da previdência e tributária, além de estar compromissado com o ajuste fiscal e alinhado às expectativas do mercado financeiro.

 

importação
Alta do dólar pode afetar as importações. Fonte: China Link Trading.

 

Uma dica para o empresário brasileiro é se planejar. Há produtos, como o aço, que o Brasil também produz em grande quantidade e que pode substituir o seu equivalente importado. Todavia, outros produtos não fabricados no Brasil continuarão a ter uma grande demanda, apesar da alta do dólar. Uma outra dica é repassar o aumento da moeda estadunidense aos poucos, sem causar prejuízos ao seu negócio, nem espantar os clientes. Também é sempre bom verificar a quantidade dos seus estoques, pois se o empresário queimar os estoques muito rápido, será forçado a comprar com um preço mais caro.

 Restou alguma dúvida? Venha falar com a China Link Trading!

Por Victor Fumoto, diretamente de Indaiatuba, SP, Brasil

Fonte: China Link Trading, Folha de S. Paulo.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário