October 10 2017

Energia Solar: a China na “nova era” de recursos energéticos

Posted by Victor Fumoto

Segundo informações recentes da Agência Internacional de Energia (AIE), a energia solar foi a que cresceu mais rapidamente em 2016. Com um aumento de 50%, este recurso ultrapassou o crescimento líquido do carvão, o qual representava o maior criador de energia. A China, particularmente, tem investido muito na produção de energia solar, de modo que, atualmente, ocupa o topo do ranking de maiores produtores e instaladores de painéis fotovoltaicos.

 

energia solar

A China está no topo quando se trata de energia solar

 

Um dos principais motivos para essa orientação às fontes renováveis está no fato de que, nos últimos anos, o país contribuiu com cerca de 25% das emissões globais, tornando-se o maior emissor de gases de efeito estufa no mundo. E, diante disso, o governo chinês tem tomado medidas para acabar com a má fama no que tange a sua matriz energética. Além disso, há também outros aspectos importantes como a impulsão tecnológica e a geração de empregos.

 

Energia renovável e o desenvolvimento sustentável

O crescimento chinês nessa área se deve, sobretudo, ao apoio do governo. Desde os anos 50, foram incentivadas atividades de pesquisa e desenvolvimento de painéis solares fotovoltaicos. Mas, foi a partir do 12º Plano Quinquenal da China, para o período de 2011 à 2015, que o tema recebeu maior destaque. O setor representa uma grande importância na produção energética para o país, que é o maior emissor global de poluentes.

 

energia solar

A China tem buscado reverter a sua imagem de poluidora mundial

 

Tem sido, portanto, uma das metas do governo chinês promover a preservação do espaço ecológico, intensificando a proteção do ecossistema e do meio ambiente através, além de outras coisas, do desenvolvimento de indústrias eficientes em termos de energia e baixas emissões de carbono. Dessa forma, o governo acredita que promover o progresso ecológico é uma tarefa de longo prazo e de vital importância para o bem-estar das pessoas e para o futuro da China

 

energia solar

O suprimento de energia tem sido essencial para o desenvolvimento chinês

 

Dessa forma, o governo tem lançado uma série de incentivos para promover o crescimento do setor e, especialmente, a inovação. Pode-se destacar dentre as várias medidas, o uso de produtos mais avançados com células solares mais eficientes que reduzem os custos de produção. Alguns especialistas preveem o barateamento dessas fontes renováveis no futuro, de modo que seriam opções mais viáveis do que os combustíveis fósseis.

E esse é um ponto fundamental de toda essa mobilização chinesa. O país tem buscado reduzir sua dependência de carvão, de modo a diminuir as grandes quantidades de queima para manter as fábricas funcionando.

 

Líder mundial de energia solar

Agora, a China detêm o maior mercado solar do mundo. Comparando com os dados de 2012, a instalação de painéis solares no país disparou 125%. Como já foi evidenciado, tudo isso é resultado de um planejamento econômico e político do governo. Somente em 2016, a China investiu mais nessa área do que a Europa, os EUA e o Japão juntos. No mesmo ano, o país asiático representou quase metade da expansão global da capacidade de geração de energia solar, segundo informações da Agência Internacional de Energia (AIE).

 

energia solar

A usina de energia solar flutuante em Huainan, China, é a maior do mundo, com produção anual de 40 megawatt

 

Em projeções para o futuro, os dois outros principais líderes mundiais serão a Índia e os EUA até 2022, os quais, somados à China, representarão dois terços da expansão renovável global. O país asiático planeja investir 360 bilhões de dólares até 2020 para ampliar esse tipo de fonte renovável de modo a incluir, cada vez mais, a sua matriz energética. Essas ações levarão o país a impulsionar novos empregos e o desenvolvimento tecnológico.

 

Curiosidade

A empresa chinesa China Merchants New Energy é uma das principais investidoras no país e, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), inaugurou uma estação de energia solar com um formato muito inusitado: um panda, um dos animais mais simbólicos do país. A intenção com o formato carismático é atrair a atenção das pessoas para promover a conscientização sobre as tecnologias verdes. Inclusive, a usina conta com um espaço dedicado a atividades dirigidas ao público infanto-juvenil para incentivar a educação do desenvolvimento sustentável.

 

energia solar

Representação da usina solar em formato de Panda feito em computador

 

A estação está localizada na cidade de Datong, na província de Shanxi, na região norte da China. O seu tamanho equivale a 140 campos de futebol com 248 acres. A capacidade de geração de energia desta usina é de 100 Megawatt. Em sua capacidade total, a usina poderá oferecer 3,2 bilhões de quilowatt-hora de energia verde em 25 anos.

 

A China na nova era

A projeção é que as fontes renováveis continuem a crescer fortemente nos próximos anos e, especialmente, o desenvolvimento da capacidade da energia solar fotovoltaica seja maior do que qualquer outra tecnologia renovável. Espera-se um crescimento de 1.000 GW nos próximos cinco anos, o que equivale a metade da capacidade global da geração de carvão hoje em dia. Tal situação tem levado os especialistas a falarem de uma “nova era” no setor energético. De forma geral, é importante acompanhar as mudanças nesse cenário que podem influenciar diretamente no mercado de fontes de energia.

 

Por Anna Carolina Monéia Farias, diretamente de Marília, SP, Brasil

Fontes: UOL, EXAME, Agência Internacional de Energia, Diálogo Chino

Gostou desse artigo? Então confira mais conteúdos e acompanhe as novidades em nossas redes sociais:

Facebook  |  Canal do Youtube  |  LinkedIn   |  Instagram   | Twitter |  Google +