A importação de móveis da China

Quem nunca deu de cara com uma oferta ou viu um anúncio de algum produto chinês, enquanto navegava pelas redes sociais, blogs, internet, e se perguntou se aquilo era realmente confiável, por parecer bom demais pra ser verdade. Muitos produtos como bijuterias ou peças de roupas, são baratos por si só, o que faz com que o medo de arriscar seja menor, no entanto, há também aqueles produtos que em si não são baratos, mas que quando são comparados aos preços de produtos disponíveis no mercado nacional, se tornam relativamente muito baratos, um bom exemplo disso são os móveis e a indústria moveleira. Nesse caso, o receio de arriscar aumenta, visto que a quantia de dinheiro que se está “apostando” é maior.

Por isso, neste texto, mostraremos como essa é uma indústria crescente da China, e como os produtos chineses vem ganhando espaço no Brasil. É muito provável que você já possua um ou que conheça alguém que possua algum móvel chinês em sua casa, pois eles estão se tornando cada vez mais comum no Brasil, e se apresentam como um grande oportunidade de negócio, principalmente para quem deseja importar da China. 

Confira também o vídeo do Lincoln sobre investimento em importação!

 

A indústria de móveis da China

É impossível falar sobre a produção de móveis da China, sem mencionar a cidade e Shunde, um distrito de Foshan, na província de Guangdong. Shunde foi eleita pela Associação Chinesa da Indústria Leve e Associação Chinesa de Móveis como uma Importante Cidade Chinesa na Produção de Móveis e a Capital Chinesa do Material Mobiliário. É também em Shunde, que fica localizado o China Furniture Wholesale Market (Mercado Atacadista Mobiliário de China), o maior desse tipo na China, e possivelmente o maior do mundo também.  O dito Mercado tem mais de 5 km de extensão, e se divide em 12 fileiras e 20 ruas. São mais de 3.300 negociantes de móveis nacionais e estrangeiros e mais de 1.500 fabricantes. Em conjunto, eles exibem mais de 20.000 tipos de móveis e produtos que vão desde mobília de sala de estar, mobília de sala de jantar, mobília de quarto, mobília de cozinha, mobília de hotel, colchão de hotel, mobiliário de contrato, mobília de restaurante, cadeiras de café, bancos de bar, mobília de banheiro, louça sanitária, acessórios de mobiliário, material e hardware. O mercado está aberto o ano todo, com as vendas alcançando cifras impressionantes, como mais 1 bilhão de dólares por ano.

 

 

Apenas uma dos muitos shopings que se pode encontrar em Shunde. Fonte: Guangzhou Hotel.

 

Feira Internacional de Móveis da China

Sem contar que acontece no país a “Feira internacional de Móveis da China”, sendo realizada duas vezes por ano desde 1998, uma vez em Guangzhou em março e a outra em Shanghai durante o mês de setembro, os centros comerciais mais dinâmicos da China.

Mostrando interação com a indústria mobiliária, a feira abrange os temas de mobiliário doméstico, decorações, mobiliário de exterior, mobiliário de escritório, móveis comerciais, mobiliário de hotel e máquinas móveis e matérias-primas. As duas edições anuais reúnem mais de 6.000 marcas líderes do mundo, e cedem espaço para mais de 270.000 visitantes profissionais de 200 países.

O evento ainda conta com diversos estandes que permitem a interação entre os expositores e o público, bem como entre os próprios expositores, sendo o mais interessante deles aquele chamado de “Correspondência de Comércio Interno e Externo, oferecendo oportunidades para os produtos chineses se espalharem ainda mais pelo globo.

Como o a Feira não é o foco de nosso texto, em breve postaremos um texto específico sobre a feira, a esmiuçando e mostrando seus trâmites e tudo mais.

 

Um estande na Feira Internacional de Móveis da China. Fonte: Nfeiras

 

Os móveis chineses e o Brasil

A importação de móveis chineses para o Brasil aumentou significativamente nos últimos anos, passando da casa dos 60 milhões de dólares, o que representa um aumento de mais de 120% em comparação com números de 2010.

Em quantidade, os chineses estão vendendo principalmente móveis de metal e plástico para varejistas brasileiros, porém a demanda por móveis de madeira vem aumentando e representando também uma boa fatia desses 60 milhões de dólares que foram gastos para a compra de móveis chineses, e tudo isso ainda sem contar peças para quarto e cozinha, sendo rack e pequenas estantes as peças que mais comumente são procuradas.

No entanto, esse ainda é um mercado em expansão e, portanto, com muitas oportunidades de negócio, principalmente para os brasileiros. Isso porque a China, só no primeiro semestre de 2018, exportou mais de 10 bilhões de dólares em vendas de móveis, o que mostra que os 60 milhões de dólares citados anteriormente representam uma parcela bem pequena do valor total vendido pelos chineses. Entre os produtos mais procurados estão assentos de madeira e móveis de madeiras para quartos (57% de todos os produtos), o que também mostra oportunidade para varejistas e comerciantes brasileiros, visto que os produtos de madeira não são os mais procurados pelos consumidores brasileiros. Outros móveis chineses que também são muitos procurados são a mobília personalizada para casas, os móveis de aço em geral, os móveis para escritório e os móveis para ambientes exclusivos, como feiras de exposição.

A grande questão, é que a tempos os produtos chineses não mais são sinônimos de má qualidade e de apenas imitações baratas. A qualidade dos móveis produzidos na China é notável, tanto que a sua importação avançou o bastante para se tornar o terceiro ramo mais importante para a exportação do país, ficando atrás apenas dos eletroeletrônicos e do vestuário.

 

 

importação de móveis
Belos exemplos da qualidade e beleza dos móveis chineses. Imagem por: Shuterstock.

 

Assim, a China tornou-se um paraíso para quem gosta de decoração e de móveis de muita qualidade, e que levam consigo um design que converge a beleza dos móveis antigos e a robustez dos novos tempos.

Você é varejista e se interessou pela ideia de começar a trabalhar com produtos chineses? Entre em contato conosco para maiores informações de como importar da China, e aproveite para conhecer nosso site.

 

Por João Victor Scomparim Soares, diretamente de Cerquilho, SP, Brasil

Fonte: Emobile, CIFF, Remade, Gazeta do Povo e Wikipedia

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário