Dezembro 23 2018

A importação de medicamentos da China

Posted by Victor Fumoto

A importação de produtos oriundos da China tem se tornado bastante comum, principalmente nas últimas décadas. Dia após dia os avanços tecnológicos e em pesquisas nos surpreendem com diversas novidades em vários aspectos essenciais para a sobrevivência e evolução humana. Um desses aspectos é a saúde, sendo a economia de um país condição fundamental para a sua manutenção na população.

O número de medicamentos produzidos pela indústria farmacêutica cresce todos os dias, porém a China é um país que lida com a cura de doenças de forma distinta, ou seja, com o uso da medicina tradicional. Apesar de sua prática tradicional, muitos medicamentos são fabricados pelos chineses e podem ser encontrados por um preço mais acessível, seja pela internet ou no próprio país chinês. Diante deste cenário comercial, como funciona o processo de importação de medicamentos da China? O Brasil tem recebido e utilizado os medicamentos da China?

Veja abaixo como ocorre o processo de importação de medicamentos da China no Brasil!

 

Medicamentos da China são alvo de importação

 

A importação dos medicamentos da China

A partir do momento que a popularidade dos produtos medicamentosos da China tem se expandido pelos outros países do mundo, a importação de medicamentos tem crescido ano após ano, de acordo com o informe divulgado pela Câmara de Comércio da China para Importação e Exportação de Medicamentos e Produtos de Saúde. Segundo o referido informe, a China exportou cerca de 358 mil toneladas de produtos medicinais, totalizando o valor de US$ 3,6 bilhões.

 

A importação de medicamentos da China

 

Segundo a diretora do departamento da Medicina Tradicional da China, Yu Zhibin, os produtos medicinais que aumentaram em demanda de importação para os países que fazem uso da medicina tradicional foram canela, baga de goji e coptis herbático, especialmente para os países como o Vietnã, os países do Sudeste Asiático, como a Malásia e a Tailândia.

E em relação aos países que fazem uso da uma medicina convencional?

 

A importação dos medicamentos da China no cenário brasileiro

Atualmente, o Brasil tem investido em negócios com outros países a fim de garantir o alcance de produtos, bens e serviços com preços atrativos ou inovadores, e que em sua maioria não são produzidos internamente. A China é um dos países que apresenta essa oportunidade vantajosa de importação de produtos, sendo os medicamentos da China um dos itens comercializados.

De acordo com as estatísticas divulgadas pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), as importações originadas da China calcularam cerca de US$ 27,32 bilhões no ano de 2017, no qual 18% deste total correspondeu às importações realizadas no Brasil. Considerando as estatísticas do ano de 2018, no período de janeiro a junho de 2018, as importações já corresponderam a 25% a mais do que no mesmo período de 2017, demonstrando que a oportunidade de importação da China é cada vez mais promissora.

 

A importação de medicamentos da China no Brasil

 

No entanto, apesar das vantagens em importar produtos chineses, diferente dos artigos de entretenimento ou vestuário, a importação dos medicamentos da China necessita ser certificada a respeito da sua permissão ao entrar no Brasil e os remédios precisam ser autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

A fim de comprovar estes aspectos de certificação e autorização, é fundamental que o consumidor tenha em mãos o receituário e também o conhecimento se o medicamento importado é autorizado pela ANVISA e pode entrar no país, visto que apenas são permitidos a importação de medicamentos da China que já foram homologados pela agência para comercialização no Brasil. A lista para consulta está disponível no site da ANVISA.

 

Como importar medicamentos da China?

O processo de importação de medicamentos da China não pode ser destinada para fins de revenda ou comércio, sendo restrito para o uso individual. Ademais, somente as empresas que estão devidamente autorizadas pela ANVISA e licenciadas por órgãos de vigilância sanitária locais podem realizar a importação destes medicamentos, sendo extremamente proibida a importação para indústrias e estabelecimentos comerciais, exceto se houver a prévia manifestação da ANVISA.

O prazo do processo de importação dos medicamentos da China geralmente é cerca de 15 dias úteis, considerando que este prazo se refere ao processo de importação mais econômico, no qual o limite legal estabelecido é de U$ 3.000,00 (dólares americanos). Os correios brasileiros são os  responsáveis pelo trâmite do transporte e desembaraço aduaneiro do medicamento conjuntamente aos órgãos governamentais competentes, sendo a ANVISA um destes orgãos.

 

A manutenção de estoque de medicamentos da China é possível?

A presente legislação brasileira proíbe a manutenção de estoque de medicamentos que não são nacionalizados no Brasil, ou seja, que são importados da China. Desta forma, a compra de medicamentos chineses só é permitida para o tratamento dos indivíduos que possuem prescrição médica, com as quantidades especificas para o andamento do tratamento.

Quando se trata de casos de tratamento médico continuado, ou seja, por tempo indeterminado, a legislação vigente autoriza que o processo de importação dos medicamentos seja feito em quantidades de uso de medicamentos de até seis meses de tratamento, sendo necessária a realização de novo processo para permitir a continuidade do tratamento com o medicamento importado.

 

Fontes: China Hoje, Pixabay, NatueLife, Porto Gente, Observador

Por Laura Mochiatti Guijo, diretamente de Marília, SP, Brasil

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter