Ilhas Paracel: China envia navios e aviões ao Mar Meridional

No último dia 2 de julho foi confirmado pelo porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores chinês o envio de aviões e navios militares chineses ao Mar Meridional, após a incursão do navio norte-americano, o USS Strethem, perto das Ilhas Xisha, também conhecidas como Ilhas Paracel. O território é considerado pela China parte de sua soberania, entretanto, é também reivindicado por Taiwan, Vietnã, e outros países da região.

 

Ilhas Paracel
A China enviou navios e aviões para o Mar Meridional após a incursão dos Estados Unidos na região

 

Através do comunicado, a China pede aos Estados Unidos o fim imediato de ações como esta, que provocam desconforto internacional e violam a soberania das nações; visto que é a segunda vez que o governo de Donald Trump realiza ações como esta. A primeira ocorreu em maio deste ano no Arquipélago Spratley, localizado no Mar do Sul da China. Ainda neste comunicado, Lu Kang, porta-voz do governo chinês, acusou Washington de agir na direção oposta a dos demais países da região, que respeitam a soberania da China e promovem  o desenvolvimento, estabilidade e cooperação da região.

 

Ilhas Paracel
O Arquipélago Spratly e as Ilhas Paracel são alvos de disputas e conflitos na região

 

Acredita-se que a área em que as Ilhas Paracel se localizam possua vastos recursos energéticos, e, por essa razão, seja tão disputada pelos países da região. Entre os países nesta disputa estão: Brunei, China, Malásia, Taiwan, Filipinas e Vietnã. Em particular, a China reivindica cerca de 90% deste território e afirma que as atividades realizadas na área são um direito pertinente a soberania chinesa.

 

Ilhas Paracel
As Ilhas Paracel: alvo de disputas entre diversos países na Ásia

 

Lu Kang destacou que, segundo a Lei da República Popular da China sobre o Mar Territorial e a Zona Contígua promulgada em 1996, as Ilhas Paracel são parte do território chinês, e, portanto, fazem parte de sua soberania. Tendo isto em vista, o porta-voz do governo chinês qualificou a incursão americana na região como um “pretexto sob a liberdade de navegação”; quando seus navios são colocados para circular dentro do limite de 12 milhas náuticas das ilhas do Mar do Sul e do Leste da China.

 

Ilhas Paracel
O presidente da China, Xi Jinping, à esquerda, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, à direta

Em abril deste ano, houve um encontro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o homólogo chinês, Xi Jinping, realizado na Flórida, no qual o intuito declarado pelos dois líderes era estreitar as relações diplomáticas entre as duas nações e traçar planos de ação em relação a Coreia do Norte. No entanto, mesmo diante deste encontro, as tensões entre os dois países no Mar do Sul da China continuam a acontecer. Caso incursões como estas continuem sendo realizadas pelos Estados Unidos, é muito provável que as relações diplomáticas entre os chineses e os norte-americanos sejam comprometidas.

O conflito das ilhas Paracel perdura desde a década de 1970, entretanto, foi intensificado nos últimos anos, especialmente diante do interesse demonstrado pelos Estados Unidos na área. O recente interesse norte-americano nas Ilhas Paracel pode acarretar sérias implicações na disputa territorial da região. A China adquiriu o controle da região em 1974, quando venceu, o então chamado, Vietnã do Sul em uma batalha naval.

 

Por Nathalia Gasparini, Marília, SP, Brasil

Fontes: G1; UOL; DN; Mais PB; Sputnik; BBC; Reuters 

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário