Huaqiangbei: por trás do maior mercado de eletrônicos do mundo

Um mar de inovação tecnológica, chamada Huaqiangbei, ainda não é muito desbravada pelos brasileiros. Fato é que, ao redor do mundo, é conhecida como a Rua de Eletrônicos Nº 1 da China, onde milhares de pessoas de todos os lugares visitam diariamente.

Hoje Shenzhen atrai cada vez mais empreendedores interessados em desenvolver novas maneiras de construir projetos e inovar em produtos. Estes inovadores estão transformando o setor em um nível de fabricação elevado. Diversas multinacionais estão situadas na cidade, ao menos com alguns colaboradores e projetos, para estar mais próximas das últimas tendências. O que será que é possível encontrar por lá? Quais as oportunidades para o mercado brasileiro? Venha conferir neste artigo que preparamos para você!

 

huaqiangbei
Huaqiangbei em Shenzhen. Maio, 2017 – Imagem by Flickr.

 

Impressoras 3D? Drones voando ao seu redor? Óculos para realidade virtual? Esse é um pouco do espírito que vislumbra a maior parte das pessoas que visita a Huaqiangbei. A região, até então não descoberta por muitos brasileiros, é considerada o maior mercado fornecedor de eletrônicos do mundo. Lá, facilmente, perde-se a noção do tempo, com os diversos tipos de robôs, uma infinidade de capas para aparelhos celulares, computadores, câmeras, caixas de som, equipamentos de segurança; sem contar as diversas leds piscando e vibrando em inúmeras cores e tamanhos.

Onde tendências se iniciam e ideias se tornam reais, a região é também conhecida como o Silicon Valley – Vale do Silício – da China, ou até mesmo Rua de Eletrônicos Nº 1 da China. São mais de mil atacadistas e varejistas oferecendo produtos e também serviços, imitações, reparo de celulares e, até mesmo, a realização de um novo, caso você queira transformar o seu iPhone 6 em iPhone 7, por exemplo.

 

Onde fica a Huaqiangbei?

Situada em Shenzhen, sede do nosso escritório na China, condiz também com a proposta da cidade, que é transição de centro de fabricação de eletrônicos para um centro de inovação tecnológica; dentro do qual se encontra, claramente, o conceito da Huaqianbei. Muitos costumam ir até lá para encontrar fornecedores que possam também fabricar um novo produto, testando e negociando os componentes para o desenvolvimento da inovação.

Shenzhen fez mais do que qualquer lugar no continente para desbancar o mito desatualizado de “China imitadora”, tornando-se o centro global de inovação em hardware e manufatura. Seus empreendedores estão criando indústrias inteiramente novas, dedicadas à nova revolução tecnoloógica e até mesmo industrial. A cidade, em geral, investe mais de 4% do seu PIB em pesquisa e desenvolvimento, o dobro da média do continente.

 

Huaqiangbei
Huaqiangbei, em Shenzhen. Abril, 2017 – Imagem by Flickr.

 

Em grande parte, os sites de compras internacionais chineses, no qual os produtos são ligados a tecnologia, são da Huaqiangbei. Com isso, a maioria das lojas eletrônicas online possuem sua sede e armazéns em Shenzhen. Xu Youjun, vice-presidente da divisão Shenzhen da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, um órgão consultivo do governo, disse que Shenzhen deve seu sucesso não ao governo ou ao Partido Comunista, mas à sua política de permitir que as pessoas “ultrapassem a economia planejada”.

A área do mercado de eletrônicos era um parque industrial dedicado a fabricação de eletrodomésticos, computadores e aparelhos de comunicação. Por volta de 1988, a estratégia se voltou para tornar-se um enorme centro comercial, o qual recebe hoje cerca de 100 mil visitantes por dia em um dos seus prédios, cujos principais produtos são celulares.

Nesses shoppings e prédios, dedicados a cada tipo de eletrônico, é possível também tentar negociar preços menores, caso os vendedores sejam donos das lojas. Mas, em geral, os preços praticados já costumam ser abaixo da média do mercado, alegria para todos que visitam a Huaqiangbei.

 

Na Huaqiagbei tem oportunidade para o Brasil?

Para o mercado brasileiro, são infinitas as oportunidades para expansão do negócio. Claro que, alinhado com a estratégia de cada empresa, as opções podem ir desde a compra de produtos, para distribuir em solos brasileiros, até a fabricação e desenvolvimento de novos produtos em solos chineses. Usufruir do know-how tecnológico disponível na Huaqiangbei é, sem dúvida, o que muitos ao redor do mundo estão fazendo.

 

Por Beatriz Dale, diretamente de Shenzhen, Guangdong, China.

Fontes: The Economist; Dan Views; Eletronics Shenzhen.

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário