Frete internacional: você sabe como funciona?

Quando pensamos em realizar operações de importação ou exportação, uma das primeiras coisas que temos que pensar é: como o produto chegará ao seu destino? Por isso, é essencial que tenhamos noção de como funcionam os fretes: seus valores e modalidades.

Nesse vídeo te ensinamos como é calculado o valor do seu frete internacional. Confira:

 

Frete Internacional
Tudo o que você precisa saber sobre frete internacional

 

Qual o primeiro passo que devo tomar?

A primeira coisa que devemos pensar em relação ao fretamento é sobre qual seria o modal de transporte adequado, o que dependerá do tipo de carga, prazo de entrega e interesses envolvidos na negociação.

No caso de operações comerciais internacionais, os meios mais utilizados são o transporte hidroviário (ou marítimo) ou o transporte aeroviário (aeronaves), por estarmos tratando de longas distâncias. Claro que também existem as opções de utilizar o meio ferroviário ou rodoviário, porém, este artigo terá como foco os meios anteriormente citados.

No caso do transporte hidroviário, a vantagem seria o baixo custo e a maior capacidade de carga em relação ao transporte aeroviário, sendo ideal para grandes quantidades de mercadoria de baixo ou médio valor agregado.

Em relação ao transporte aeroviário, é recomendado que seja utilizado no caso de operações que envolvam produtos de alto valor agregado ou que tenham a necessidade de que cheguem rapidamente ao destino, como equipamentos eletrônicos.

 

Frete Internacional
Imagem by Axel Ahoi, 2015, Unsplash.

 

Depois de escolhida a modalidade, o que preciso saber?

Tratando especificamente da parte de frete (se quiser saber mais sobre seguros de importação, acesse nosso outro artigo clicando aqui) devemos ter conhecimento sobre as Incoterms, isto é, as regras de âmbito internacional que definem responsabilidades (tanto do comprador quanto do vendedor) em relação ao frete, dentre outras coisas.

A classificação da Incoterms (International Commercial Terms), que são representadas por siglas, é dividida de acordo com as obrigações do vendedor e de acordo como próprias para cada modalidade de transporte. Por exemplo: os grupos E, F e C têm como regra de que os riscos de transporte serão de responsabilidade do comprador. No caso do grupo D, os riscos de transporte serão de responsabilidade do vendedor (exceto no caso de DAF).

Em relação aos termos próprios para cada tipo de transporte, a própria Câmara de Comércio Internacional seleciona os termos FAS, FOB, CFR, CIF, DES e DEQ como adequados ao transporte marítimo ou fluvial. Os termos EXW, FCA, CPT, CIP, DAF, DDU e DDP são adequados a todos os meios de transporte.

 

Frete Internacional
É essencial entender as Incoterms para esse tipo de negócio

 

FOB X CIF

Dentre os Incoterms próprios para o transporte marítimo, o mais popular é o FOB (Free on Board). Como explicado anteriormente, por fazer parte do grupo F, a obrigação do vendedor acaba no momento em que realiza a embarcação da mercadoria no navio, atendendo às exigências do comprador e às formalidades de exportação. A partir disso, o comprador deve arcar com os custos do frete de todas as despesas para a retirada da mercadoria. Ou seja, o exportador e o importador se responsabilizam pela mercadoria em seus respectivos territórios. No caso de transporte aéreo, será utilizada a cláusula FCA, uma vez que é equivalente à FOB.

Saiba mais sobre os INCOTERMS neste vídeo!

 

 

Entretanto, optar pela FOB não é recomendado caso deseje importar em um novo mercado ou para aqueles que não possuem muitas informações sobre a rota em questão. Neste caso, é recomendado o CIF (Cost, Insurance and Freight). Esse termo define que todas as despesas, incluindo seguro marítimo e frete, até a chegada da mercadoria no porto de destino estão sob responsabilidade do vendedor. Neste caso, o comprador terá responsabilidade apenas pelos riscos do transporte após a mercadoria chegar no porto de embarque, no momento em que a mercadoria transpor a amurada do navio, e somente arcará com os custos de desembarque do produto no destino final. No caso de transporte aéreo, será utilizada a cláusula CIP, uma vez que é equivalente ao CIF.

 

Frete Internacional
Importante pesquisar qual é a modalidade adequada para o seu tipo de negócio

 

Hora de falar sobre custos do frete internacional

Quando vamos calcular o frete, temos que levar em consideração diversos fatores:

Taxa do frete marítimo: será calculado de acordo com o peso ou a metragem cúbica da carga

Taxas de locais de origem: de acordo com o local de embarque, temos a taxa de carga solta (de acordo com o número de embarques); a taxa de Movimentação em Área alfandegada (de acordo com o peso ou metragem cúbica); a taxa de transbordo (de acordo com o peso); a taxa de documentação; e a armazenagem no porto (de acordo com o peso ou metragem, calculado por dia)

Taxas locais de destino: de acordo com o local de desembarque, temos a taxa de liberação junto ao embarcador; a taxa de desconsolidação; e a capatazias (calculada de acordo com o peso ou a metragem cúbica)

Visto isso, é necessário somar todas as taxas para chegarmos ao valor total do frete.

Importante também levarmos em conta a rota que o produto irá percorrer, considerando a distância e a ‘concorrência’ da mesma, que implicarão diretamente no valor do frete.

 

Frete Internacional
Hora de fechar o negócio!

 

E aí, bora importar?

 

Por Caroline Malheiros Costa, diretamente de Bauru, SP

Fontes: Normas Legais, Só Importação, Banco do Brasil

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +


Veja Também


Deixe seu comentário