Novembro 09 2016

Guerreiros de Terracota: O Exército do Imperador

Posted by Camila Sakamoto

Quem visita o mausoléu do Imperador Qin Shi Huang não imagina que as miniaturas dos Guerreiros de Terracota vendidas à frente do museu são muito mais instigantes do que aparentam. Você já teve a curiosidade de, alguma vez, estar frente a frente com a história de um local?

 

guerreiros de terracota

Na foto, estátuas dos Guerreiros de Terracota

 

Todos sabemos que a China é um grande livro de História, pela sua fascinante trajetória ao longo do tempo. Por isso, se você gosta de viajar para aprender mais sobre culturas e tradições, a China é o seu país! Não é à toa que a UNESCO lá se fez presente para declarar incontáveis monumentos como patrimônios da humanidade. Um desses patrimônios ainda demonstra certo mistério para os pesquisadores atuais: os chamados de Guerreiros de Terracota, encontrados juntos ao mausoléu do Imperador Qin Shi Huang. Descubra conosco um pouco mais sobre a história desse monumento a seguir.

 

Os Guerreiros de Terracota e o Mausoléu

Em 1974, perto da cidade de Xi’an, fazendeiros que cavavam um poço em busca de água para irrigação encontraram acidentalmente artefatos e cabeças esculpidas em argila. Mais tarde, arqueólogos descobriram que nada menos que 8000 estátuas de soldados e generais de barro estavam organizados em trincheiras para “proteger” o imperador Qin Shi Huang após sua morte. Pois é, quem vai ao museu pode desconfiar que as lojas de artesanato são apenas uma introdução à incrível área de 52 quilômetros quadrados reservada pelo primeiro imperador feudal da dinastia Qin na China para abrigá-lo, juntamente com seus súditos, após sua morte em 210 A.C.

 

guerreiros de terracota

 

Alguns arqueólogos dizem que as cores nunca foram tão valiosas até a descoberta dos Guerreiros de Terracota. Originalmente, o exército foi pintado em cores vivas, as quais não resistiram ao contato com a luz  após a escavação depois de quase 2000 anos. Sabemos que ainda existem mais estátuas a serem escavadas, aguardando, enquanto a China, em parceria com a Alemanha, busca tecnologias para que essas tintas não desapareçam. Outra curiosidade é que não sabemos se os rostos das estátuas são representações de pessoas que realmente existiram, mas há uma certeza: cada face dos combatentes tem sua individualidade, ou seja, nenhum delas se repete.

 

guerreiros de terracota

 

Em 1987, a UNESCO adicionou o mausoléu de Qin Shi Huang na lista de Patrimônios Culturais da Humanidade e, entre 2004 e 2005, foi construído o parque das ruínas do mausoléu – com um investimento de aproximadamente 69 milhões de dólares pela província de Shaanxi. Então, quando for a Xi’an, não deixe de visitar também o enorme mausoléu e ver os Guerreiros de Terracota, pois todo o complexo conta uma história incrível sobre cultura e poder do primeiro imperador feudal da China.

 

Peculiaridades

O contingente de guerreiros de argila serviriam para “defender” Qin Shi Huang após sua morte, cujo corpo se encontra dentro de um pequeno monte. De acordo com a lenda, haveria rios de mercúrio que correriam por dentro do imenso monumento. Atualmente, cientistas confirmaram que há contaminação do elemento no solo da área. O local, porém, ainda permanece fechado, pois as autoridades chinesas não consideram que a tecnologia atual seja segura para explorar a área sem colocar as relíquias em risco.

Há estudos que apontam que podem ter ocorrido assassinatos em massa para que todos os súditos do imperador fossem enterrados com ele. Servos, operários e escultores teriam sido enterrados vivos para que não deixassem escapar o segredo do local do abrigo, assim como concubinas que serviriam às necessidades do imperador Qin pós-vida.

 

Mas afinal, como encontrar o exército de Terracota?

 

guerreiros de terracota

Cidade de Xi’na, na província de Shaanxi

 

Como Xi’an fica a 1200 quilômetros de Shanghai, um bom meio de ir até a cidade é de avião, pois há vôos com preço acessível e de rápida duração. Já se você estiver em Pequim, há como viajar de trem até a cidade. Para chegar ao mausoléu, você pode  programar-se para viajar com uma excursão organizada, ou ir independentemente, pegando o ônibus 306 que sai da estação ferroviária de Xi’an. O ônibus o deixará em um estacionamento, no qual logo poderá ser reconhecida a estátua de Qin. Dentro e fora do complexo há lanchonetes, banheiros e restaurantes e até mesmo lojas com pequenas réplicas dos Guerreiros de Terracota encontram-se ao longo da caminhada.

Confira mais informações e dicas sobre o que saber antes de viajar para a China.

 

Por Ana Luiza Garcia Lachner, diretamente de Marília, SP, Brasil.

Fontes: Revista Viagem e Turismo, Consulado Geral da República Popular da China no Rio de Janeiro e Revista Época

Gostou desse artigo? Então veja muito mais em nossa página do Facebook, em nosso blog e em nosso site