Setembro 15 2018

Importação de petróleo pela China

Posted by Victor Fumoto

Todos sabemos que a China é uma das economias que mais crescem no mundo. Seu rápido processo de industrialização, aliado à extensa oferta de mão-de-obra barata fez com que o país recebesse o apelido de “a fábrica do mundo”. Devido a esse panorama econômico favorável, os chineses realizam transações comerciais com o mundo inteiro, movimentando grandes volumes de produtos exportados e importados. Segundo um relatório do MIT (Massaschussets Institute of Technology), uma das mais respeitadas universidades estadunidenses, em 2017 o maior produto importado pelos chineses foi o petróleo bruto ou cru. O tema deste artigo procura desvendar um pouco sobre a importação de petróleo na China.

 

Importação de petróleo chinesa: dados

O petróleo, como é de senso comum, é um produto muito versátil. Dependendo da forma como o produto é craqueado, isto é, submetido a diversas temperaturas, diferentes produtos são gerados, indo desde o piche, utilizado na fabricação de asfalto, até produtos mais sofisticados, como combustíveis (gasolina e querosene, polímeros (matéria-prima da fabricação do plástico) e solventes utilizados em diversas indústrias, como o benzeno. Em mandarim, petróleo é shíyoú (石油).

 

petróleo

Máquina perfuradora de petróleo. Fonte: China Link Trading.

 

A importação de petróleo pela China visa justamente suprir à alta demanda por essa commodity, tanto para a indústria, quanto também na parte de combustíveis. Em 2017, o país foi o maior importador de petróleo bruto do mundo, superando os Estados Unidos. Analistas afirmam que esse volume tende a aumentar com o crescimento da economia e o aquecimento do mercado consumidor interno, e com a expansão do número de refinarias chinesas. No ano passado, a importação de petróleo na China por mês foi aproximadamente de 8,4 milhões de barris. Em comparação, no mesmo período, os Estados Unidos importaram cerca de 7,9 milhões de barris por mês.

Dentre os vários fatores que explicam o aumento da demanda chinesa por petróleo estão a queda da produção petrolífera doméstica, o aumento do consumo, a formação de reservas estratégicas e investimentos no setor de refinarias. Desde 2016, a produção de petróleo na China tem caído, uma queda de cerca de 4%. As razões apresentadas são a maturação dos campos petrolíferos, isto é, as reservas do material estão acabando. A capacidade de refino aumentou com a construção de novas refinarias, aumentando em 2017 de 500 mil barris para 11,4 milhões de barris sendo refinados, sendo que isso, em parte, deve-se à construção de duas novas refinarias. Ainda há mais uma em construção, com a previsão de entrega em 2019, e que aumentará em mais 1 milhão a capacidade de barris de petróleo refinados. No mapa abaixo, encontra-se a localização dessas novas refinarias.

 

Principais fornecedores de petróleo

A importação de petróleo pelos chineses está relacionada ao contexto dos BRICS, visto que os dois dos países que mais exportam o produto à China são a Rússia e o Brasil. Para quem não sabe, os BRICS são um grupo de países emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. A Rússia tornou-se em 2016 a maior fornecedora de petróleo cru dos chineses, suplantando a Arábia Saudita, sendo a responsável por 14% das importações. Já o Brasil viu o seu percentual de participação no mercado chinês crescer de 2 para 5%.

Segundo dados do U.S. Energy Information Administration (EIA), outros países que exportam petróleo para a China são Angola, Omã, Venezuela, dentre outros, como pode ser visto no gráfico abaixo.

 

As empresas petrolíferas chinesas

Segundo a agência de notícias Reuters, grandes empresas petroleiras chinesas, como a Sinopec e a PetroChina têm investido enormemente na construção de refinarias e de navios petroleiros, capazes de transportar gigantescos volumes de petróleo.

 

importação de petróleo

Perfuratriz de petróleo. Fonte: China Link Trading.

 

A Sinopec (中国石化, zhonguo shíhuà), oficialmente chamada de China Petrochemical Corporation, é uma gigante empresa estatal fundada em 1988. A empresa tem um capital de cerca de quase 280 bilhões de yuan e trabalha principalmente com a área de exploração de petróleo e gás natural, produção de carvão, refino de petróleo, dentre outras atividades. Atualmente, a empresa está presente também na África, explorando petróleo em países como Sudão e Angola. Já a PetroChina, fundada em 1999, também é uma empresa estatal, especializada na exploração de petróleo e outros combustíveis. É a segunda maior presente na China, perdendo apenas para a Sinopec.

 

comércio petrolífero

Petróleo. Fonte: China Link Trading.

 

Reservas chinesas de petróleo

Como já especificado anteriormente, a China também tem seus campos petrolíferos. Os maiores são os campos de Tarim, na província de Xinjiang e Daqing, no nordeste do país, sendo que o primeiro campo fica numa região autônoma, cuja população pertence à minoria étnica dos uigures (http://www.chinalinktrading.com/blog/populacao-chinesa-etnias/), em sua maioria muçulmanos e que reivindicam sua independência e tem sofrido represálias do governo. Outros campos petrolíferos existem no mar, sendo um deles no Mar do Sul da China, em território disputado com outras nações vizinhas, como Taiwan e Vietnã.

 

Por Victor Fumoto, diretamente de Indaiatuba, SP, Brasil

Fontes: Oilprice.com, EIA, Reuters, Sinopec Group, PetroChina Company.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +