April 24 2018

Exportações para China: O gigante asiático no comércio brasileiro

Posted by Ana Yamashita

Constantemente ouvimos que a China está muito presente no mundo e é importante no comércio brasileiro. Porém, alguns podem não saber que as exportações para China superam, em número, as exportações brasileiras para outros parceiros que até pouco tempo atrás tinham grande destaque na balança comercial do país. Logo, o gigante asiático tem uma participação marcante no saldo obtido no comércio brasileiro e merece cada vez mais atenção. Contudo, qual é de fato a importância chinesa? Quais são os produtos envolvidos em tal comércio? Como se configura essa relação? Confira abaixo!

 

Exportações para China

As exportações para China representam uma grande fatia da balança comercial brasileira (Imagem retirada do Portal FGV).

 

Ao considerar o enorme crescimento econômico da China e o seu grande potencial em nível mundial, podemos concluir que o país asiático é um excelente parceiro comercial para qualquer nação do mundo. Assim, com uma parceria de longa data, a China atualmente se coloca como o principal destino dos produtos brasileiros e, apesar de algumas preocupações, tal relação se mostra benéfica para o Brasil.

 

Mudanças nas Exportações para China e para o mundo

Ao analisar a história, é possível constatar que a China nunca foi tão importante para o comércio exterior brasileiro como é atualmente. Logo, a considerável marca dos chineses, de maiores compradores de tudo o que o Brasil exporta, é sem precedentes na relação entre os dois países.

Portanto, os demais países, que já representaram uma fatia importante na balança comercial brasileira devido a compra de produtos do país, ainda têm um destaque em tal comércio, mas não causam os mesmos resultados de anos anteriores. Como exemplo podem ser citados os Estados Unidos da América, que, apesar de terem uma grande participação na importação de produtos brasileiros, não têm a mesma presença de anos atrás.

 

Principais pautas das exportações para China

A importância da China para o comércio exterior brasileiro apresenta muita amplitude, pois, além de estar entre os nossos principais compradores, os chineses também estão entre os nossos principais importadores. Contudo, as exportações para China têm uma característica bem determinada, pelo fato de que tal país asiático compra somente matérias-primas brasileiras.

 

Exportações para China

As exportações para a China auxiliam no saldo positivo brasileiro (Imagem retirada de Exame).

 

Sendo assim, a soja triturada, que é o produto mais vendido pelo Brasil, tem como maior comprador a China, que, de acordo com análises realizadas no ano de 2017, importou 78% de tal produto. Ademais, a China também se interessa e efetua a importação de outros produtos, entre os quais, os mais comprados são o minério de ferro, o petróleo em estado bruto e a celulose.

Entretanto, o Brasil depende de produtos chineses ligados a tecnologia, como circuitos impressos e peças de telefonia, partes de aparelhos receptores e transmissores, além de outros produtos manufaturados.

 

As exportações para China e os fatores que envolvem os dois países

Ao analisarmos os fatores que condicionam os países para a realização do comércio externo da maneira supracitada, pode ser destacado, do lado chinês, o constante crescimento da economia do país, assim como a crescente demanda interna aliada ao aumento da população urbana.

Por outro lado, para o Brasil, o saldo positivo na balança comercial, e as exportações para China, são possíveis da forma em que as mesmas ocorrem, devido ao fato do primeiro ter uma farta produção das matérias-primas em negociação e da recuperação dos preços internacionais das commodities.

 

A supremacia da participação chinesa

As exportações para China representam uma fatia tão grande do saldo da balança comercial brasileira, que os seus resultados superam o fluxo de comércio com importantes blocos comerciais, como a União Europeia, o bloco de países do sudeste asiático, que não inclui a China, e o Mercosul.

 

Exportações para China

Mapa dos principais destinos das exportações dos estados brasileiros e o destaque das exportações para a China (Imagem retirada de MDIC).

 

Ademais, ao se considerar o destino das exportações de cada Estado da Federação Brasileira, é possível constatar que as exportações para a China lideram, com ampla vantagem, em comparação com outros países. Sendo assim, a China é a principal importadora de 12 estados, incluindo Distrito Federal, Minas Gerais, Rio de Janeiro e a maior parte do centro do país.

Depois das exportações para China, podem ser destacadas as para os Estados Unidos, que são os maiores importadores de seis estados brasileiros, que são São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo, Ceará, Amapá e Paraíba.

Por outro lado, o Canadá é o principal comprador do Maranhão, a Venezuela é a principal compradora de Roraima, Argentina é a principal importadora de Amazonas e Pernambuco, Holanda lidera em Rio Grande do Norte e Sergipe e Hong Kong é o maior importador de Acre e Rondônia.

 

O Brasil e as exportações para China

Apesar das exportações para China apresentarem resultados positivos para o Brasil, no que diz respeito a sua balança comercial e aos saldos positivos obtidos por ela, devido a combinação do aumento das importações por parte da China e de outros fatores, como melhora nos preços internacionais das commodities e no aumento da produção, o Brasil deve ficar em estado de alerta para outros mercados.

Assim, entre as diversas opiniões existentes, pode ser destacada a declaração dada pela presidente da Gro Intelligence, Sara Menker, que, no ano de 2017, disse que  o país asiático tem um papel “desproporcional” na balança comercial brasileira, e destacou a existência de diversos mercados em que o Brasil ainda não está participando como deveria.

Dado o exposto, as exportações para China são muito importantes para a economia brasileira e colaboram para aumentar ainda mais a relação entre os dois países, além de serem lucrativas para o Brasil. Logo, apesar da necessidade de se manter em alerta para as mudanças no mercado internacional e as novas oportunidades no mesmo, o Brasil passa por um bom momento no comércio com o gigante asiático, que promete se manter forte.

 

Por Pedro Mochiatti Guijo, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: Governo do Brasil, Exame, Diário Comércio Indústria & Serviços, Estadão

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +