Idosos na China: por que os chineses vivem tanto?

A China é o país com o maior número de idosos no mundo, e várias personalidades chinesas são famosas por sua longevidade. Mas como os idosos na China vivem tanto? Venha conferir!

 

A relação entre longevidade e modo de vida

Atualmente, um quinto de todas as pessoas idosas do mundo são chineses. A expectativa de vida no país hoje é de 75 anos, 2 a mais que no Brasil. O que mais causa curiosidade são as figuras que vivem ou viveram mais de 100 anos na China. Alguns deles existiram de verdade, alguns são considerados mitos. É o caso de Li Ching Yuen, um mestre taoísta e herbalista, praticante de Chi Kung, que morreu em 1933 com 197 anos. Segundo alguns registros e documentos oficiais, ele teria nascido em 1736 e foi homenageado pelo governo em seu 150º aniversário. Porém, há quem diga que ele nasceu anos antes, em 1677, e morreu portanto aos 256 anos.

 

[idosos na china]1
Li Ching Yuen, homem que até hoje é um mistério para os chineses.
 

Embora Li Ching Yuen possa ter sido um mito, é fato que a prática da medicina e do estilo de vida chinês garantem uma longa vida. Segundo um estudo do vice-presidente da Sociedade para a Terceira Idade, 60% do segredo da longevidade está nos hábitos. A medicina chinesa envolve tratamentos com chás tradicionais chineses e ervas, além de acupunturas e massagens específicas.

Entre os centenários chineses, a maioria tem temperamento alegre, são amáveis com os outros, fazem exercícios regularmente e, principalmente, são exigentes com a alimentação. Além disso, os idosos dormem bem, não fumam, consomem relativamente pouco álcool e têm uma vida familiar harmoniosa.

 

[idosos na china]2
Ex-professor Xu FengHuang.
 

Já o ex-professor da Universidade de Zhejiang, Xu FengHuang, diz que são os videogames que mantêm sua mente ocupada e alerta. Ele diz que sempre tenta estar ativo fazendo algo que lhe dê satisfação. O centenário presenciou a guerra civil chinesa, as crises do Vietnã e a instauração da República na China.

Acima de tudo, manter a mente e o corpo sãos é uma prioridade dos aposentados chineses. Hoje é muito comum ver nas ruas das cidades, mesmo nos grandes centros, grupos de mulheres chinesas que se reúnem diariamente para dançar músicas tradicionais.

 

idosos na china
Mulheres dançando em uma praça na China

 

Idosos na China e a aposentadoria

Os idosos na China costumam ser vistos com muito respeito pela experiência e sabedoria que obtiveram pela idade avançada.  Entretanto, a situação dos idosos na China encontra-se preocupante. Desde 2009, os aposentados da geração “baby boom” obtiveram do governo um programa de aposentadoria rural. Isso não acontecia com eficiência desde a década de 90. Porém, o que preocupa, é a quantidade de idosos na China que irão se aposentar até 2030. Hoje, 114 milhões de habitantes na China tem mais de 65 anos. O crescente envelhecimento da população chinesa relaciona-se fortemente com os quase 40 anos de política do filho único, que só foi revogada em 2015. A baixa natalidade deu origem a uma predominância de cidadãos idosos no país.

 

[idosos na china]4
Idosos na China em uma praça.
 

Isso representa um gasto de 10,9 trilhões de dólares para o governo com gastos previdenciários. A China possui um Fundo Nacional de Segurança Social que, infelizmente, não é suficiente para pagar os aposentados.

 

Um novo mercado na China

Estima-se que até 2020 haverá um mercado para cuidado de idosos na China, o que é necessário. A terceira idade frequentemente apresenta diagnósticos de demência e Alzheimer. Uma informação curiosa, mas preocupante, é que mais de 1300 idosos desaparecem na China por dia devido aos sintomas de confusão e esquecimento. Nas áreas urbanas, 80% voltam a aparecer, nas rurais, apenas 50%.

 

[idosos na china]5

 

A diversidade da população chinesa é muito grande, afinal estamos falando do país mais populoso do mundo. Desse modo, cada indivíduo é diferente, e vive a terceira idade de acordo com seus costumes. O que podemos todos fazer até lá é seguir o conselho de Xu FengHuang: após uma vida de trabalho, aproveitar o tempo da aposentadoria para fazer algo que seja agradável para nós mesmos, pensando também na saúde.

Por Ana Luiza Garcia Lachner, diretamente de Marília, SP, Brasil
Fontes: Uol, O Globo, Epoch Times, Jornal DN, RTP notícias e R7.
Gostou desse artigo? Então veja muito mais em nossa página do Facebook, em nosso blog e em nosso site


Veja Também


Deixe seu comentário